5 de junho de 2015

Ainda precisa?




Eu sou um dos que apoiam a existência da PARADA GAY!
Eu não fui na primeira parada, nem na segunda, minha primeira vez na parada foi na terceira, em 98 acho eu, que comparada com o tamanho de hoje (com 1 milhão e tra-la-la de pessoas) não tinha quase ninguém, acho que umas 20 mil pessoas,  mas mesmo assim ela fez grande estardalhaço... e ali em frente ao Masp ficou muito cheio! 
Depois eu participei de várias outras, já com minha filha, e em dois anos seguidos desfilei com o Grupo FALT, com nossos cartazes e faixas, dando visibilidade ás famílias LGBT. 
Nos últimos anos, por pura preguiça, e por não gostar de muita muvuca (tipo 1.800.00 pessoas), eu tenho participado de outras atividades da semana do orgulho gay, filmes e peças que sempre passam nestes dias, lançamentos de livros, a feira cultural do Anhangabaú - que esta ano estava super bem organizada - e outras coisas. Quando a parada tinha 20 mil, UM fazia a diferença, com 2 milhões UM não faz! rsrsrs

Eu sei que tem muita gente que acha que só tem "putaria" e que só mostram os gays estereotipados (barbies e drags). Tem gente que acha que ela perdeu sua importância por ser gigante, e gente que acha que ela devia ser mais politizada. Tem gente que fala que um dia só não muda nada! Tem gente que fala que a Associação da Parada é um trampolim politico...

Concordo, concordo e concordo com todos estes argumentos! Mas eu acho que eles são pequenos em função do grande serviço que a parada prestou, e ainda presta, á sociedade. Que serviço?
Foi sem dúvida graças ao gigantismo da parada que ganhamos visibilidade, até mesmo para poder falar que as drags e travestis são apenas UMA PARTE da comunidade LGBT. 
Foi através desta parada gigante que muitos rapazes e moças de São Paulo e arredores (mais de 70% dos presentes é de São Paulo segundo as pesquisas)  puderam perceber que não estão sozinhos no mundo, que não são esquisitos, que não são errados. 
Foi por São Paulo ter esta parada gigantesca que outras cidades, muito além das grandes capitais, passaram a ter suas paradas, para mostrar que também tem diversidade sexual em suas cidades eventualmente "atrasadas" e "tradicionais". 
Foi com todas estas paradas que os órgãos públicos, municipais, estaduais, federais, tiveram que dialogar com a comunidade LGBT, reservar verbas, interditar ruas, treinar seus interlocutores, seus policiais, a interagir "obrigatoriamente" com este grupo. 
Foi com a parada gigante que o comércio, os hotéis, perceberam que existimos e que voltamos para as cidades não só no dia da parada. Nada é para um dia só! Eu não tenho duvida que muitas pessoas vem passar a semana em SP e gastam em  muitos lugares, não só em lugares gays .
...se bem que eu sei que tem aqueles que se "internam" numa sauna por uma semana! rsrsrs
E se você não está feliz com o serviço da APOGLBT, dos quais eu não tenho procuração para defender, eu sugiro que você procure se envolver, ajudar, porque montar todo este circo, sem recursos, sem apoio geral da sociedade, tem muito mais cara de MISSÃO que de AMBIÇÃO! Eu, que participei um pouco da organização das primeiras, posso testemunhar! É uma obra para Odisseu!

Então, já sabe, domingo é dia de Desfile da Ditadura Gayzista! Vamos mostrar nossas armas! rsrsr

E você? Apoia a existência da PARADA? Você vai?

21 comentários:

  1. Perfeito, VOU SER SEMPRE ASSIM. Participei de várias paradas aí em SP, a maioria delas, tb comecei em 1998 .. enfim ... gosto das propostas reivindicatórias e gosto tb da festa ... Hoje ele cresceu por demais e isto é bom por um lado mas me afugentou do evento ... 3 anos q não vou mas o evento continua valendo.

    Beijão

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. que legal Bratz! estavamos juntos lá nos anos 80? It´s a very very small wolrd ! E na de BH costuma ir?

      Excluir
  2. Peloamordedeus....
    Explica para essa anta aqui o que é uma comunidade LGBT!
    E depois disso explica o que é UMA parte dessa comunidade por favor!!!
    A idade está me transformando em um nécio!!!!
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ó jovem amigo néscio! Primeiro a boa notícia! Você não é um néscio, pois na acepção da palavra o néscio é néscio justa mente por não saber que não sabe! Então, desta você escapou!
      No meu texto quando me refiro a COMUNIDADE LGBT estou me referindo a todas as pessoas que se identificam com a sigla, mas, muito mais, com todas as pessoas que de certa forma tem que "explicar" sua sexualidade ou seus desejos para uma sociedade cheia de caixinhas. É claro que muita gente não se sente parte desta comunidade, e quanto á isto não há nenhum demérito, pois muitos negros não se sentem parte da comunidade negra, muitos japas não se sentem parte dos orientais e muito soteropolitano não se sente sente parte do nordeste!
      Entendido o que quero dizer com comunidade entender o que quero dizer com UMA PARTE fica fácil... pois quando sugiro colocar numa grande caixa as pessoas que estão em cada uma das caixinhas das letrinhas é uma parte formando um conjunto.. se bem me lembro das aulas da professora Aparecida lá nos idos de 1969....
      Mas, como vc, também tenho meus momentos ANTA, e pode ser que tudo isto que acho que sei sejam "neoscisces"!
      Pelo pouco que lhe conheço - e que lhe admiro - suas perguntas então inseridas nos espírito Abujanra de ser, o das deliciosas provocações, e por isto, mais ainda, o admiro.
      E, usando a Xuxa que habita em todos nós... beijinho beijinho tchau tchau

      Excluir
    2. Baixinho militante,

      Realmente a sociedade é cheia de caixinhas....
      Aliás tem tanta caixinha na sua resposta que quase me senti dentro de um jogo de TETRIS!
      Fiquei me perguntando o quanto tentamos e precisamos nos enCAIXAr para sermos vistos. Fiquei me perguntando o quanto temos que nos encaixotar para sermos aceitos por nós mesmos. ...... O pior de tudo....fiquei me perguntando o quanto uma "comunidade" LGBT não nos coloca dentro de uma outra grande CAIXA ( mais uma , meu Deus!!)...
      O mais engraçado é perceber que ao invés de nos unirmos pelo que realmente constitui uma comunidade ( aspectos COMUNS entre indivíduos de um grupo ), criamos uma outra caixa com INTERESSES diversos mascarados de "comunidade" em uma tentativa "alegre" como as cores do arco-íris para nos impor goela a baixo para uma sociedade que nos rejeitou.
      Sabe o que a "comunidade" LGBT tem realmente em comum?
      Uma raiva descomunal que vai fazer que fiquemos cada vez mais separados por caixas e mais caixas.
      Estamos unidos na parada da raiva arco-íris. Respeite-me nem que seja à força!!!!
      Sabe o que nós éramos no passado?
      Um "guetinho".
      Agora somos um "guetão".
      Bela conquista!!!!!!!!

      E lá vamos nós, como você disse, para mais um "Desfile da Ditadura Gayzista"

      Mostrem suas armas que os tempos são de guerra travestido de "comunidade".

      Excluir
    3. Mr. Joseph, acho que entendo o que quis dizer. Eu tenho uma visão mais otimista da comunidade, vejo muita gente, em muitos grupos, lutando para poderem sair de dentro das caixinhas e serem apenas quem são, gente séria, gente com princípios, gente que além de viver bem quer ajudar outros a viverem melhor. Provavelmente vc é uma pessoa que estuda e conhece mais que eu sobre isto, sobre toda a questão da "teoria queer", o pouco que posso falar é do que sinto, do que presenciei, das pessoas que conheci. Oxalá um dia possamos todos prescindir das caixinhas, prescindir dos guetos! beijo!

      Excluir
    4. HHP,
      Tenho certeza que tanto eu quanto você conhecemos pessoas que procuram ajudar a resgatar e manter o melhor que o ser humano possui! a sua história pessoal e a minha são provas disso! Porém esse desejo pela manutenção do significado do amor está muito além do fato de nós dois sermos gays!
      Guardo no coração todos que acreditam e vivenciam esse desejo. São pessoas que realmente fazem parte de uma comunidade (crenças comuns) independente de uma expressão sexual!
      Bjs

      Excluir
    5. Sem Duvida José! tem gente boa - e gente que não presta - em todas as caixinhas... menos na caixinha dos homofóbicos! lá todos são imprestáveis! rsrsr

      Excluir
  3. Acho que participar na parada é sempre importante porque mais e unidos fazemo-nos ouvir melhor.
    A nossa realidade não tem tantos participantes, até porque quase 2 milhões de pessoas seriam quase todos os habitantes de Lisboa, mas temos aumentado a cada ano que passa.
    No próximo dia 27 temos mais uma e se não for à parada quero ver se vou à festa de seguida (pela noite fora!!)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Participar da festa também está valendo! rsrsr

      Excluir
    2. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

      Excluir
    3. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

      Excluir
  4. Eu nunca fui na Parada... geralmente quando estava trabalhando em SP era um feriado "bom" para poder viajar para casa e assim nunca houve nenhum motivo extraordinário para não ir. Bem verdade que não sou lá o fã número 1 de muvucas, mas... iria de boa!

    Seu texto é irretocável, prós e contras estão descritos ali e eu acho que precisa sim haver a Parada, acredito que precisa haver uma luta para que ela não se desvirtue (muito) dos propósitos e merecemos ter um dia para ser vistos! #chupaSociedade ;-)

    Fiquei pensando que barato seria ter um "bloco" dos blogueiros, já pensou?! Quem sabe... kkkk

    Grande abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Um bloco de blogueiros? interessante ideia! Quem sbe durante o ano promovemos alguns encontros e no ano que vem desembocamos no tal bloco! abs

      Excluir
  5. Acho super importante a Parada Gay, seus argumentos a favor são os mesmos que os meus.

    Eu não vou já faz 4 anos, sempre curti a Parada, mas começou a ficar mto lotada, tumultuada, nem mijar e beber água dava direito, e notei alguns partidos políticos se infiltrando nela apenas pra ganhar votos, que dei um tempo de ir.

    A semana pre parada é super divertida e depois o mais legal na dispersão da Parada la pelas 16 hrs é ficar na frei caneca até bem tarde nos barzinhos e pegar alguma baladinha, pessoal ta a mil kkkk.

    Nesse ano eu queria ir de mulher gato, problema que não tenho a roupa completa e mudei de sp, então irei como um humano normal sem super poderes.
    1abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sabe o que me disseram Fabricio, agora á pouco, que a parada nao estava cheia! Quem sabe o ano que vem possamos ir sem o tumulto! abs E vc vai de mulheeeeeerrrrrr gato! rsrs

      Excluir
  6. Nunca foi mas eu apoio!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. devi experimentar uma vez Paulo, é muito divertido!

      Excluir
  7. Também nunca fui, não tenho grande vontade e olha que sou de São Paulo. Milhões de pessoas também me dá muita preguiça. Mas sempre estamos por aí para uma ajuda social diariamente... :p

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que estamos começando a fazer falta três egos... este ano só foram 20 mil pessoas na parada!

      Excluir
  8. Diferente da sua fala, quando galera vem com esses "argumentos", eu discordo, discordo e discordo de todos!

    1) "Só tem "putaria" e que só mostram os gays estereotipados (barbies e drags)": quem vai à paradas LGBTs sabe que isso tá longe da realidade e que isso é o que rende notícia (bem diferente de ser o que predomina). E, mesmo que não fosse, quem faz a parada são os PRESENTES. Tá insatisfeito com a cara da Parada? Só com a sua presença (e pessoas semelhantes a vc) é que a parada "muda de cara"...

    2) "Perdeu sua importância por ser gigante": quem disse que quantidade está relacionada com qualidade? Para algumas "letrinhas" do movimento LGBT, ainda falta muita visibilidade e só algo gigante pode quebrar a cegueira da sociedade...

    3) "ela devia ser mais politizada": bem, a Parada fez e ainda faz os governos nos olharem e descobrir nossas demandas. Ela é composta por cartazes e outras formas de protesto contra as violências que sofremos. Ela empodera pessoas excluídas da sociedade e permite que, mesmo que seja só por um dia, uma minoria esteja protagonizando o maior evento daquela sociedade. como ser mais politizada que isso? Quem pensa que deveria ter discursos politizados vindos dos carr0os de som não é professor e, poir isso, não sabe que a eficiência da aprendizagem diminui quanto mais se aumenta a turma (ou alguém consegue dar aulas de qualidade pra milhões de pessoas ao mesmo tempo?)...

    ResponderExcluir

Obrigado por seu comentário! Assim que possível lhe dou um retorno!