18 de setembro de 2006

Homossexuais e Política

Bom, sei que este é um assunto "deveras" dificil de engolir. Que tal um engov antes de ler o post?
Toda semana percebemos que o que os "eleitos" chamam de política os eleitores chamam de outras coisas, muitas delas inpublicáveis num blog "familia" como este (risos).
Mas ai vem a questão, votar ou não em candidatos homossexuais? Ou será melhor votar em candidatos que não sejam homossexuais (muitas vezes com mais chances de serem eleitos) mas com plataformas que defendam abertamente as questões homossexuais?
Ou será melhor não votar em "P----" nenhuma?

Acho que as 3 "orientações eleitorais" - não se pode falar em "opção" que não é politicamente correto - tem boas justificativas.
O que muita gente reclama é que os candidatos abertamente homossexuais são, como diríamos, exóticos... De cabeça me lembro da Salete Campari, do Clodovil, da Zuba bodypiercer, e do Léo Aquila, que são, cada uma seu modo, deveras ...como disse..."exóticos"!

Muitas pessoas, aliás uma grande maioria, não se sentem representados por estas pessoas, principalmente por sua imagem corporal alternativa e, em especial no caso do Clodovil, por seu discurso tresloucado (aliás nem sei se ele pode ser considerado candidato dos homossexuais, uma vez que ele nem aprova o casamento nem a adoção por homossexuais).
A maioria preferiria votar num gay ou numa lésbica "sérios" e "distintos", onde não corressemos o risco de nos envergonhar nos plenários estaduais e federeais, por nosso "nobre deputado" aparecer vestido de rosa nas sessões ou ser pego fazendo um "banheiron" no salão verde. (risos preconceituosos!!!)
Eu, á principio até concordava com isto, tanto que na última eleição trabalhei ativamente para tentar ajudar a eleger o Advogado Fernando Quaresma, que era uma pessoa neste perfil, distinto, militante, formado, abertamente homossexual...e nunca usava rosa (risos)!
Mas eu revi este meu conceito e este ano vou votar num destes candidatos mais "coloridos" (pelo amor de Deus, não ponham dois ELLES neste meu colorido!).
Acho que se eu quero que a diversidade seja aceita eu também tenho que praticar esta diversidade, se eu não conseguir aceitar que a Salete e o Leo fazem parte da comunidade homossexual tal como eu, como eu posso achar que as coisas vão realmente mudar, ou será que apenas os homossexuais "discretos" merecem ser aceitos?
Se é isto porque os "finos e discretos e educados e de bom gosto e preparados" não se candidatam? Para não dar a cara a tapa como o Quaresma fez? Ou porque acham que "isto não é comigo"?
Mesmo com alguns achando que os "folcloricos" não estão preparados, não tem cultura suficiente, nem uma militância mais arraigada, nem um trabalho social relevante, coisas que eu até concordo. Concordo que estas pessoas, se eleitas, podem ser devoradas pela máquina da corrupção e da burrocracia.
Mas por outro lado eu sinto que eles podem dar uma visibilidade única mesmo que diferente do que eu gostaria, para a conquista de nossos direitos.
Sei que o congresso e a assembléia legislativa estão uma esculhambação, mas pode ter certeza que não estou querendo esculhambar mais ainda defendendo a candidatura destas pessoas, acredito na importância do legislativo, e acredito que estas pessoas podem, apenas com sua presença, mudar muita coisa. Sem necessariamente melar o jogo de "nos mostrarmos NORMAIS e sermos aceitos aos poucos" que a maioria de nós, inclusive eu, prefere seguir...
Então é isto, vote nos candidatos gays, lesbicas, trans, transformista, enrustido ou assumido de sua preferência, mas vamos tentar mudar o que precisa ser mudado, pelo bem dos jovens, de nossos filhos e pelas gerações vindouras...


4 comentários:

  1. Estava sentindo falta dos seus textos!

    Realmente esse foi um pouco dificil. Vou refletir melhor pra comentar depois.
    bjs1

    ResponderExcluir
  2. Anônimo11:11 PM

    bem este texto nos faz pensar duas tres , quatro vezes
    com tanta roubalheira, corrupção , desde que me entendo por gente sempre foi, e que nunca dei atenção a politica , mas vale a epna pensar um pouco mais, porque a mudança depende a principio de nos mesmos, bom texto.
    dandar del tombo

    ResponderExcluir
  3. Quase eu ouvi de fundo palavras de ordem e coisas como: "é isso mesmo companheiro" (risos). Deixando de lado o sarcasmo. Não está longe da razão você dizer que os, usando o seu termo, "exóticos" poderiam representar um grande avanço para a própria mentalidade sobre a homosssexualidade. Mas não posso deixar de pensar que o aspecto político só representa uma fração do quê normalmente se age diante do meio gay. Difícil você achar alguém que vai gostar de, usando um termo do meio, "uma pintosa". Parece que todo homossexual tem por sonho encontrar um hetero que o faça feliz. Na política, tema desse seu post, não é diferente. Querem uma representação mais masculina do quê feminina.

    Só me questiono se há uma validade por si só deles entrarem no meio da política. Não duvido da capacidade adminsitrativo, creio que falta quase tudo, até jogo de cintura para lidar com coisas, que fora do meio político, podem deixar qualquer demônio das fraudulências infernais envergonhado. O que quero dizer que pessoas como Milton Cunha, carnavalesco, historiador e inteligentíssimo, não disputam nenhum cargo político. Talvez a obviedade da resposta possa assustar aos menos púdicos: eles são espertos suficientes para não entrarem nessa cilada.

    P.S.: Obrigado por visitar farawayland e comentar.

    ResponderExcluir
  4. Listagem Oficial d@s Canditad@s GLBTTs e Aliad@s

    http://www.permitido.com.br/eleicoes2006/

    ResponderExcluir

Obrigado por seu comentário! Assim que possível lhe dou um retorno!