30 de junho de 2014

Existe relacionamento "desinteressado"? (concluindo)

Não! Na minha opinião não existe relacionamento "desinteressado" !
Todo relacionamento envolve um conjunto de interesses!
Todos somos "interessantes" e "interessados", todos somos "interesseiros"!
 
(este texto é uma continuação , clique AQUI para ler a primeira parte!)

adoro esta versão
da pirâmide de Maslow
acesso a internet como
necessidade humana básica!
Em minha atividade profissional eu falo muito sobre motivação, sobre o que motiva as pessoas! E sabe o que verdadeiramente motiva as pessoas?
Os seus genes!
Quando falamos em motivação estamos falando no desejo inerente que todos os organismos tem de se auto-preservar, de preservar a sua espécie, de crescer, de evoluir. O que nos motiva a trabalhar, o que nos motiva a tomar dois ônibus e enfrentar o trânsito para chegar no trabalho, o que nos motiva a nos alimentarmos, o que nos motiva a vivermos em grupo, constituirmos família, ter sucesso, ganhar dinheiro, é o nosso desejo profundo de sobreviver! Um interesse egoista e unitário! Ninguém motiva ninguém, tudo que fazemos - ou deixamos de fazer - é movido pelo nosso interesse de continuarmos existindo. Não é incrível vermos aquelas pessoas que sobrevivem e sobrepujam as condiçoes mais adversas de sáude, de miséria, das guerras, das famílias terríveis? A pessoa que entra em depressão é aquela que perdeu este interesse em continuar existindo de certa forma.
Todos somos interesseiros! Você só se envolve com o que está interessado, você só vai atrás do que lhe parece interessante! Todos somos interessantes num ou noutro aspecto! Nos  movemos porque somos interesseiros!
Quando você conhece alguém novo,  e alguém te pergunta: "- e ai como foi?", é muito comum você responder: "- é um cara muito interesante"...
Ninguém quer ficar perto de quem não lhe interessa, de gente chata e sem nenhum tipo de atrativo, mesmo que este atrativo seja só a beleza.

Ai talvez esteja uma grande armadilha do envelhecimento, de certa forma podemos acreditar que deixamos de ser "interessantes", o velho - no pior sentido da palavra - passa a achar que o único interesse que as pessoas podem ter nele é seu poder econômico, seu status, ele deixa de se achar interessante se não tem estas coisas, se não tem beleza. E talvez esta armadilha seja maior ainda entre os gays! E mesmo o "mais bem resolvido dos seres" pode ter estes pensamentos em sua cabeça!
Mesmo a relação entre pais é filhos - o tal do amor mais puro do mundo - é uma relação de interesses, temos filhos para se encaixarem em nossos interesses, em nossos projetos de vida. Nossos projetos megalômaniacos de mudar o mundo!. Os filhos só se interessam por quem lhes dá comida, abrigo, carinho, por quem lhes dá condições de sobreviver. É assim que o amor se estabelece, com a troca de interesses.
O marxismo, o qual eu discordo em algumas das interpretações mais xiitas, na sua essência é brilhante e revolucionou o pensamento humano ao explicar as trocas de valores entre as pessoas, entre os grupos, a negociação de nosso "mais valor" é a tal troca de interesses!
A palavra em inglês para juros é ... adivinhou ... INTEREST! O banco tem o maior interesse em que você pegue dinheiro emprestado!

Meu Mr. Jay é muito "interessante", eu estou muito "interessado" nele, pois ele agrega valor à minha existência, sua experiência de vida, seu esforço e vitórias pessoais, sua beleza, seu humor caustico, sua inteligência (apesar de não ganhar de mim no PERGUNTADOS -rsrsrs). Até o que poderíamos - por preconceito - considerar como defeitos, são interessantes! Eu sou mesmo um interesseiro!
E eu não tenho problema nenhum em assumir que eu sou um cara interessante! Eu sou um tiozinho gordinho que é uma gracinha! (blame on me!)
Pensar assim não me faz desacreditar nem um minuto no amor, aliás me faz acreditar no amor como uma coisa construida e não num DOM divino que alguns sentem e outros não! Só uma coisa viva e renovada constantemente, algo retroalimentado, é que poderá crescer e se manter vivo! Amamos nosso amigos pelo que eles representam para a gente não é mesmo?
 
Sim! Eu acho que é preconceito da minha parte estranhar quando eu vejo uma menina nova saindo com um cara muito mais velho (ou uma mulher mais velha), ou um rapaz bem mais novo que seu acompanhante, seja ele homem ou mulher. Mesmo eu vivenciando uma relação com diferença de idade eu consigo aceitar que as pessoas tenham um estranhamento nesta situação!  Não estou fazendo nenhum tipo de vestibular para virar Santo e posso ter preconceitos, idéias pre-estabelecidas, mêdos, cismas, manias, tiques, truques psicológicos, fantasias e todo um sortilégio de defeitos!
Para mim, algumas de nossas idéias pré-concebidas nos protegem, outras nos impedem de sermos mais abertos. Quer ver outro preconceito que eu tenho? Eu acredito que as pessoas são "intrinsecamente boas", e muita gente discorda, sempre tentando me provar que as pessoas são "intrinsecamente más"!
Tem gente que diz que este preconceito é inveja, os mais velhos criticam o velho que está com o novinho porque eles queriam ter conseguido isto - ai eles dizem: "o garoto só está com ele porque ele banca tudo, que trouxa!". Os mais novos criticam o mais novo porque dizem: "ele aguenta aquele velho porque é um interesseiro!". Ou vice-versa.
Beijinho no ombro para as "inimigas"!
 
O importante é o que fazemos com nossas ideías prévias, se as usamos para agredir as pessoas, para lhes tolher direitos e oportunidades estamos errados, se as usamos para nos conhecermos melhor e sabermos de nossos limites podemos estar no caminho acertado.

Eu não imaginei que a primeira metade do meu texto, e meu confesso estranhamento com a situação, fosse gerar tantos comentários, tantos CONCORDOS e DISCORDOS, mas eu achei a discussão muito enriquecedora. Obrigado a todos que comentaram! Não fiquei em nenhum momento chateado com o que um ou outro falou, ou criticou, podem ter certeza disto, sou dos que acredita que toda unanimidade é burra!

E para concluir, acho que a apresentação da Rita Lee na RAI - desejando "vida longa para as inimigas" - pode ajudar a mostrar como anda meu espírito nos dias de hoje! Aliás recomendo o espetáculo sobre a Rita Lee estrelado pela Mel Lisboa, divertido, animado e cheio de interpretações bombadas!
Olha a coincidência com a copa do mundo no final da apresentação! Sincronicidade?
 

26 de junho de 2014

Existe relacionamento "desinteressado"?


Esta semana um amigo, de 65 anos, contou que está se relacionando com um rapaz de 25 anos. Mesmo eu tendo uma diferença de 20 anos com o Mr. Jay, a diferença de 40 anos entre ele e seu namorado me deixou um pouco "passado e engomado".
Não que eu duvide que ele esteja gostando do rapaz, ou que o rapaz esteja gostando dele, meu amigo é um homem bem inteligente, viajado, com um bom papo, tem alguns problemas de saúde, mas é um homem bonito e é um grande cuidador, cuidou e educou os filhos biológicos que teve, cuidou da mãe e cuida do irmão.
O rapaz, que parece ser de uma família simples, de poucos recursos financeiros, eu não conheço pessoalmente, mas pelo que meu amigo contou, é muito atencioso, carinhoso, também um cuidador. Eles se veem pouco, em função do trabalho do jovem, mas o relacionamento está rolando há quase 1 ano e parece ser bem sério. Meu amigo até disse que está ajudando o rapaz a tirar carta de motorista - e quem sabe até compre um carro para ele - para ficar mais fácil quando sairem juntos e meu amigo não estiver com disposição para dirigir.
Nem preciso me defender, ou reafirmar, o quanto eu sou a favor de relacionamentos estáveis (namoro, casamento ou outra coisa parecida), mas eu me peguei pensando em que interesse um rapaz tão jovem poderia ter numa pessoa tão mais velha... seria o rapaz um interesseiro que estaria usando a carência ou bondade do meu amigo? Acho que é o mesmo pensamento que temos quando vemos um cara bem mais velho com uma mulher "piriguete" e "loira" a tiracolo, ou quando vemos um garotão e uma jovem senhora...
Do alto do meu "preconceito" eu pensei que devia  falar para meu amigo se cuidar, perguntei se tinha sido o rapaz que tinha pedido para ele ajudar a tirar a carta ou comprar o carro (não foi), dei um exemplo (falso e inventado na hora, mas plenamente possível) de um outro amigo que tinha sido ludibriado por um rapaz mais novo que tinha lhe roubado e meu amigo me contou que tb se preocupava e estava atento a isto, mas que o rapaz não era deste "tipo"...Estaria ele iludido? OU eu sou um sacana por pensar nisto?
 
Fiquei imaginando... o que eu pensaria se minha mãe aparecesse com um namorado 40 anos mais novo que ela? Eu ficaria feliz por ela ou ia achar que o cara estava dando um golpe?
 
No caso do meu pai eu nem me preocupo, as "peguetes" dele são sempre nesta faixa - 30 a 40 anos mais novas - mas meu pai é um sem vergonha e com certeza é ele que se aproveita delas! Mas também faz muitos "favorzinhos" e dá muitos "presentes" para garantir elas em volta dele...
 
Estaria meu amigo sendo enganado por um rapaz interesseiro? O que você acha? E se fosse com sua mãe ou seu pai, o que você faria?

Este texto continua AQUI

24 de junho de 2014

vergonha em verde e amarelo

Olha os petiscos que fiz para o pessoal
comer durante o jogo!
Eu confesso que não sou um amante do futebol, não é um esporte que me entusiasma pois eu acho lento, com poucos pontos por partida (diferente de basquete ou volei por exemplo), além disto os jogadores em geral nada tem a ver com o tipo físico que curto, e eu sei que muita gente assiste futebol só para ver as pernas dos jogadores...
Mas eu sempre me entusiasmei em épocas de copa do mundo, sempre gostei de acompanhar, de usar roupas verde e amarelo, colocar bandeira na janela. Mesmo que eu não goste do futebol em si, eu gosto da festa cívica que ele representa nestas ocasiões.

Só que esta ano, torcer, e decorar a casa, e usar camisa verde amarela, estava mais difícil, pois com as manifestçoes, mais do que justificadas, contra os desvios e roubos advindos da preparação do torneio, ficou parecendo que torcer pela seleção significava apoiar o governo ou concordar com o Ronaldo e o Pelé de que o brasileiro "não precisa de hospitais".
Mesmo que isto tenha mudado um pouco depois do início da copa, ainda me parece que torcer pela seleção ficou uma coisa de "mau gosto". Resumindo: ou você é a favor do governo ( e assumem que vc é petista) ou você OBRIGATORIAMENTE tem que ser contra.
 
Isto me lembrou muito a época da ditadura, onde a bandeira brasileira e até mesmo a cor verde e amarela eram "propriedade" do governo militar, que cerceava e vigiava seu uso, nada de versões em camisetas, nada de colocar a bandeira no capô do carro ou no retrovisor, tudo era controlado. Alguns com "RG mais baixo" devem até lembrar o emblemático caso do estilista Clodovil Hernandez, que foi processado por ter colocado um pesponto verde e amarelo numa linha da calças jeans que ele produziu, que foram recolhidas e proibidas de vender... mas que alguns anos depois se tornaram icônicas...
 
Eu não quero ter vergonha de ser brasileiro, de usar as cores de nossa bandeira, de torcer por nossas conquistas e reclamar de nossos problemas, batalhar para melhorá-los... eu não quero que a solução para a crise de moralidade e de autoridade dos governos, da polícia, do judiciário, seja qualquer tipo de ditadura e de privação de liberdade! Tem muita gente que não pensa em ter filhos porque acha que o mundo que está por vir não vai ser um lugar melhor para se viver.... quem tem filhos anseia pelas mudanças e faz o que pode para mudar o mundo! Em 50 anos eu vi muita coisa piorar no mundo, mas também sei que muita coisa melhorou...
 
E você? Está torcendo? Está usando verde e amarelo?

23 de junho de 2014

Ainda sobre o armário...

video
Achei este vídeo da PORTA DOS FUNDOS que fala justamente sobre o assunto, de uma maneira totalmente "nonsense" como é de praxe!

Detalhes que julgo hilarios: O pai dela e a arrumação em ordem de cores do armário!

Gostou?

19 de junho de 2014

A vantagem do armário!



É natural que os homens gays se vistam bem! 
Não passamos todo aquele tempo dentro do armário sem fazer nada!

16 de junho de 2014

DIA DOS NAMORADOS... dentro do armário!

Meu dia dos namorados foi bem tranquilo, resolvemos (na realidade eu resolvi!) comemorar no dia 11 de junho porque imaginava que no dia 12, em função do jogo, ia estar bem confuso e que depois do jogo e da cerveja não ia rolar sair para um jantarzinho romântico... e mesmo eu não ligando muito para estas datas sempre é bom um pretexto para ficar junto.
Fomos a um  restaurante nos jardins que já estava devidamente preparado para o dia dos namorados antecipado, rosas nas mesas, velas, cardápio especial... pena que me chateei logo de cara... quando chegamos percebi que todas as mesas que tinham casais (segunda a definição defendida pelos homofóbicos, aquele formado por um homem e uma mulher) .. quando o casal sentava  o garçon vinha e acendia a velinha da mesa... mas na nossa ele não acendeu. ...
Não acho que o garçon esqueceu, pois ele acendeu de outras mesas, nem que ele não se tocou que éramos um casal, pois usamos alianças de compromisso, além disto, no bairro dos Jardins, em SP, a comunidade gay é bastante visível e todos os estabelecimentos devem estar abertos a servi-los sob pena de fecharem.  Vou supor que ele não quis “dar um fora” inferindo que éramos um casal ou que, hipótese mais razoável, ele não quis dar seu “aval” ao casal gay e não fez a gentileza protocolar de acender a velinha.
Como era dia de romantismo e não de stress, e como meu namorado não percebeu,  eu guardei no bolso  a frase “pode acender a velinha para nós também porque somos um casal” e resolvi marcar o território de maneira mais visível, chegando bem pertinho do Mr. Jay, com bastante chamego e conversinhas de pé de ouvido... ( e na sexta feira mandei um email para o restaurante relatando meu desconforto – para alivio de minha persona militante)

Mas a minha reflexão sobre o dia dos namorados vem a partir da minha participação no encontro do Grupo HOMOPATER (veja abaixo) no dia 7 de junho.
Um denominador, que eu percebo bastante comum para estes homens, que foram ou são casados com mulheres,  é que sua decisão em assumir uma identidade homossexual toma força não a partir do fato deles perceberem que sentem prazer em transar com outro homem, mas a partir do ponto em que eles se descobrem envolvidos emocionalmente com outro homem, ou seja, quando se reconhecem como homoafetivos.  E comigo não acho que foi diferente. Tornar-se gay é estar enamorado.
Ou seja, além de estarem no armário eles passam a viver um relacionamento no armário. E ai “a merda atinge o ventilador”, pois ter um lance eventual, seja com um homem ou mulher,  é fácil de disfarçar, agora ter alguém com quem você gosta de estar, de conversar, é muito mais difícil de equacionar, é muito complicado montar toda a logística de desculpas e mentiras coerentes. E some a isto o fato de que,  para a maioria, o sentimento de estar traindo a companheira com quem construiu uma vida em comum, a mãe dos filhos, é muito desgastante, pois são pessoas corretas em suas vidas, com princípios... E de certa forma eles também fazem sofrer seus novos companheiros, especialmente se para estes as portas do armário não estiverem tão fechadas.
Dá para imaginar a energia psíquica que isto drena das pessoas? Eu percebo isto claramente quando participo destas reuniões, e cada vez que eu consigo ter empatia por estas pessoas eu sinto que cresço como pessoa.

Só para contar rapidamente, sem quebrar o sigilo que é fundamental para que este grupo possa existir, nesta semana haviam duas estórias que me fizeram desembocar nesta reflexão sobre namoros no armário:
 Um homem viúvo, cuja esposa – por quem ele se declarou sempre apaixonado – ficou doente durante muitos anos,  que foi, justamente no período que a esposa convalecia, de certa forma seduzido por um colega de trabalho, que o “chutou” depois de conseguir o que queria, mas que hoje vive uma bela relação com outro homem mais velho,.
E outro  - que ainda está casado – mas que teve um relacionamento secreto com outro homem durante quatro anos - e que foi justamente este amante que o fez sair do armário para a família e amigos (lembrei de BrokeBack Mountain)... mas que hoje está envolvido com um pessoa legal e procurando equacionar isto com sua vida...
Belas estórias de vida que me fazem valorizar ainda mais minhas conquistas e ser solidário a estes homens que estão buscando a felicidade!
E você, já teve um relacionamento NO ARMÁRIO? Como era viver esta dualidade?
 
SOBRE O HOMOPATER: o Grupo HOMOPATER coordenado pela psicóloga Vera Moris, reúne Homens, em sua maioria Pais, que viveram realidades heterossexuais até um certo ponto de suas vidas e que perceberam que o caminho para a felicidade passava pela homoafetividade.Se você tem interesse em participar entre em contato com a Vera, no email vemoris@uol.com.br , agora neste sábado o Grupo vai fazer um encontro, quem sabe você consegue ir!
 

10 de junho de 2014

QUEM SABE?

Ei pessoal, tem duas coisas que eu queria fazer com meu blog e não sei como! Será que alguém sabe me explicar como faz?

1 - RESPONDER A COMENTÁRIOS

Eu vejo que tem muita gente que tem em seus blogs sistemas para responder a comentários, eu tb fico com vontade de comentar no meu mas não sei como fazer isto! Alguém sabe ?
Eu já li que teria que modificar o "template", o modelo que eu uso, mas mesmo assim eu não sei qual modelo tem este sistema de responder!
E o risco deperder conteúdo do blog? será que vale a pena ?
Eu uso o blogspot, o blogger.


2 - BACK UP DO BLOG

Uma vez, uns anos atrás, eu fiz uma burrada no meu usuário e apaguei meu blog inteirinho! eu já tinha mais de 400 coisas publicadas e bateu um puta desespero! Por sorte, ou insistência minha, eu mandei uns emails para o pessoal do blogspot, do blogger, e eles restauraram meu blog de volta!
Mas já pensou? perder tudo?
Alguem sabe se tem jeito de copiar o blog, ou os textos, em algum lugar?

Estas duas coisas eu ja procurei na WWW, mas não senti confiaça em nenhuma dica ou explicação que encontrei.

Desde ja agradeço!

7 de junho de 2014

Homofobia na Livraria

Na semana passada fui com o Mr. Jay até a Saraiva do Shopping Morumbi para ele retirar o Macbook dele que estava na garantia mas tinha apresentado um problema na tela. Dentro da Saraiva funciona um balcão da Apple justamente para manutenção e ele tinha deixado a máquina lá antes de viajarmos.
Muita gente esperando para ser atendida... o que por si só já eh estafante.
Só que o casal que estava sendo atendido antes do Mr. Jay estava demorando muito tempo para ser atendido e ele foi lá ver o que estava acontecendo... chegando lá ele percebeu que a demora era porque o proprietário do Iphone não sabia o usuário e a senha dele do Itunes (ou do Icloud) e estava tentando, sucessivas vezes, "adivinhar" a senha...
Mr. Jay, que é um consumidor bem ciente de seus direitos, reclamou para o atendente, disse que o balcão dele era para retirada de equipamentos e que se a pessoa não sabia a senha ela tinha que ir em outro lugar para tentar descobrir...o atendente respondeu:
- ele chegou na sua frente e também é um cliente que esperou, agora o senhor tem que esperar...
Mr. Jay não se conformou com a resposta e saiu no encalço do gerente da livraria:
- fica aqui e se eles acabarem me chama - pediu.
Passados alguns minutos o atendente virou para o infeliz que estava ainda tentando adivinhar a senha e disse:
- senhor, eu vou ter que dar razão ao outro cliente (no caso o Mr. Jay), se o senhor não sabe a senha eu preciso atender outra pessoa.
O rapaz concordou, mas a mulher que o acompanhava disse:
- deixa o viadinho esperando, eu só saio daqui depois de conseguir!
Como eu tive certeza que ela disse isto para eu ouvir eu tinha duas alternativas: ou eu ficava quieto e ela ficava com a sensação que eu tinha vergonha de ser gay por isto não ia retrucar, ou ...cheguei perto dela e falei calmamente:
- ei, escuta aqui, ele é meu namorado, se ele é o viadinho eu sou o viadão, e se você repetir isto de novo você vai passar a noite na delegacia se explicando!
Ela me olhou com uma cara que misturava "ele não parece viado" com "oops! acho que vou me ferrar!".
O atendente, percebendo que o clima ia esquentar, pediu desculpas e pediu para o rapaz verificar na casa dele e voltar outro dia... nisso o Mr. Jay chegou e o atendente o chamou. Quando eu contei para ele o ocorrido (péssima ideia agora eu sei) ele, tomado de ira, berrou no meio da livraria, em direção á tal mocinha
- vem aqui me chamar de viado sua vaca! (Mr. Jay irritado = barraqueiro)
O namorado dela então voltou e veio tomar satisfações com o Mr. Jay, enfiando o dedo na cara dele (só que foi engraçado porque o cara era quase 1 palmo mais baixo que o Mr. Jay), eu, para evitar que o caldo esquentasse, dei um passo e encostei no cara (dois palmos mais baixo que eu!) o que deve ter intimidado ele um pouco que saiu ameaçando:
- vou te esperar lá na saída, você não sabe com que está mexendo! (não ouvia isto desde os tempos de colégio) , o que era uma bravata em se tratando de um shopping com umas 30 saídas diferentes...
E eu ainda ironicamente acrescentei, quando o cara foi saindo, puxado pela namorada:
- só volta aqui quando você souber a senha, porque nós sabemos a nossa!

Na Saraiva ficou o maior "climão", mas eu vi que as pessoas que estavam esperando de certa forma apoiaram o que aconteceu, especialmente porque tiramos aqueles dois que estavam atrasando todo o atendimento porque não sabiam a senha do telefone!
Da minha parte ficou uma sensaçao de "missão cumprida", porque eu me lembro de várias vezes, no passado, que eu me fiz de surdo e nada respondi, sinal que estou melhorando ou que estou ficando mais barraqueiro!

E você? já pasou por situações assim? Como reagiu?

3 de junho de 2014

hora da dieta!

Eu sou gordinho!
Não, na realidade eu sou gordo! Sou um cara alto e embora isto disfarce um pouco, eu estou visivelmente acima do peso! Sou Obeso, com um IMC ridiculamente alto!
O assunto em si realmente não me preocupa, sou daqueles que acredita que existem gordinhos saudáveis, e meus check-ups anuais sempre mostraram regularidade em relação a triglicerides, açucar no sangue, etc...
Porém, porém, eu tenho ficado um pouco de saco cheio de não encontrar roupas legais tamanho XL, ficar sem folego para algumas coisas, ficar apertado em algumas cadeiras e outras coisas. São coisas que tem me incomodado.  Passei vergonha recentemente quando, numa montanha russa, a trava na cadeira não baixou totalmente e a atendente ficou me pedindo "- one more click" para poder liberar o carrinho...culpa de minhas coxas grossas!
Além disto minha filha se mostrou bastante preocupada com minha saúde e a sobrecarga que o peso dá em todo meu sistema circulatório e locomotor - como eu disse eu não tenho nenhum problema, mas basta usar  a inteligência e ver que é uma questão de tempo para que isto comece a me prejudicar... e Mr. Jay está fazendo "coro" com ela. E meu médico também fez um sermãozinho recentemente...
Porém, para reduzir meu peso corporal, para emagrecer, eu tenho que enfrentar duas questões:
1. EU NÃO GOSTO DE FAZER ATIVIDADE FÌSICA - nunca gostei, "matava" as aulas de educação física no colégio, nunca tive nenhum esporte de paixão, mesmo tendo praticado tênis e judô com certa dedicação. Eu não tenho saco de me trocar para fazer a atividade, e depois de ter que tomar banho, não gosto de ficar suado, me enche o saco o ambiente de academias, eu não gosto mesmo! Que inveja de meu irmão! Um atleta convicto, que levanta de manhã cedo para pedalar 100km por dia, bem que eu podia ter ficado com estes genes!
2. o segundo ponto é que EU ADORO DOCES! Balas, bombons, chocolates, doces, chicletes, coisinhas docinhas em geral. Mesmo eu podendo debitar parte disto na conta da ansiedade, tem um coeficiente de "safadeza" da minha parte, e falta de perseverança. Eu já sou tão certinho, não bebo, não fumo, não como carne.... me parece tão injusto eu ter que regular também o que como... sem poder experimentar o que gostaria...
Vai ser muito dificil emagrecer com estas duas coisas em jogo! Mas, vamos lá!
Ja estou me mexendo, voltei a fazer esteira pela manhã, pedi ajuda ao meu terapeuta, fui na nutricionista, vou tentar um homepata para me entrar em equilibrio e outras coisinhas, só quero fugir de tomar remédios porque acho que não é legal, acho que tenho força de vontade e inteligência para fazer isto... como diríamos... "vamos que vamos"!

Não fale comigo!
Eu estou fazendo dieta e exercícios
portanto, estou
DEFINITIVAMENTE de mau humor!
E você, tem que controlar o que come ou isto não é problema para você? (lembrando apenas que os que responderem que podem comer de tudo e nunca engordam serão excluidos da minha lista de amigos!)