9 de abril de 2017

machismo, homossexualidade e fidelidade

Nenhum texto alternativo automático disponível.Esta semana eu participei de uma reunião do Grupo HOMOPATER que discutia principalmente a questão da Fidelidade, e de como isso se relaciona com a questão da masculinidade e dos relacionamentos homoafetivos.
Foi uma conversa muito interessante, e a conclusão final (segundo eu entendi) foi de que a fidelidade é muito mais relacionada a um "combinado" que se faz com a pessoa, pois podem existir tipos e conceitos diferentes de fidelidade (e infidelidade). Falou-se também que a fidelidade pode ter um forte componente nas tradições, em especial religiosas e que de certa forma a fidelidade não seria "natural".
Aqueles papos de que o amor romantico foi inventado no século XIX, que o casamento é uma instituição religiosa cristã e que os gays não precisam seguir isso, que numa relação entre dois homens é muito diferente que duas mulheres... tantos argumentos!

Todos tinham histórias para contar sobre o fato das pessoas serem naturalmente infiéis: "acho impossível passar a vida toda sem querer transar com ninguém mais", " as minhas amigas todas traem seus maridos", "não tem como ser fiel",  "meu amigo só descobriu que o marido o traia quando ele morreu de HIV". Ai se falou muito mais em Traição, do que de infidelidade.
Em função disso a fala de alguns presentes que vivenciam, ou vivenciaram, relacionamentos abertos, em que de uma forma ou de outra - dentro de alguns "combinados" - se podia transar ( mas não se relacionar) com outras pessoas, também teve seu peso durante a reunião mas o que eu pude perceber é que não havia fidelidade sexual, mas havia fidelidade emocional.

Sempre que surgem essas conversas sobre relacionamentos abertos - que todos afirmam serem super fáceis de administrar e muito mais naturais devido ao grande apego que os homens gays tem ao sexo - parece que quem acha que tem um bom relacionamento monogâmico está "mentindo" ou "aprisionado nas convenções pequeno burguesas", e normalmente recebe-se um certo olhar do tipo "você deve estar mentindo, com certeza vc pula a cerca".
Num determinado momento da reunião eu pedi a palavra para questionar um dos homens que vive um relacionamento aberto com seu companheiro há mais de 15 anos: " Quer dizer que se eu falar para o meu companheiro - vou fazer café para assistirmos o Masterchef juntos - e ele me responder que vai sair para transar - só transar como foi combinado - com alguém, porque acha Masterchef chato, eu tenho que achar normal e bom para o relacionamento aberto que combinei com ele?"
Sério? Sério que nem posso ficar chateado? Desculpe.

E ainda completei - "Onde vcs acham caras para transar sem compromisso? Vcs mantem o GRINDER nos seus telefones? ou vocês ficam caçando o tempo todo? Vão a saunas e boataes com essa intenção?" - o que deixou o cara meio chocado com minha caretice...
Ele me disse que encontra gente em qualquer lugar... que não é difícil ... o que me fez sentir que eu sou muito ruim de cantada porque quando eu estava solteiro eu não achava gente para sair sem procurar, ás vezes procurar bastante. Acho então que gente ruim de cantada não pode ter relacionamento aberto! kkkk
Para mim, para você encontrar alguém, nem que seja só para transar, denota um certo esforço, ficar ligado, estar disponível para isso... caçar mesmo... mas se vc se esforça para procurar outros caras, porque não se esforçar para ficar com o seu? Especialmente porque há o tal combinado de "fidelidade emocional"?  E é um esquema todo cheio de regras, o cara pode vir transar na sua casa, mas não pode ficar para jantar, nem dormir... é só sexo e tal ( se tem tanta regrinha, para que não atrapalhe o relacionamento, porque não seguir as regrinhas da monogamia?)... tudo para não se envolver emocionalmente
Até em deles, que vive uma relação aberta, relatou que num determinado momento, acabou se envolvendo com uma pessoa emocionalmente, e que isso quase acabou com seu casamento - ou outra trabalheira emocional...

Resultado de imagem para cadeadoMas não era só eu que tinha feito a opção por um relacionamento monogâmico, outros disseram que não tem intenção de abrir seus relacionamentos e que preferem ter uma pessoa só. O que me deixou me sentindo bem "normal". Acho que a conclusão final é que cada um tem que escolher o modelo de relacionamento que lhe cabe melhor, o que lhe deixa feliz, e o que faz o relacionamento fluir, crescer, desenvolver.

Pessoalmente eu não tenho nada contra as pessoas que escolhem que no seu relacionamento se pode transar com outras pessoas, ou a três, também acho aceitável relacionamentos poligâmicos (3 ou mais pessoas numa relação amorosa) , porque, da mesma forma que as piadas sobre casamento gay, os relacionamentos poligâmicos não são obrigatórios, vc não é obrigado a viver um! Então deixe quem quer viver em paz!
Eu não acho a monogamia um sacrifício, nem uma convenção obrigatória pela sociedade, nem uma prisão. Não acho que sou menos homem ( como parece para alguns ) porque eu transo sempre com a mesma pessoa, porque eu não fico espalhando minha "semente viril" em outras paragens. Eu gosto de transar com quem estou me relacionando, e acho super normal administrar as diferenças de tesão, o que pode ser bem resolvido com um filminho, ou com o clássico 5x1... fidelidade não é um sacrifício.

Eu ate conseguiria administrar se o Mr. Jay, num momento qualquer, pulasse a cerca, se bem que eu prefiro nem ficar sabendo se não for nada sério, lavou está limpo! Na realidade eu até consigo me imaginar transando com uma outra pessoa num momento de fraqueza, sei lá - do mesmo jeito que meu ex fazia - sem me envolver emocionalmente... mas eu não tenho vontade disso! Acho que ambas as situações nos levariam a conversar sobre o relacionamento, ver porque estamos juntos e se ainda queremos ficar juntos - como outras situações do dia a dia podem ser motivos para pensar o relacionamento.
O relacionamento não pode ser uma coisa morta, paralisada, ele é dinâmico, em construção permanente, vamos mudando e temos que ir mudando o relacionamento. O tempo passa e as coisas não precisam ser piores por serem antigas, eles podem ser melhoradas, recicladas, se existe o amor, o compromisso o companheirismo, o carinho e planos em comum.

E para você? O que é fidelidade num relacionamento entre dois homens? Como você lida com a traição?





10 comentários:

  1. Bom, em relação a ficar chateado ou não com o que o parceiro faz, vai depender exatamente do código de fidelidade que você estabeleceu com ele:
    Se vocês combinaram que transar com outras pessoas sem compromisso não atrapalha em nada o relacionamento de vocês e está tudo bem, então está tudo bem.
    Mas se o código de relacionamento que você combinou com ele foi ´´SEXO SÓ ENTRE NÓS 2 E PONTO FINAL!!!``, aí é claro que não está tudo bem. Porque aí ele está quebrando o código que foi estabelecido.
    É por isso que quando 2 pessoas começam a sair, logo no início já têm que deixar claro uma pra outra o que elas consideram fidelidade e qual é o tipo de comportamento sexual que elas aceitam ou não.
    Sobre encontrar caras facilmente que querem transar sem compromisso, num banheiro público não é difícil encontrar. É só você ficar atento especificamente pra isso. Eu mesmo já tive várias experiências em ´banheirão`, nos shoppings, na faculdade...
    Quanto à palavra ´´traição``, ela só se aplica quando alguém está sendo enganado, certo? Se um sabe o que o outro está fazendo, não existe traição.
    Sobre achar a monogamia um sacrifício... Eu acho que um relacionamento fixo inevitavelmente envolve momentos desagradáveis. Mas o relacionamento em si não chega a ser um sacrifício. Sacrifício pra mim é aturar certas coisas que ´vêm no pacote` quando você tem um relacionamento fixo com alguém. Tipo sogra, cunhada e adjacências se metendo na minha vida.
    Isso me enfureceria e me faria terminar o relacionamento se fosse uma situação recorrente. Meu namorado transando com outra pessoa, desde que fosse dentro dos termos combinados, não me irritaria em nada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa Léo! kkkk... para vc sogra é pior que pular a cerca! ... e talvez seja mesmo! Porque o "pacotão" pode ser muito pesado se o seu namorado/marido não souber lidar... por isso tantos casais e familiais (de qq formato) acabam se isolando de suas famílias de origem.. obrigado pelo comentário e pela reflexão.... que ajuda a ampliar o assunto! abs!

      Excluir
  2. Sua experiência foi quase um "deja-vu" de um certo workshop que participei anos atrás.

    ResponderExcluir
  3. Eu não sei bem como explicar os conceitos por aqui. Acho que varia de caso para caso, né? Neste momento, eu e meu noivo estamos separados por continentes. Ele tá aí no Brasil e eu aqui em Portugal. Será assim até ao final do ano, pelo menos.

    Pelo que me conheço, sei que aguento ficar um bom tempo sem estar com ninguém. No entanto, não sou daqueles que diz "desta água não beberei". Afinal, todos somos seres humanos e podemos cair em tentação, por uma infinidade de motivos. Assim, antes dele ir embora eu disse-lhe qque se ele "pulasse a cerca", eu entenderia, desde que ele me contasse, não me escondesse as coisas. Ficou acordado que seria assim para os dois. Sei que são coisas que podem acontecer. Claro que a acontecer seja do meu lado ou do dele, ficarei triste mas tentarei acima de tudo compreender a situação e os motivos.

    Acho que quando se ama, não se pensa em trair o parceiro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. João, acho muito legal vcs terem um relacionamento tão profundo que resista á distancia e á falta de contato! Eu sou muito "chiclete" e não sei como seria! Obrigado pela visita e pelo comentário! E espero que tudo continue feliz entre vcs!

      Excluir
  4. Sempre me pergunto: O que é FIDELIDADE?
    Relacionamento sério e que vale a pena isto não existe. O verdadeiro relacionamento você bem descreveu assim:

    "O relacionamento não pode ser uma coisa morta, paralisada, ele é dinâmico, em construção permanente, vamos mudando e temos que ir mudando o relacionamento. O tempo passa e as coisas não precisam ser piores por serem antigas, eles podem ser melhoradas, recicladas, se existe o amor, o compromisso o companheirismo, o carinho e planos em comum."

    Beijão

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Bratz! quer dizer que eu "passei por inteligente" kkkkk! obrigado pelo comentario! beijo

      Excluir
  5. O que penso: o combinado não incomoda, infidelidade ao combinado sim incomoda, traiçao ao combinado sim incomoda. Ser leal a alguém ter alguem que a gente gosta de fato e que de fato gosta da gente.Poder confiar em alguém com quem a gente partilha muitas coisas da vida em comum: difíceis, boas, não tão boas...rotinas. Isso é o meu ideal fidelidade! Sexo? Sei lá, eu sabendo o que rolou e porque, não me incomodaria.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho mesmo essa uma boa definição! infidelidade ao combinado é o que incomoda! é o que perturba a relação! cada um pode fazer seu combinado! mas tem que arcar com ele!

      Excluir

Obrigado por seu comentário! Assim que possível lhe dou um retorno!