11 de fevereiro de 2009

meu RE-relacionamento

Quem acompanha um pouco deste blog sabe que minha vida deu uma girada recentemente, e acho legal eu dividir um pouco do que está acontecendo como um monte de gente que foi tão legal comigo, reLmente recebi mensagens incriveis neste período. A blogosfera é incrível!
Tenho uma amiga que chamou o que estou vivendo de RE-casamento, e gostei muito desta expressão que utilizou para falar do fato que eu e meu namorido ainda estarmos juntos depois de todo aquele “imbroglio”.
Realmente eu e ele retomamos nosso relacionamento de uma maneira nova, por isto o neologismo re-casamento é tão adequado. Para terem uma idéia, é tão RÊ que decidimos até morar juntos, uma coisa que enrolávamos fazia tempo.
Confesso a vcs que o baque da descoberta das mentiras - se bem que na realidade eu não descobri nada, foi ele que contou – foi forte e ainda não foi totalmente superado.
Mas no período eu ouvi muita gente e revi muitas coisas em minha vida.
Num primeiro momento , como muitos presenciaram, tive profunda raiva e magoa, nem tanto pela traição, mas pela mentira, a solução era acabar tudo e partir para outra.
Mas muita gente não pensava assim, até no blog encontrei gente me dizendo que o assunto não era tão grave assim. O que mais me surpreendeu foi encontrar gente de muito mais idade, e experiência, alguns deles heterossexuais, me dizendo que eu devia pensar com calma, que relacionamentos tem crises, que as pessoas não são perfeitas, que tudo pode ser conversado...fiquei besta, imaginava que a maneira que eu sentia era a unica possível!
Comecei a fazer terapia logo na semana seguinte, o que talvez tenha me ajudado muito a perceber melhor meus sentimentos e emoções, nunca achei que terapia fosse tão bom.
Eu não voltei para ele, eu não o perdoei, o que fizemos foi um novo pacto, um pacto mais maduro, mais consciente. Na realidade nunca chegamos a terminar, foi uma bela duma crise, no relacionamento, mas não no amor.
Eu percebi o que fazia errado, tolhia, queria controlar, queria perfeição, queria incondicionalidade, queria método, queria gratidão, reconhecimento, elogio, dedicação exclusiva. Queria um adulto e tratava como criança. Queria um homem mas tratava como incapaz.
E é claro que eu não conseguia nada disso. Pois eu estava lidando com alguém que em muitos aspectos era minha antítese (os opostos se atraem não é?).
Eu percebi que fiz muita coisa errada, sou bem funcional, tenho uma vida bem arrumadinha, mas sou um “Neurótico funcional”
Percebi que muitas das coisas que eu tinha como verdades absolutas, admitem nuances, percebi a sombra e a luz que tenho em mim, mas que não queria aceitar, pois queria seguir o modelo que eu acreditava como único possível: “o fundamental é mesmo o amor, é impossível ser feliz sozinho”
È sério, João Gilberto na veia! Tenho até camiseta com a frase!
Eu acreditava piamente que a única maneira de ser feliz, de me completar, era estar “casado”. Tanto é que faz uns 25 anos que não sei o que é ficar sozinho. Emendava de um relacionamento no outro, 5 anos com um, 10 meses com outro, 3 anos com outro. Eu tinha maior orgulho disto, de ser um menino “casadoiro”, mal sabia que era uma mal disfarçada neurose!!!!
Vamos rir para não chorar!
Ainda não sei exatamente porque criei este modelo, a teoria mais forte que me permito, é que ser “casado” era um componente aceitável, enquanto ser solteiro (gay solteiro = gay promiscuo) era inaceitável.
Claro que não é tão simples, deve ter mais coisa com a questão da homossexualidade, meu pai, mas ainda vai precisar de escaranfunchar muito.
Sei que não posso confiar totalmente nas coisas, todo mundo me fala isto, sei que promossesas e acordos podem ser quebrados, sei que não preciso abrir mão de coisas que acredito , fidelidade por exemplo, mesmo que sejam conceitos difíceis de cumprir . Sei que se eu confiava totalmente era muito mais uma defesa do que lidar com a realidade, mesmo eu não mereço tanta confiança assim ás vezes - e eu não queria admitir isto.
Mas sei que ele tb esta tentando fazer a parte dele, sei que as perspectivas são boas, sei o que quero, o que gosto, o que posso. Bom, é isto, resolvi contar um pouco dos caminhos que estou trilhando. Será que estou fazendo besteira? Devo voltar a confiar? devo apostar que as coisas vãomelhorar?

14 comentários:

  1. Anônimo4:18 PM

    moço vou te desejar boa sorte mas se como você disse foi traído durante dois anos seguidos e não sabia agora vem a parte de você saber conviver com a dúvida e isso é algo muito ruim mas se ainda acredita que existe amor então continue.
    eu não faria isso mas isso sou eu.
    viver com a duvida saber que ele pode fazer novamente me machuca
    eu tenho auto-estima e prefiro pular fora dessa agonia que me cercaria.
    minha experiência diz que quem trai nessa cara dura fará novamente e ainda viver com um cara desses? nunca!
    eu não sigo preceitos ou idéias pré-estabelecidas eu acredito no amor mas o associa a fidelidade.

    enfim, mais uma vez boa sorte e dê ouvidos a seu coração e não a esses veados que fodem com todos o tempo todo

    ResponderExcluir
  2. Parabéns por mais uma etapa da evolução pessoal... nem sempre ela segue caminhos que conhecemos, mas é certo que sempre nos conhecemos melhor depois dessas fases.
    Boa sorte na nova fase.
    :)

    ResponderExcluir
  3. Relacionamentos são realmente muito complicado, mas concordo com as dicas de muitos leitores, agir com calma é sempre o mais importante. Conversar sempre é importante.

    Namorei por 8 anos nestes termos e mesmo apos o fim agradeço sempre ter agido desta forma.

    Desejo boa sorte pra voces.
    abraços.

    ResponderExcluir
  4. Anônimo1:09 PM

    Querido,

    vc fez bem, acredite.

    Toda sote no novo re-casamento.
    Beijos!
    Irina

    ResponderExcluir
  5. Re-casamento é um termo bem interessate mesmo, tambem sou novo na Blogosfera, fiquei feliz de encontrar seu blog, por esse morivo tambem criei um blog, pra compartilar um pouco de mim com o pessoal que se interessar, ainda não sou tão vivido como voce, to acompanhando seu blog agora viu, outra coisa, a vida é cheia de decepções, o importante é lembra que temos que seguir, e seguir e confiar de novo, mas isso so vc que pode dizer, se estar feliz, confie e viva o momento, vcta fazendo bem. Beijão!

    ResponderExcluir
  6. Se não acreditar no futuro e nas coisas que as pessoas nos prometem o qeu nos sobra?
    Uma hora todos erramos, ele erros da forma dele e vc da sua (sem julgamentos de minha parte).Mas por mim eu prefiro acreditar e quebrar a cara do que viver pensando no que poderia ter sido caso eu acreditasse.

    ResponderExcluir
  7. É uma situação complicada... mas, como vc está feliz, eu torço que vcs continuem sendo felizes! Um super abraço.

    ResponderExcluir
  8. Li sobre o imbroglio, a terapia...Voltei não por curiosidade,mas por identificação, solidariedade, enfim... Estou beje!Toamra que vc esteja certo. Mas como (con) viver com alguém em quem não se confia? (confiança é como um vaso de cristal, uma vez quebrado...) A minha vida seria um inferno. A minha. A sua espero seja melhor...abr

    ResponderExcluir
  9. Wellllll... considerando a forma como escreves e te posicionas, acho muito complicado acreditar que faças besteira. Se depender de mim, por exemplo, as coisas vão sempre melhorar. Muito bom revisitar teu blog e mais ainda ter recebido sua visita no meu! Voltarei! E agora vou reler os posts que perdi!!! Abraços!!!

    ResponderExcluir
  10. Coisa boa!
    Acho que vc está no caminho certo!
    Terapia Rox! Meu psicologo salvou minha vida hahah
    COntinue assim e eu vou continuar torcendo por vc e passando aqui!
    Abração!

    ResponderExcluir
  11. A gente nunca sabe quando tomar a decisão certa. Não é fácil passar por cima do que passou, tomará que realmente essa decisão reforce o relacionamento. Pelo menos você tentou..e isso já é válido..Abraços

    ResponderExcluir
  12. Meu amigo, que bom que REconsiderou os fatos, REtomou as rédeas da sua vida e que as coisas REtornaram aos eixos. Gostei muito das suas ponderações, em especial quando diz que queria um homem e o tratava como um menino, um incapaz e também dessa coisa de avaliar profundamente o papel do PAI na vida da gente - aqui com certeza um assunto que vai render muitas horas de terapia. Gosto de ver vocês dois juntos e parabéns pela decisão de morarem no mesmo espaço. Agora é olhar pra frente e não se apegar a mágoas e rancores - venenos que tomamos jogando a culpa no outro. Um forte abraço e estamos nos devendo aquele almoço.

    ResponderExcluir
  13. Cara, vc é suas escolhas na vida. Só vc pode definir as regras e a essencia da sua relação amorosa, aceitando isso ou não, pode conduzir sua vida em outros caminhos de maduridade...
    De qualquer modo, tenta aprender as lições de cada experiencia acumulada. A nossa felicidade depende só de nos mesmos, o parceiro é para completa-la, mais não deve ser culpado para nossa felicidade.
    Espero que vai dar tudo certo para vc.

    ResponderExcluir
  14. Andre8:29 PM

    Se voce o ama, porque nao dar uma segunda chance aos dois? De lhe uma nova chance e mostre a ele o quanto vc verdadeiramente o ama, essa chance ja é uma prova disso, e se a reciproca for verdadeira, com certeza ele nao te magoára mais. Boa Sorte, Felicidades.

    ResponderExcluir

Obrigado por seu comentário! Assim que possível lhe dou um retorno!