11 de agosto de 2018

26 de maio de 2018

a visitar

http://miguelavidade.blogspot.com.br/

http://vidadosquesedosporques.blogspot.com.br/2015/05/capa-do-telele.html

the secret o f hapiness is low expectations

odio ao porno

http://www.ladobi.com/2014/04/odio-ator-porno/#comment-7017

27 de abril de 2018

Dear Mom and Dad: About Your Skipping My Gay Wedding

http://www.out.com/michael-musto/2015/11/23/open-letter-mom-and-dad-about-skipping-your-gay-sons-wedding

papo aos solteiros

sozinho é melhor

estar bem consigo mesmo

20 de julho de 2017

a PARADA não parou!

Hotel Marriott
Eu não sei vocês mas eu percebi uma "institucionalização" maior das paradas, uma certa maturidade do movimento e das associações que organizam, não só por aqui mas mundo afora... mais visibilidade, mais empresas apoiando, menos conotação governamental na maioria. Muitas cidades, incluindo Sampa City se cobriram de arco iris em lojas, restaurantes, hoteis, empresas, ruas.
DM9 - São Paulo
Entendo isso como um avanço, principalmente em termos de resultado da legislação... a oficialização do casamento, primeiro aqui e depois nos EUA, mas tb em outras partes do mundo, legitima de certa forma muitas coisas... Legitima as políticas públicas pois saímos da "informalidade" e da "invisibilidade" e nos tornamos famílias com garantias de direitos. Legitima nossos filhos nas diversas maneiras como escolhemos tê-los e criá-los. Legitima as empresas terem "verbas" para o segmento LGBTI, para campanhas publicitárias iguais ao dia das mães, natal, páscoa.. mesmo que seja ruim sermos um "mercado". Legitima podermos andar de mãos dadas onde quisermos, se quisermos.  Legitima sentirmos orgulho de quem somos, porque não? Legitima aquele menino da periferia pensar em poder viver sua sexualidade sem medo - mas nem tanto -  pois ainda muitos morrem e sofrem apenas por isso!
Sinto que realmente a oficialização do casamento mudou a parada...

Indianápolis 
Este ano eu não fui na "maior parada do mundo" aqui em São Paulo... aliás me aconteceu uma coisa até engraçada.  Eu e Mr. Jay estávamos de férias, viajando, e "desencontramos" de 3 paradas! Na primeira cidade que fomos, chegamos na segunda e a parada tinha sido no domingo... na de São Paulo ainda não estávamos de volta, e na terceira fomos embora na véspera da parada da cidade em que estávamos!  Confesso que fiquei frustrado... pois se eu tivesse "me atentado" poderia ter participado de ao menos uma delas!

Hard Rock Times Square
É uma pena muitos LGBTI ainda torcerem o nariz para a parada, verbalizando o discurso de que "é só baixaria" e "que não me representa" pois tem muitas drags e caras com pouca roupa (como se não fosse bom issso!kkkk) pois tudo isso, além de muitas outras coisas, é o retrato de uma comunidade diversa, muito alem do padrão "papai, mamãe e filhinhos" que durante muito tempo foi a unica possibilidade e que tanto nos sufocou. Gostamos tanto de dizer que ser homossexual é muito mais do que a discussão de com quem gostamos de transar, mas acabamos definindo tudo como isso! Com aquele monte de caixinhas...

Quem disse que para ser sério não pode fazer oba oba, lançar purpurina, dar piruetas? Seriedade é diferente de braveza, de raiva, de dentes cerrados. Eu faço a minha militância de formiguinha, seja nesse blog, seja lançando um livro sobre uma parte do universo lgbt, seja dando grana de vez em quando para alguma causa que me sensibiliza como a Casa 1.

E você? Percebeu uma mudança nas paradas? O que tem feito pela causa LGBTI?





18 de julho de 2017

A Parada e o blog Parado...


Tadinho do blog... ficou abandonado enquanto eu estava enrolado....

Eu, que normalmente sou tão organizadinho com meus posts nestes últimos dois meses me atrapalhei "pra caramba"... Tudo começou com uma "dorzinha" na perna em abril... que virou uma PUTA DOR em maio... que virou uma cirurgia de emergência da coluna no dia 12 de maio... com a colocação de uns pinos de titânio pois eu tinha pinçado tres hérnias lombares... agora eu estou mais parecido com o Wolverine... (foto ao lado para comprovar)
Duas semanas de molho, não podia nem dirigir, lidando com aquela famosa sensação de "como a vida é frágil" e como "shit hapens" sem a gente poder prever, alterando totalmente nossa rotina, e hábitos... no meu casao hábitos alimentares...pois a primeira coisa que o médico falou quando acordei da cirurgia foi: "tem que emagrecer 20 quilos no mínimo" alegando que senão as próteses não iriam aguentar... E eu me pergunto? porque não colocou umas próteses melhores???? que aguentassem ???? kkkk

No meio de tudo isso dia 15 de maio foi o lançamento do livro, e no começo de junho ainda tivemos nossa viagem de férias - que já estava programada e organizada há semanas!

Agora as coisas estão voltando todas ao normal, consegui entregar os trabalhos que ficaram atrasados na USP, estou trabalhando normalmente... Não estou 100% pois estou ainda no começo da fisioterapia, retomando um pouco de atividade física, "aprendendo" a sentar e levantar corretamente...tentando me doutrinar junto aos vigilantes do peso... vamos ver no que tudo isso vai dar...  

Aos que ficaram sabendo e mandaram recadinhos fica meu abraço, meu agradecimento...aos que estão sabendo agora fiquem tranquilos... nem quando passa no Raio X do aeroporto os pinos apitam.. então o stress tem sido pouco! 

Vou ainda sentar e escrever sobre essa sensação de "tornado" que a gente vivencia, fatos que mudam nossa vida, pois foi algo que me impactou muito... foi a primeira vez que isso me aconteceu...

E sobre a parada no título? CLIQUE AQUI para continuar!