16 de setembro de 2009

Relacionamento do tipo "Raul Seixas"

Mais e mais tenho entendido, ou tentado entender, que um relacionamento é um "organismo vivo" , como diria o Raul, uma ..."metamorfose ambulante".
Um relacionamento, entre amigos, entre amantes, está sempre atrelado ao fato que as pessoas mudam, o desejo das pessoas muda, os objetivos das pessoas mudam. O que hoje para você é bom, é legal, pode não ser daqui a algum tempo. O que você espera da outra pessoa, o que você precisa da outra pessoa, muda , muda o tempo todo.
O meu terapeuta até colocou que o engano, muitas vezes, é desejar tanto o casamento, o relacionamento, a pessoa certa, que quando alcançamos isto queremos cristalizar aquele momento, sem entender que os desejos e as pessoas mudam. E ai começamos a nos "decepcionar".
DR = relacionamento que cresce.
Talvez o principal instrumento para um relacionamento saudável, em crescimento, que atenda os desejos e anseios dos envolvidos, seja a tão temida DR (discutir a relação).
Poder conversar (e não discutir) momentos chaves do relacionamento, objetivos que mudam, desejos que surgem, é o maior isntrumento do amor, do respeito, da tentativa honesta de que seja bom estar junto. Muitas vezes um dos envolvidos vai "relevando" , "engolindo" , o que não ajuda ninguem, quem fez a coisa que desagrada não fica sabendo, quem foi desagradado fica remoendo. E isto não ajuda os alicerces do relacionamento.
Os alicerces bem reais, cabe frisar, e não os alicerces imaginários que criamos justamente porque é mais fácil que realmente batalhar pelo que pode nos levar adiante.
Eu sempre gostei muito de sentar e poder conversar sobre o que estava acontecendo, onde estávamos indo, se estavamos felizes, a tal DR, e era até muito chato nisto confesso, sempre querendo que o outro definisse pontos bem claros, posições bem fortes e imutáveis nos diversos "acordos" e "aceites" do dia a dia. Mas só agora estou conseguindo aceitar que as coisas mudam, precisam mudar, novos pactos precisam ser feitos e ajustados.
Este "organismo vivo metarmófico" que é o relacionamento é muito assustador, em alguns aspectos, mas também muito libertador, porque você tambémm pode mudar, você também pode ter novas crenças, novos valores e novos desejos. E isto é um alívio em muitos casos.
E vc? Gosta de DR? Acha a DR importante?

10 comentários:

  1. Eu concordo com teu "novo" ponto de vista. A DR é extremamente necessária a qualquer relacionamento. Eu sou do tipo de ir engolindo, mas de repente explodo e vomito tudo, o outro fica sem saber de onde veio tanto rancor.

    Mas acho também que um relacionamento só comporta DRs se estiver maduro, se ambos estiverem seguros de que querem pagar o preço necessário para ficarem juntos. Por não ter essa segurança que, imagino, muita gente deixa de avaliar seus relacionamentos: preferem ter um relacionamento sonâmbulo a correr o risco de não ter nenhum (mas também nunca ficam sabendo como é ter um relacionamento verdadeiramente vivo).

    Adoro seu blog!

    ResponderExcluir
  2. gente adoro suas reflexões
    naum tenho nunca o que comentar
    pq concordo sempre

    ResponderExcluir
  3. Evolui, claro, mesmo com um gato ou um hamster. Gosto, gosto sim.

    ResponderExcluir
  4. A DR é importante sim. Li , certa vez , num livro, que as relações gays masculinas não davam tão certo quanto as femininas pelo simples fato de que entre os homens há uma maior dificuldade de comunicação..bjs

    ResponderExcluir
  5. Perfeito!
    A vida é mudança o tempo todo, já dizia o filósofo grego Heráclito de Éfeso e o mestre Buda.

    Hj somos e amanhã não somos mais.

    Isso acontece com as coisas mais simples: um grão de areia por exemplo, com o próprio corpo humano e, com os sentimentos e desejos.

    Essa idealização do amor perfeito é realmente o que causa sofrimento e decepção, conforme você disse, pois ficamos presos a essa noção de que tudo é eterno. Daí vem o medo da perda, o egoísmo, o ciúme, o sentimento de posse, etc...

    Não há mesmo outra saída para isso a não ser aceitar que as coisas mudam e praticar a tão famosa e temida DR.

    Sabe, eu assumi isso no meu relacionaemnto atual e posso dizer que a fórmula dá certo. Diálogo é fundamental sempre.

    Meu relacionamento atual é muito mais maduro e seguro que os anteriores, acabei de citar isso em outro blog, inclusive. Claro que há um ciuminho ou outro stresss. Normal. Mas é muito mais liberto daquelas "coisinhas" que só fazem provocar dor de cabeça.

    Muito bom o post!

    Grande abraço!

    ResponderExcluir
  6. Eu sempre fui a favor de discutir a relação. Nos 9 anos de namoro, sempre conversavamos sobre os problemas, magoas e desejo. Mas infelizmente no final do relacionamento não houve esta conversa que poderia te-lo salvado.

    Ou talvez tenhamos identificado que uma DR não ajudaria mais, apenas iria prorrogar uma decisão.

    Tento na relacao atual manter o patamar da anterior, mas sendo mais maleavel em muitos atos, uma nova roupagem como um camaleão.

    abs

    ResponderExcluir
  7. Adorei e concordo demais!

    Conversar é tudo de bom, as coisas sérias e as bobagens, é muito bom falar e ouvir quem a gente ama!

    Mas ouvir direito, ouvir mesmo, sem impor o que se quer ouvir!

    Saudades de vcs!
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. É assustadoramente adequada essa comparação. E a partir do momento em que percebemos que o outro pode mudar (e que ele muda), que nós podemos mudar (e nós mudamos) e que a relação é uma mutação constante, sempre evoluindo em razão do próprio amadurecimento e da cumplicidade que decorrem do tempo, passamos a viver de uma forma mais leve, deixando de lado exprectativas e cobranças e, portanto, eventuais frustrações, e vivemos com o que há de melhor naquele momento no outro e em nós mesmos... Os valores permanecem, mas o resto... estamos sob constante influência de tudo que nos cerca e seria impossível que nos mantivéssemos intocados pelo novo... E o diálogo é o que dá a sustentação necessário a essas mudanças, para que elas ocorram de forma saudável e conjunta, como um verdadeiro desenvolvimento com amadurecimento do casal. Adorei!

    ResponderExcluir
  9. Anônimo2:37 PM

    Estava eu tentando entender o que está acontecendo em meu relacionamento e encontrei o post acima. Concordo quando se fala na dificuldade em DR e concordo mais ainda que é necessário, e quando ela existe de fato, quando se quer de fato estar com a pessoa que ama, a DR acontece naturalmente.
    É muito chato quando tentamos conversar e pro outro tudo parece estar normal. Costumo sempre fazer como disse alguém num comentário acima, jogo tudo por estar remoendo ha muito tempo, mas desde muito tempo tb que venho tentando dizer e comentar mas não sou ouvido, e quando a bronca aumenta, não procuro outra saída senão jogar tudo pra fora, numa intenão de desaparecer logo depois.
    Gosto de dar satisfação sobre o que faço, de dar carinho, de ligar, mas como seria bom se fosse recíproco.
    Um grande abraço a quem escreveu o post, gostei e acredito que assim como eu, muitas pessoas mudaram tb, ou pelo menos renovaram suas forças.

    ResponderExcluir
  10. gostei sua colocação. Com certeza tudo muda, a vida é dinamica e é por isso que existe evolução no mundo...
    Conversar onde está o relacionamento é importante, mais no recorer do dia, as pessoas evitar tocar nos assuntos até um certo momento que tudo explode.
    uf, passei por uma situação similar á isso ultimamente, mais precisa 2 para a DR... e isso é dificil...
    um abraço

    ResponderExcluir

Obrigado por seu comentário! Assim que possível lhe dou um retorno!