30 de junho de 2014

Existe relacionamento "desinteressado"? (concluindo)

Não! Na minha opinião não existe relacionamento "desinteressado" !
Todo relacionamento envolve um conjunto de interesses!
Todos somos "interessantes" e "interessados", todos somos "interesseiros"!
 
(este texto é uma continuação , clique AQUI para ler a primeira parte!)

adoro esta versão
da pirâmide de Maslow
acesso a internet como
necessidade humana básica!
Em minha atividade profissional eu falo muito sobre motivação, sobre o que motiva as pessoas! E sabe o que verdadeiramente motiva as pessoas?
Os seus genes!
Quando falamos em motivação estamos falando no desejo inerente que todos os organismos tem de se auto-preservar, de preservar a sua espécie, de crescer, de evoluir. O que nos motiva a trabalhar, o que nos motiva a tomar dois ônibus e enfrentar o trânsito para chegar no trabalho, o que nos motiva a nos alimentarmos, o que nos motiva a vivermos em grupo, constituirmos família, ter sucesso, ganhar dinheiro, é o nosso desejo profundo de sobreviver! Um interesse egoista e unitário! Ninguém motiva ninguém, tudo que fazemos - ou deixamos de fazer - é movido pelo nosso interesse de continuarmos existindo. Não é incrível vermos aquelas pessoas que sobrevivem e sobrepujam as condiçoes mais adversas de sáude, de miséria, das guerras, das famílias terríveis? A pessoa que entra em depressão é aquela que perdeu este interesse em continuar existindo de certa forma.
Todos somos interesseiros! Você só se envolve com o que está interessado, você só vai atrás do que lhe parece interessante! Todos somos interessantes num ou noutro aspecto! Nos  movemos porque somos interesseiros!
Quando você conhece alguém novo,  e alguém te pergunta: "- e ai como foi?", é muito comum você responder: "- é um cara muito interesante"...
Ninguém quer ficar perto de quem não lhe interessa, de gente chata e sem nenhum tipo de atrativo, mesmo que este atrativo seja só a beleza.

Ai talvez esteja uma grande armadilha do envelhecimento, de certa forma podemos acreditar que deixamos de ser "interessantes", o velho - no pior sentido da palavra - passa a achar que o único interesse que as pessoas podem ter nele é seu poder econômico, seu status, ele deixa de se achar interessante se não tem estas coisas, se não tem beleza. E talvez esta armadilha seja maior ainda entre os gays! E mesmo o "mais bem resolvido dos seres" pode ter estes pensamentos em sua cabeça!
Mesmo a relação entre pais é filhos - o tal do amor mais puro do mundo - é uma relação de interesses, temos filhos para se encaixarem em nossos interesses, em nossos projetos de vida. Nossos projetos megalômaniacos de mudar o mundo!. Os filhos só se interessam por quem lhes dá comida, abrigo, carinho, por quem lhes dá condições de sobreviver. É assim que o amor se estabelece, com a troca de interesses.
O marxismo, o qual eu discordo em algumas das interpretações mais xiitas, na sua essência é brilhante e revolucionou o pensamento humano ao explicar as trocas de valores entre as pessoas, entre os grupos, a negociação de nosso "mais valor" é a tal troca de interesses!
A palavra em inglês para juros é ... adivinhou ... INTEREST! O banco tem o maior interesse em que você pegue dinheiro emprestado!

Meu Mr. Jay é muito "interessante", eu estou muito "interessado" nele, pois ele agrega valor à minha existência, sua experiência de vida, seu esforço e vitórias pessoais, sua beleza, seu humor caustico, sua inteligência (apesar de não ganhar de mim no PERGUNTADOS -rsrsrs). Até o que poderíamos - por preconceito - considerar como defeitos, são interessantes! Eu sou mesmo um interesseiro!
E eu não tenho problema nenhum em assumir que eu sou um cara interessante! Eu sou um tiozinho gordinho que é uma gracinha! (blame on me!)
Pensar assim não me faz desacreditar nem um minuto no amor, aliás me faz acreditar no amor como uma coisa construida e não num DOM divino que alguns sentem e outros não! Só uma coisa viva e renovada constantemente, algo retroalimentado, é que poderá crescer e se manter vivo! Amamos nosso amigos pelo que eles representam para a gente não é mesmo?
 
Sim! Eu acho que é preconceito da minha parte estranhar quando eu vejo uma menina nova saindo com um cara muito mais velho (ou uma mulher mais velha), ou um rapaz bem mais novo que seu acompanhante, seja ele homem ou mulher. Mesmo eu vivenciando uma relação com diferença de idade eu consigo aceitar que as pessoas tenham um estranhamento nesta situação!  Não estou fazendo nenhum tipo de vestibular para virar Santo e posso ter preconceitos, idéias pre-estabelecidas, mêdos, cismas, manias, tiques, truques psicológicos, fantasias e todo um sortilégio de defeitos!
Para mim, algumas de nossas idéias pré-concebidas nos protegem, outras nos impedem de sermos mais abertos. Quer ver outro preconceito que eu tenho? Eu acredito que as pessoas são "intrinsecamente boas", e muita gente discorda, sempre tentando me provar que as pessoas são "intrinsecamente más"!
Tem gente que diz que este preconceito é inveja, os mais velhos criticam o velho que está com o novinho porque eles queriam ter conseguido isto - ai eles dizem: "o garoto só está com ele porque ele banca tudo, que trouxa!". Os mais novos criticam o mais novo porque dizem: "ele aguenta aquele velho porque é um interesseiro!". Ou vice-versa.
Beijinho no ombro para as "inimigas"!
 
O importante é o que fazemos com nossas ideías prévias, se as usamos para agredir as pessoas, para lhes tolher direitos e oportunidades estamos errados, se as usamos para nos conhecermos melhor e sabermos de nossos limites podemos estar no caminho acertado.

Eu não imaginei que a primeira metade do meu texto, e meu confesso estranhamento com a situação, fosse gerar tantos comentários, tantos CONCORDOS e DISCORDOS, mas eu achei a discussão muito enriquecedora. Obrigado a todos que comentaram! Não fiquei em nenhum momento chateado com o que um ou outro falou, ou criticou, podem ter certeza disto, sou dos que acredita que toda unanimidade é burra!

E para concluir, acho que a apresentação da Rita Lee na RAI - desejando "vida longa para as inimigas" - pode ajudar a mostrar como anda meu espírito nos dias de hoje! Aliás recomendo o espetáculo sobre a Rita Lee estrelado pela Mel Lisboa, divertido, animado e cheio de interpretações bombadas!
Olha a coincidência com a copa do mundo no final da apresentação! Sincronicidade?
 

10 comentários:

  1. Palmas pra você, meu amigo ! Que texto lúcido, em tempos de gente bitolada. Concordo com você em quase tudo. Não acredito em altruísmo... nem sequer na Madre Teresa. Acho que sempre esperamos algo em troca, nem que seja nos sentirmos bem em fazer algo bom ! E isso é intrinsecamente humano. Criticar por criticar, é perda de tempo e todos temos nossos princípios, que se confundem com preconceitos. Gostaria de saber quem não tem um lado totalmente escroto dentro de si. Cada ser humano tem a sua própria opinião, mas quando nos dermos conta de que o outro, na maioria das vezes, não está nem aí pro que achamos dele ( no caso do seu amigo, por exemplo ), promoveremos o desapego : Cairemos na realidade, que é o fato de que só temos o poder de aplicar nossas neuroses em nossas próprias vidas.

    Ufa, falei demais.

    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Douglas ! E vou te dizer, meu lado "escrôto" é perigosíssimo! rsrsrsr! abraços!

      Excluir
  2. Enfim esse assunto acabou não é mesmo? Bom que todos sejamos felizes.

    ResponderExcluir
  3. é, essa segunda parte era muito necessária naquele primeiro texto. Agora sim parece vc escrevendo. Que bom! Que bom!

    PS: eu queria ser interessante tb...

    ResponderExcluir
  4. Olha, apesar de todo o falatório, é bacana quando a gente tem a chance de ler coisas diferentes e poder agregar valor e conhecimento às nossas experiências.

    Por isso teu teu texto foi tão interessante! ;-)

    Grande abraço e que possamos fazer dessa uma boa semana.

    ResponderExcluir
  5. Li essa segunda parte antes da primeira.
    Muito bom os dois textos, complementares mesmo.
    No primeiro vc se expôe seu preconceito, e quem não os tem? A gente tem mas a gente nada contra eles, afinal, aprendemos muita coisa com eles, não ? Até porque, alguns preconceitos a gente nem sabe que tem, foram incluídos no pacote que somos de várias formas durante a vida.
    E claro que não há relacionamento sem interesee, no mínimo em ser feliz com quem se está. Seja ele mais velho ou não, mais rico ou não. Há inúmeras combinações de casais que a gente nem imagina e há uma variedade de gostos nesse mundo que a gente também não imagina.
    O importante mesmo é tentar, se permitir viver uma história legal !

    Muito bom ! Abraço !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelo comentário Marcos! Eu penso como você! a gente tem que se permitir, ousar, melhorar, errar, para poder acertar e ser feliz! abração!

      Excluir
  6. "o que fazemos com nossas ideías prévias, se as usamos para agredir as pessoas, para lhes tolher direitos e oportunidades estamos errados"

    Perfeito!!!! Texto delicioso!!!

    ResponderExcluir
  7. Que bom que vc gostou Gera! tem dias que a getne está mais inspirado não é? abração!

    ResponderExcluir

Obrigado por seu comentário! Assim que possível lhe dou um retorno!