29 de maio de 2014

e nove anos se passaram...

No dia 30 de maio de 2005 eu fiz meu primeiro post no blog! 
Lá se foram nove anos! Mais de 800 posts, alguns bons ... e vários que considero bem fraquinhos!
O balanço para mim é bem positivo! A experiência de compartilhar pensamentos com "estranhos" (alguns são só esquisitos ok!) é muito interessante, ás vezes nos tornamos íntimos de pessoas que nem conhecemos pessoalmente!
E o exercício de ter que organizar o que pensamos, o que sentimos, num texto, num momento eternizado, é bastante terapeutico, sério! Ás vezes releio alguns posts, especialmente porque ás vezes alguém comenta um post de 4 ou 5 anos atrás, e normalmente não me "arrependo" do que escrevi, do que eu sentia na época que me levou a escrever aquilo! Mas mesmo que tenha a tentação de mudar algo não o faço, deixo lá como uma cápsula do tempo.
Quero agradecer a todo mundo que lê este blog, que comenta, que me ajuda com seus palpites em mensagens, e tb agradecer pela amizade, pela torcida quando foi preciso! Obrigado!
E se estiverem dispostos a me aguentar.... acho que eu ainda vou ficar um tempo por aqui.... talvez mais uns nove anos..... hehehehe
 
beijos
 

27 de maio de 2014

férias juntos.... uma boa experiência...

Quanto tempo é necessário para se definir intimidade?
Eu fico bastante surpreso - para não dizer chocado - quando eu vejo pessoas que se conhecem há muito pouco tempo e já estão morando juntas. Sei que isto é uma piada clássica em relação ás lésbicas (se não conhece clique AQUI) mas eu fico surpreso quando vejo historias de pessoas que vão morar juntas se conhecendo há dois mêses, um mês, ás vezes muito menos...eu acho que este denominador pode ser bem decisivo para o fracasso de um relacionamento.
Eu acredito que as pessoas tem que ter um certo grau de cumplicidade, de intimidade, para morar junto, para "casar". Eu acho importante que você conheça os hábitos e rotinas do outro, podemos ser bem esquisitos e irritantes em nossa intimidade não é mesmo?
Eu e Mr. Jay já ficamos bastante juntos, nos dias e finais de semana que temos folga, e até mesmo já fizemos algumas viagens curtas, mas acabamos de voltar de nossas primeiras férias conjuntas, quase 20 dias juntos, fora de casa, sem filha a tiracolo... e a experiência foi ótima! Foi um bom treinamento para um futuro...
Talvez quem me acompanha por aqui nem tenha percebido minha ausência, pois tomei o cuidado de deixar uns posts programados - sabe como é, "quem não dá assistência, perde a preferência". hehehe
Eu até disse para ele, quando estavamos organizando a viagem, "ou a gente vai voltar se amando ou se odiando depois de tantos dias juntos"! Pois eu tinha receio que as nossas saudáveis diferenças fossem exarcebadas pelo periodo longo, mas, com um pouco de maturidade de ambos isto foi contornado facilmente!
Acho que o principal problema que Mr. Jay teve que enfrentar comigo foi a minha habitual ansiedade, especialmente com relação á horários (horários dos vôos, horários dos teatros, etc) eu sempre quero sair muito mais cêdo do que seria razoável e estou sempre apressado em acordar, em me aprontar, me trocar, tomar banho - ele até se estressou um pouco com isto e teve que me dar umas duas "chamadas á realidade", o que foi bom para eu perceber um pouco isto e poder olhar criticamente para esta minha faceta. Ele tinha razão, pois querer sair uma hora antes para um espetáculo que era apenas do outro lado da rua é bem exagerado...
Outra coisa que eu sei que estressou Mr. Jay em alguns momentos, foi o que eu chamaria de meu "espírito contemplativo", eu gosto de observar as coisas, de ver os detalhes, de planejar as ações, os gestos. Gosto de tirar um pouco mais de fotos dos cantos, dos detalhes, das texturas. O que muitas vezes faz com que eu seja mais lento... o que não é problema quando se está num museu, mas que pode ser catastrófico na hora de achar um endereço no GPS!
Mas, rapidamente, já estávamos fazendo piada sobre estas duas coisas!
Já o Mr. Jay é mais calmo, menos afobado, demora a acordar, come devagar,  o que a princípio poderia estressar um ansioso, mas eu sabia que o exagero era meu, ainda mais considerando que estávamos em férias, por isto eu me adaptei mais rápido.
Somente no quesito "alimentação" é que meu namorado me estressou um pouco, ele é bem restritivo no que come, não come nada muito temperado, nenhuma comida exótica (indiana, marroquina, mexicana, etc), o que é um terror para um sagitariano convicto como eu, que adora experimentar uma novidade... Eu já ouvi que os mineiros tem um certo apego a comidinhas caseiras e nisso o meu Querido é um mineiro legitimo! O pior era quando ele dizia que era para eu escolher onde comeriamos! Conclusão: comemos seis vezes na mesma rede! - pode rir. (se bem que em restaurantes diferentes, em cidades diferentes, o que já foi um alívio para o sagitariano aqui). Mas isto também foi divertido, ainda mais por usarmos o foursquare, que fez tudo parecer um raid!
Mas ele tem realmente estomago fraco, e tem razão de se preocupar,  foi só comer uma costelinha barbecue para passar mal dois dias...
Em resumo, na minha opinião poder passar todos estes dias juntos, viajando, conhecendo lugares, foi muito bom para nosso relacionamento e eu acho que voltei amando este homem mais ainda! Fiquei muito feliz com tudo que aconteceu, em especial porque o Mr. Jay agregou muito valor a viagem e me proporcionou vários momentos VIP! O que também é ótimo não é?
E você, acha que uma viagem serve como um "aperitivo" de uma vida a dois? Ou na prática tudo é diferente? 

14 de maio de 2014

a tal ....familia extendida

Familia é uma terminologia que envolve muitas definições. A biologia usa a definição na sua catalogação das espécies por exemplo...e existem dezenas de outros usos...
Eu, quando eu falo em família, sempre lembro da FAMILIA DÓ RÉ MÍ e tenho certeza que o Mr. Kincaid, agente deles, era gay! Para quem não conhece, era um misto de GLEE com comercial de margarina!
 
Minha família é formada basicamente por mim e minha filha, mas minha "família extendida" engloba
meus pais, meus irmãos, seus filhos, meus primos e tios... todos vinculados por graus de parentesco diversos (vejam que disse parentesco e não sangue!)
O namorado, o marido, entram na família, e consequentemente seus parentes entram na família extendida, e de certa forma, o processo de ser introduzido (ui!) na família é quase como um processo de sair do armário novamente. Quando você apresenta o namorado para seu pai, para seu irmão, é como se você dissesse :
-"ei, apesar de você não falar muito deste assunto está lembrando? eu sou gay! eu continuo gay!"
A Edith Modesto sempre diz que: "quando o filho sai do armário que entra no armário é a família, que tem que aprender a lidar com isto"
 
Na minha família acho as coisas são bem tranquilas, e isto é mérito meu (tenho que me orgulhar disto não?) que nunca deixou ser rotulado ou diminuido por este fato - ou nenhum outro. Mas também é o espírito de uma família de ascendência "vira-lata", que tem desde portugueses quatrocentões até italianos que vieram trabalhar nas fábricas dos Mattarazzo, e tem como base a afetividade, o cuidado uns com os outros, o acolhimento de quem chega. - mesmo que não seja namorado do irmão gay!
Do meu lado, na minha família extendida e na minha família de escolha, eu vejo (e exigo se precisar) que o Mr. Jay é tratado como família, inclusive sendo alvo das brincadeiras e pegações no pé como outros. Eu ja vi isto em vários ambientes familiares, aniversarios, natal, domingos...
Mas sei que tem muita gente que não consegue isto, que sofre muito por não ter isto, não ser aceito e não ter sua família acolhida pela sua família de origem...
 
E para você? Como é a relação da sua família com sua família extendida?
 
 

6 de maio de 2014

SOUNDING GAY

Quando você fala você parece Gay?  OU, como diríamos, você "dá pinta"?
 
Surfando na net, eu cai num vídeo de um americano que está fazendo um documentário justamente sobre isto, o quanto a sua voz e seu jeito de falar parece gay e o quanto isto te incomoda. (eu até achei o vídeo no Google, veja abaixo, mas não consegui lembrar onde vi)
 
Eu acho que eu tenho, não voz, mas jeito de falar de viado. Falo devagar, pronunciando silabas, ressaltando vogais, sempre acho minha voz um "horror" quando ouço gravada, na secretária eletronica por exemplo. Mr. Jay discorda, ele acha que não pareço gay quando falo. Mas, se eu mexer as mãos ai é tiro e queda! Oriundi e gay! rsrsrs
Porque você sabe ... na realidade, de verdade, quando o GAYDAR falha, ou fica em dúvida, o desempate sempre acontece quando o cara começa a falar não é mesmo? 
Eu não tenho dúvida que este tipo de percepção está associada a nossa homofobia internalizada, nosso medo de parecer gay, antes de nos reconhecermos e aceitarmos isto, antes de sairmos do armário e exigirmos o respeito disto. Mas nossa homofobia é muito forte quando o assunto é o quanto somos "efeminados"!

Eu me lembro de um episódio, quando eu tinha 14 anos (e eu nem me reconhecia como homossexual nesta época) , que o meu melhor amigo virou para mim e falou - "nossa, sua voz e seu jeito de falar é muito de viado, precisa dar um jeito nisto!" Ou seja, eu já dava pinta, e me lembro que isto me deixou muito consternado na época!
Confesso que durante anos me esforçei para me conter um pouco, especialmente no ambiente de trabalho, e até acho que ainda faço isto, me policio um pouco.

Não sei o quanto isto está associado a minha ainda existente homofobia interna, ou o quanto é porque eu acho feio alguns amigos mais exagerados - a meu ver - que falam cheio de pajubás e trejeitos. Não sei o quanto desta contenção é preconceito e o quanto é estilo no meu caso.
Se bem que é mais ou menos como Calçados CROCS, bonitos, confortáveis, até com design interesante, mas não usaria de jeito nenhum!

Quando você assistir o vídeo repare no depoimento de um cara que fala que ele tem a voz masculina, só que de um homem bem pequeno! Cai no chão de tanto rir!
video
 
E você? Do you Sound Gay? Você tem voz e jeito de de "vinhado"? O quanto isto te incomoda?

2 de maio de 2014

explicando diversidade para as crianças... na família!

Ontem, feriado de 1 de maio, fomos almoçar na minha mãe, como trabalhávamos todos hoje, ninguém viajou neste 30o. feriado emendado do ano...
Minha prima - que é quase irmã - lá estava com seus dois meninos, um de dois anos e outros de sete. Mas o o que motiva o post foi o que ela veio me contou hoje:
Ela disse que quando chegou em casa o mais velho (7 anos) veio perguntar:
- O J é da família? (J = Mr. Jay)
- Sim - respondeu minha prima
- Então ele é filho da vovó? ( uma delicia a confusão que as crianças fazem não é?)
- Não, ele não é filho da vovó - respondeu minha prima
Detalhe importante, quem tem filhos aprende com o tempo que devemos responder apenas o que eles perguntam, primeiro porque as dúvidas ás vezes são bem simples, depois porque devemos deixar eles fazerem o caminho das descobertas...
- Mas como ele é dá família? perguntou o menino.

Ai minha prima disse que pensou, se fosse um casal hetero eu não ia dizer que eram namorados? Se são gays e aqui nesta família isto não faz diferença e está na hora de eu mostrar isto para meu filho!

- Ele é namorado do seu tio.
O menino fez caras e bocas! 
- MAS ENTÃO ELES SÃO GAYS!
- Sim eles são. Lembra o "F", ele também era namorado do seu tio, mas talvez você não lembre porque era muito pequeno.
- Mas meus amigos disseram que ser gay é errado!
Ai ela aproveitou a oportunidade...
- Ser gay não é errado, errado é não gostar das pessoas por elas serem de um jeito ou de outro! Sabe seu amigo, o B. Marrom? (eles são amigos desde pequeno e na escola havia dois meninos com o mesmo nome, e o filho de minha prima, para distingui-los chamava um de B. Branco e outro de B. Marrom, sem nenhum preconceito no apelido)
- Sei, eu vou lá brincar na casa dele amanhã não vou?
- Sim vai, mas você sabia que tem pais que não deixam o filhos brincar com os meninos só porque eles são marrons?
- Não sabia!
- E tem lugares do mundo que as meninas não podem brincar com os meninos porque eles acham que elas são inferiores e menos dignas? E tem até lugar que as pessoas marrons são presas só por serem marrons!
- Não sabia!
- E você vai gostar menos do seu tio porque ele é gay?
- Não!
- Mas se você quiser pode conversar com ele sobre isto hoje quando for ficar na casa dele ok!
- OK!
Assunto encerrado! Ele voltou a brincar. 
Eu vou dizer, eu já era fã da minha prima, e agora com mais motivos, acho que ela vai conseguir criar dois seres humanos muito especiais e abertos a todas as pessoas! Ganhei meu dia!

Aliás! ela precisou sair e o pai dos meninos (ela é separada) não podia ficar com as crianças e eles estão aqui, vão dormir aqui! Ou seja, hoje vai ter festa baile e vou levantar amanha ás 7 da manhã! Hora que o mais novo costuma acordar!
Eu estou até esperando para ver se ele vai fazer algum comentário quando Mr., Jay chegar....vai ser divertido...

E você? Ja presenciou estas reações de crianças? Conta ai!