11 de abril de 2016

the mother-in-law ( Parte 2 )

Esta história começa AQUI, melhor ler antes para entender o assunto.



No dia seguinte, eu entro em contato com Mr. Jay para ver como estavam as coisas, ver se ele já tinha enfrentado "as feras" e saber se estava bem:





Imaginem minha surpresa! A mulher que algum tempo antes disse que nunca mais viria para São Paulo porque o filho ia se casar, de repente estava saindo com ele para distribuir convites do casamento? Como diria o português: "o mundo deu um giro de 360 graus"!
Como eu sabia que ele estaria com ela no carro não pude ligar imediatamente para entender o que estava acontecendo... mas enviei "ordens expressas" (kkkk) para que ele me ligasse assim que possível. Quando ele finalmente me ligou, lá no fim do dia!!!! Me contou o que aconteceu:

Ele chegou, dormiu, e no dia seguinte, logo pela manhã, entregou o convite para eles, mas já dizendo algo como: "- Eu sei que vocês provavelmente não irão mas eu queria convidar vocês".  Ao que a mãe, para estupefato dele, respondeu "- Nós vamos sim, se seu pai não puder ir eu vou sozinha!"
Eu infiro que corri o risco de ficar viúvo antes de casar, pois imagino que o coração do Mr. Jay deve ter dado uma paradinha neste momento! Mas ele nem questionou... 
E não bastasse isso ela ainda foi rodar a cidade com ele distribuindo convites para os amigos e parentes, ou seja, de certa forma dando seu aval e mostrando a todos que estava apoiando a situação. O que é um passo a mais além da aceitação,  na minha opinião.
Minha primeira hipótese foi uma ação orquestrada pelo irmão mais velho dele e pela cunhada, a mãe deles havia passado vários dias com eles. Meu namorado ligou para o irmão: "Você conversou alguma coisa com a mamãe sobre meu casamento?" E o irmão do outro lado da linha "Porque? Aconteceu algo?"
Quando o Mr. Jay contou para o irmão a súbita mudança de atitude da mãe o irmão relaxou "UFA! Ainda bem, nós conversamos MUITO com ela aqui , mas ficamos quietos e nem te falamos, porque se ela não mudasse de opinião você não ficaria bravo com a gente"
Ou seja, o irmão dele, mesmo sem meu namorado ter pedido, ajudou a resolver esta situação, tomou a iniciativa mesmo se arriscando a ter alguém bravo com ele. Mas o Mr. Jay também acha que o gelo que ele deu na mãe nos últimos meses, e que talvez fez ela pensar que poderia perde-lo para sempre, deve também ter tido um peso na decisão dela. 

A situação mudou tanto, tanto, que - pasmem - a mãe do Mr. Jay veio passar o feriado da páscoa em nossa casa! Super solicita, cordata, simpática, ficou super amiga da minha filha (agora toda vez que se falam pergunta dela), Foi jantar na casa da minha mãe na quarta, fizemos uma bacalhoada na sexta para uns amigos... tudo na mais pacifica e civilizada convivência...coisa que eu, pelo histórico que conhecia, não imaginaria  que aconteceria um dia. E lembra que falei do bom filho? Neste dias ele foi lá e comprou um Smartphone para ela...

Contando tudo isso para minha amiga Vera Moris ela pensa numa outra coisa. Ela acha que a legalização das uniões, com aval do Estado, através de cartórios, com registros oficiais, muda tudo. O que antes era uma coisa escondida, sem nome, ou com nomes alternativos (como união civil, contrato de parceria) agora tem um nome, casamento civil, um nome igual ao nome que todos carregam em suas certidões. E contra isto, contra o Estado, a Lei, fica mais difícil se debater, dizer que não é válido, que não aceita. Talvez por isso, em inglês, o equivalente a sogra é "mother-in-law", mãe-pela-lei (numa tradução livrissima). Ou seja, a mãe do Mr. Jay se torna minha mãe pela lei, queira ela ou não! Somos parentes!  E a minha sogra ainda tem o cabelo parecido com o da Jane Fonda, neste filme!
Que lição tirar desta história?  Eu diria que as pessoas estão dispostas a mudar, elas podem mudar, e talvez elas só precisem de uma chance! O amor, acha um caminho!


E com você? Já passou por uma situação em que a pessoa mudou subitamente de ideia? Em que você deu o primeiro passo e veio um resultado diferente do que esperava?


18 comentários:

  1. Querido amigo, sou um tanto quanto cético com as pessoas que juram uma coisa hoje e amanhã juram outra. Penso que antes de qualquer atitude devemos parar e pensar e ver com clareza qual deve ser nosso posicionamento correto sobre as coisas.
    No presente quadro estou inteiramente com Mr. Jay e penso tb que o irmão dele fez a mamys refletir sobre a questão simples e que definitivamente pesou:

    "O gelo que ele deu na mãe nos últimos meses, e que talvez fez ela pensar que poderia perde-lo para sempre, deve também ter tido um peso na decisão dela."


    Feliz com tudo isto. Entre mortos e feridos salvaram-se todos ... rs

    Beijão aos dois ...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. é Bratz, provavelmente o GELO teve um grande fator PEDAGOGICO! o resultado final é que conta!

      Excluir
  2. Bem aliviado com o final desta parte da história. Afinal o normal é a mudança, acredita-se por aí, que ninguém é, se está por um momento não finito e isto imputa modificações nas ideias, opiniões, pensamentos, práticas, relacionamentos, sociedade, etc.
    Pondero ainda que tudo se começa com o reconhecimento, depois com o respeito deste diverso e por aí vai. Que a celebração venha logo...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. obrigado Ronaldo! Obrigado! estou ansioso tambem!

      Excluir
  3. Adoro um Happy Ending!
    Principalmente se acontece com quem acredita no amor!!!
    bjs

    ResponderExcluir
  4. Wagner3:23 PM

    Uau!!!
    Feliz por vocês! Sério...

    ResponderExcluir
  5. Em Portugal alguns dizem que a volta é de 360º, mas a realidade é de 180 graus. Lados opostos

    Volta de 360º volta.se ao mesmo :)

    Grande abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. justamente francisco, a brincadeiraé esta, quando se muda 360 não esta se mudando nada!

      Excluir
  6. Que bom! Fiquei muito feliz por vocês, sentir/viver essa mudança de atitude não tem preço. Beijinhos de Portugal

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, foi mesmo uma emoção para mim!! beijos de brasil!

      Excluir
  7. Que bom que correu tudo pelo melhor :D .

    ResponderExcluir
  8. Poxa que bacana... é muito bom quando somos surpreendidos. Penso como o Bratz, não acredito em mudanças, mas é melhor dar a chace, vai que um anjo disse amém. O fato do gelo, acredito ter surtido mais efeito.

    Beijocas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu acho que estas historias, de toda forma, são inspiradoras!

      Excluir
  9. O que posso dizer é que as pessoas julgam as outras por tão pouco, e quando passam a conhecer melhor facilmente a opinião muda.

    ResponderExcluir
  10. Bom, assim de momento não me recordo de nenhum episódio em que alguém com determinada opinião tenha mudado subitamente. Devo dizer que também desconfio um pouco de pessoas volúveis nas suas convicções.

    Que bom que tudo correu pelo melhor. :)

    ResponderExcluir

Obrigado por seu comentário! Assim que possível lhe dou um retorno!