1 de dezembro de 2007

fale com as crianças sobre o pum, o cocô e o pipi!

hoje, 1 de dezembro, é o dia mundial de luta contra a AIDS, e os últimos prognósticos não são nada animadores, as pessoas continuam contraindo a doença, e mesmo que os homossexuais não sejam mais o tal "grupo de risco" a doença não retrocede, mesmo porque só foram inventados medicamentos paliativos até agora.
o ridículo que se mostrava quando os governos e campanhas insistiam em falar de "grupo de risco", apontando dedos para os homossexuais, mostra agora seus resultados, o maior número de infectados, inverteu-se, agora está entre as mulheres heterossexuais, que estavam fora do tal grupo de risco...

em paralelo, na mesma semana, foi divulgada uma pesqusa que diz que 56% dos jovens não fala sobre sexo com seus pais e mais de 40% afirma não usar preservativo.
noticias estonteantes não?

mas uma coisa que pode ser feita, penso eu, que é fazer os adultos falarem mais com as crianças sobre pum, sobre cocô, sobre xixi...é sério!

mas o que isto tem a ver? tem a ver com falar sobre sexo com as crianças, tem a ver com falar abertamente, tem a ver com criar um canal de comunicação com o lúdico, com o novo, com a curiosiadade.
o primeiro contato da criança com a sexualidade é o contato com seu próprio corpo, em especial com as partes "escondidas", que só são vistas e manipuladas no banho.
ao mesmo tempo a criança começa a ser castrada, que soltar pum é feio, que falar de cocô e xixi é feio, que ficar pelado é feio, que os outros pelados estão errados, que mexer no pipi, na xoxota, é errado.
ai a associação é automática, o que está "dentro das calças" deve ser escondido, não deve ser falado...e ai as crianças se sentem tolhidas em falar sobre suas dúvdas, tem medo que suas perguntas sejam reprimidas, castigadas, tem medo de aborrecer o papai ou a mamãe com um comportamento inadequado.
mesmo que os pais mandem a mensagem verbal "você pode falar comigo sobre o que quiser", subliminarmente eles estão dizendo "desde que não seja sobre coisas feias!" com suas atitudes e castrações.
para melhorarmos a questão da aids, para protegermos as futuras gerações, temos que falar com elas sobre sexo, falar que transar com camisinha é bom (e não como chupar bala com papel), falar com as crianças de maneira natural sobre o corpo, sobre o que temos dentro de nosso corpo e o quanto ele deve ser cuidado.
e se ela soltar um pum, ou fizer uma piada escatológica, antes de reprimi-la, ria! provavelmente foi engraçado, e isto vai fazer você se aproximar muito mais dela do que com a repreensão!
depois que rir, que achar bonitinho, explique para a criança que na sua frente ela pode fazer e falar tudo, mas que em alguns lugares as pessoas ficam enbaraçadas e envergonhadas e que ela deve evitar...tenho certeza que ela vai entender.
não se preocupe, fazendo isto vc não está criando nenhum monstro escatológico, só um adulto mais próximo de você, com mais um canal para conversar, e quem sabe toda uma nova geração que não fique doente de bobeira!

13 comentários:

  1. Nossa...Que ensinamento fantástico!!! Com certeza você deve ser um exemplo de Pai, claro com seus defeitos e suas limitações, mas isso que escreveu é de fato uma coisa bastante importante...deveria ser divulgada e expostas para todos lerem...
    Muito bom o post!! Visitarei muito aqui..rs
    E enquanto a amizades é mais fácil ter uma ou outra que seja verdadeira do que várias sem contúdo nenhum!!!
    Abração

    ResponderExcluir
  2. Rafa D - http://discussaoglbt.zip.net/5:44 AM

    Parabéns pelo maravilhoso blog! Coloquei entre meus favoritos! Muito bom mesmo!

    ResponderExcluir
  3. Excelente blog. Os textos são lépidos, didáticos, bem fundamentados e informativos. Essa sua postagem me lembrou bastante Foucault.

    Sabe, fui evangélico por 06 anos e, depois de tanto tempo, concluí que os altos índices de gravidez nas igrejas protestantes advêm da falta de diálogo e na intensa "castração" das coisas relacionadas a sexo, sexualidade e corpo.

    ResponderExcluir
  4. caríssimo, adorei esta postagem! é isso aí, é preciso desmistificar o corpo, deixar as crianças crescerem sem neuras puritanas. procuro sempre fazer isso com meu pequerrucho! grande abraço, você já sabe que sou fã de carteirinha do seu blog.

    ResponderExcluir
  5. Belíssimo....adorei seu post. Com isso percebo que a educação também é libertadora dos dogmas e preconceitos que cada geração herda de seus pais. Um forte abraço e sorte.

    SW

    ResponderExcluir
  6. Boa noite companheiro, obrigado pelo comentário em meu blog...estou mesmo precisando conhecer pessoas que já caminharam um pouco a mais que eu.

    Abraços

    SW

    ResponderExcluir
  7. Muito bem explicado, também tento sempre esse canal de comunicação com meus filhos. Pena que pessoas da nossa sociedade(a maioria mesmo que precisa saber disso) não tem acesso a esse tipo de comunicação que são os blogs como o seu.
    Abraços

    ResponderExcluir
  8. sinceridade é sempre a melhor política né?

    ResponderExcluir
  9. Olá! obrigado por passar lá... as vezes tenho que me estapear para me manter acordado!

    ResponderExcluir
  10. Concordo com você! As pessoas devem falar sem medo sobre sexualidade, e desde cedo este canal tem que ser transparente.

    ResponderExcluir
  11. Muito pertinente o comentário. Se minha educação fosse com toda esta clareza eu não teria picuinhas com relação e sexualidade e teria ganhado mais com relacionamentos sinceros e firmes por consequência.

    ResponderExcluir
  12. Concordo.
    Tem que ser sem medo.
    http://www.pulchro.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  13. Sem palavras pra expressar o quanto eu aprendo com vc...

    ResponderExcluir

Obrigado por seu comentário! Assim que possível lhe dou um retorno!