3 de junho de 2015

Eu não estou preparada!

Outro dia estava conversando com minha filha e ela comentava que tem vários colegas que acham estranho ela ter avó, pois muitos não tem mais avós vivos , e ela me disse:

- eu já estou preparada para o dia que a vovó morrer!
- porque você diz isto querida?
- eu nunca perdi ninguém próximo, eu não sei como é...
- e porque você pensa nisso?
- porque eu sei que ela é mais velha e que vai morrer antes das outras pessoas.
- e como você acha que vai ser?
- eu acho que eu vou sofrer bastante, que vou sentir muita saudade, mas que eu vou saber superar sem demorar muito.
- que bom que pensa assim, saudade não é uma coisa ruim.
- mas só uma coisa - disse olhando para mim bem séria - eu não estou preparada para o dia que VOCÊ morrer ok, faz favor de demorar bastante!

Além de ser uma linda declaração de amor - pelo menos entendi assim - ela levanta a questão das perdas...
Resultado de imagem para saudade
Eu acho que eu lido bem com a morte, eu sofro, sinto saudade, choro muitos dias, e sinto saudade por muito tempo... mas eu consigo ver como natural, como um fato inexorável. Sempre é mais difícil quando é algo repentino... ou uma pessoa mais jovem. Minha tia, irmã de minha mãe, a quem era muito ligado, morreu repentinamente aos 38 anos de ataque do coração, eu tive uma amiga, no colegial, que se suicidou aos 17... estas coisas são difíceis de entender as vezes...
Mas é muito difícil explicar para as crianças, para os filhos, sobre isto... alias, é uma coisa que e só podemos entender quando passamos por isto...
E por coincidência eu li o texto que o Gera escreveu sobre o amigo que faleceu aos 40 anos.. muito triste!

E você? Lida bem com a morte?

6 comentários:

  1. Com a morte dos outros eu sofro muito, choro, fico triste, e demoro me recompor mas sem perder a noção da realidade. Sofri pacas com a perda de meu Pai, de uma Irmã e principalmente de minha Mãe.
    Com a minha eu lido razoávelmente bem, tenho noção de q isto é um fato inexorável e qdo chegar acho q estarei bem para encará-la. Tenho muito medo é do sofrimento físico. Por isto tenho até registrado em cartório meu desejo final negando a possibilidade de qualquer tratamento paleativo e protelatório de minha vida qdo não houver mais experanças concretas.

    Beijão

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. eu tb ja tenho estas coisas avisadas, aliás é um acordo que todos temos em familia, com mãe, com irmãos, e ja tive que tomar esta decisão duas vezes...

      Excluir
  2. Lidar com a morte nunca é fácil!
    Morte é sempre vivida como uma forma de abandono, seja morte física ou morte em vida!
    Sobreviver à morte está diretamente relacionado com a quantidade de amor que nos resta em vida!
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lindo Jose Antonio... eu acho que ainda tenho muito amor em vida, pois sempre tenho superado bem as mortes! abraços beijos

      Excluir
  3. Então... super entendo tua filha... minha primeira perda significativa foi meu avô, quando eu tinha 7 anos... depois se seguiram longos anos de calmaria e a pouco mais de 5 anos comecei a ser lembrado da existência dessa "jovem senhora" ;-)

    Minha avó se foi a 4 anos...
    Foi meio que um choque, boquiaberto, me lembro que me levantei e sentei umas 10x na minha sala sem saber ao certo o que fazia... até que "eu" me arrumo, mas sinto pelas pessoas ao redor...

    É sempre muito momento muito delicado e acredito que nessa hora, a família, as pessoas que nós amamos são muitos importantes para que todos possam passar.

    Abração!

    ResponderExcluir
  4. Eu lido bem com a morte. Já tô bem treinado com várias oportunidades que tive de enfrentá-la...

    ResponderExcluir

Obrigado por seu comentário! Assim que possível lhe dou um retorno!