9 de janeiro de 2008

19 de janeiro - Grupo de Pais Homossexuais

Sabado, dia 19 de janeiro, o Grupo de Pais Homossexuais fará sua primeira reunião do ano.
O Grupo, que originou-se a partir da pesquisa de Doutorado da psicóloga Vera Moris, reune homens homossexuais que tem filhos, em sua maioria advindos de casamentos heterossexuais anteriores.
Nestas reuniões, de caráter sigiloso, estes homens podem falar dos conflitos que vivenciam ao assumirem sua homossexualidade, a separação, o fim dos casamentos, e o relacionamento com os filhos.
É opinião unânime dos participantes que os encontros tem ajudado muito a todos, na troca de vivências e experiências novas forças são dercobertas.
Alguns já criaram forças para conversar com seus filhos a respeito e a experiência foi otima!
Se você tem interesse em participar das reuniões, que acontecem em São Paulo, próximo ao metro Praça da Àrvore, entre em contato com a Vera no email vemoris@uol.com.br
Caso você não possa comparecer ás reuniões, você pode participar do grupo virtual, que reune estas pessoas, e de outros estados, na NET.
Se acha que isto pode lhe ajudar, não fique constrangido em aparecer, são homens na mesma situaçaõ que você!


13 comentários:

  1. Olá, tudo bem ?
    Eu estava mesmo esperando essa primeira reunião do ano. Mas parece incrível q as datas sempre coincidem com compromissos meus. Imagine q nesse sabado será o niver do Binho e temo novamente ñ poder comparecer. Vc sabe o tempo de duração dessas reuniões no sabádo ? Mesmo assim vou me increver... Também fiquei interessado nessa possivel participação virtual no grupo, como faço para me inscrever ?
    Desculpe tanta pergunta.
    Obrigado pela informação.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  2. Anônimo6:28 PM

    Olá Di
    Se quer participar entre em contato por meu e-mail que eu te oriento pessoalmente.
    Abços, Vera

    ResponderExcluir
  3. que bom!!! a expectativa pela reunião tá grande! estarei lá, e graças a você, caríssimo! muito obrigado! espero que muitos outros possam saber do grupo pelo seu blog, que possamos aumentar essa troca de experiências. afinal, a gente é muito legal! rsrs
    grande abraço!

    ResponderExcluir
  4. Parabéns pela iniciativa !!! Abraços

    ResponderExcluir
  5. grupos de apoio sempre sao algo interessante...

    ResponderExcluir
  6. Gisele Muller9:35 PM

    Olá amigo blogueiro!
    Algum tempo atrás vc fez uma visita no meu blog e passei aqui para conhecer o seu. Aproveito para parabenizar por suas intensões, inicitivas e informações,é disso que o mundo precisa. Continuem assim!!

    Bjsssssssssssssssssss

    ResponderExcluir
  7. Anônimo9:37 PM

    Ah...caso não se lembre, meu blog é www.modaeestiloonline.blogspot.com

    Bjssssssssssssss

    Gisele Muller

    ResponderExcluir
  8. Bom seria se estivesse outras dessa forma. ÓTIMO1

    Vamos conversar sobre Paixão?
    VEM!!!

    http://www.pulchro.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  9. Ex-esposa sofrida1:16 AM

    Fui casada com um homem gay. Tive a certeza junto com a AIDS, nele. Foi muito doloroso. Além da descoberta, o medo de ter contraído a doença, ou minha filha. Hoje sei o quanto é difícil este conflito no ser humano. Mas é muito difícil se ver casada com uma pessoa assim. Seria tão bom que as pessoas pudessem se assumir. Sofreriam menos e também evitariam determinadas situações dolorosas.
    Penso até que contrair a doença, foi uma forma de punição, pela não aceitação. Pois sabia que era necessário se prevenir.
    No mas, mesmo com sequelas da minha vivência, compreendo aqueles que passam por isso. Lutem para conseguirem se aceitar. Lutem por seus direitos. Lutem para viverem com dignidade. E principalmente respeitem a si mesmo. Para poderem respeitar o próximo. Aqueles que ainda não se assumiram, não se escondam num casamento tradicional.
    Vivam. E não matem o próximo.

    ResponderExcluir
  10. Nossa forte o testemunho anterior ein, fiquei ate meio sem palavras agora....
    Bem estou dando um pulo aqui no seu blog!
    Quero participar de algum grupo, mas como ainda nao sou pai gay espero que haja outros grupos, quem sabem universitário gay?
    Vc sabe de outros movimentos?
    Abçs
    Calvin

    ResponderExcluir
  11. Anônimo1:02 PM

    Olá !!!
    Meu nome é José Roberto tenho 31 anos.
    Já fui casado com uma mulher anteriormente, desta relação nasceu minha filha Gabi, me separei, tenho uma união estavel registrada em cartorio, eu e meu companheiro vivemos feliz, pois em maio de 2007 eu consegui na justiça a guarda da minha filha de 7 anos.
    Hoje sabemos que a felicidade é maior ainda quando temos nossos filhos próximos de nós.
    Quando me separei ouvi do juiz que a sociedade não estava preparada para ver um pai gay com seu filho, porem depois de 4 anos entrei na justiça e provei que minha filha estaria melhor comigo do que com a ex esposa. Depois de tres laudo indicando que o melhor pra minha filha era estar junto ao pai, e naõ tiveram duvidas alguma.
    Isso sim que é Felicidade ==> conseguir o mesmo direito que os pais heteros tem. Pois somos todos iguais perante a "Lei" .
    Abraços

    ResponderExcluir
  12. Bem, sou mulher tenho um filho fruto de uma noite de bebedeira de carnaval, mas enfim. Hoje sou casa com uma mulher e juntas criamos o nosso filho. O meu filho não tem pai, nem no registro dele, o cara simplesmente sumiu mas sabe que ele existe. O meu filho tem 2 anos e meio e agora começou a falar a palavra pai, ou papai. Não sei como fazer. Sóestou escrevendo isso aqui porque talvez vcs já passaram por algo parecido só que de forma contrária. Gostaria de uma opinião de como agir nessas horas. Obrigada!!!

    ResponderExcluir

Obrigado por seu comentário! Assim que possível lhe dou um retorno!