22 de junho de 2016

Revisão Programada...

Dentre as várias reflexões, e surpresas, que o processo do casamento me trouxe, também tive que enfrentar um questionamento sobre a amizade... Algumas pessoas que eu considerava amigos, amigas, e que tiveram uma atitude decepcionante quando eu contei que ia me casar, ou mesmo quando entreguei o convite... 

Um deles foi um ex, na realidade o primeiro cara com quem eu tive um relacionamento fixo, um namoro, eu tinha uns 25, ele tinha 19, tínhamos um relacionamento bem estreito, e apesar dele morar no interior trocávamos muitas cartas (nada de internet nesta época) e passávamos quase todos os finais de semana juntos, ou aqui ou lá...
Entreguei o convite dele uns meses atrás, foi um dos primeiros que entreguei, quando ele esteve em São Paulo a trabalho... ele foi absolutamente frio e distante... eu fui até a paulista encontra-lo e ele recebeu o convite e falou "ok"... nada de dizer que o convite era lindo (como a boa educação manda) ou agradecer entusiasticamente ter recebido o convite (como a boa educação manda)... eu fiquei super chateado, tanto que nem topei tomar um café com ele, como combinado, inventei uma desculpa e cai fora...
Alguns dias depois eu recebi um recado dele no Messenger... "você me criou um problema, agora o D quer casar também"... eu achei que era brincadeira, respondi com risadinhas, e ainda completei... "se ele quiser umas indicações de fornecedores é só falar comigo"... Depois disso silêncio total.. 
Até que uns 20 dias antes do casamento ele mandou um recado, através do site de confirmação, dizendo que não compareceria. Nada de pedir desculpas por não comparecer, nada de mandar um recado desejando felicidades, nada de mandar um presente mesmo sem ir no casamento ( coisas que manda a boa educação)
Eu confesso que fiquei triste e decepcionado... Mas ai eu comecei a prestar atenção que a amizade e a consideração que eu tinha por ele era unilateral... só eu enviava recados no cel no dia do aniversário, só eu dava likes e fazia comentários nos posts dele, só eu mandava emails perguntando como estava...
Na realidade eu percebi que era algo unilateral, eu estava acreditando numa amizade que não existia...
O outro caso foi da Rê, minha ex-sócia, colega de faculdade, que eu também considerava minha grande amiga, ou que pelo menos considerava que se importava comigo, que gostava de mim. Para ela eu resolvi fazer um surpresa, liguei e disse: "quero te encontrar para te contar uma coisa super legal" e ela "nossa estou super ocupada esta semana, te ligo semana que vem para combinarmos", não  ligou na semana seguinte, nem na outra. Então eu mandei uma mensagem no cel: "e ai vamos marcar?" e ela "vamos sim! amanha te ligo para combinarmos", e passou um dia, uma semana, quinze dias... e eu com o convite dela no meu carro, todo trabalhado no caligrafo... 
Mesmo magoado ainda insisti: "oi Rê! Quer jantar em casa este fds?" ... nenhuma resposta... três dias depois, já no sábado ela me retorna: "desculpe este fds não vai dar".
E tudo isso em meio ao processo em que ela, muito tardiamente, estava adotando uma criança e - por eu ser um "especialista" -  me ligava e pedia conselhos, me ligava pedindo ajuda para enfrentar a espera, mas nunca perguntando "o que é mesmo que você queria me contar?" (como manda a boa educação)... ela só sabia falar dela... Decepção, tristeza, amizade unilateral, sempre eu indo na direção dela, e eu percebei que fazia isso há muito tempo, talvez tenha sempre feito e me enganado. Não sei.
Tomei a decisão de jogar o convite dela fora, passei no triturador de papel de casa, bem dramático, não entreguei, não convidei

Talvez eu seja meio chato e sem graça, talvez eu seja muito desinteressante, talvez as pessoas sejam mal educadas, talvez tudo isso junto. talvez eu deva selecionar melhor as amizades, talvez eu deva cultivar mais amizades, talvez, talvez...

Minha decisão neste momento foi de "desencanar" deles, não vou mais procurar, vou excluir de redes sociais, vou me esquecer o dia que fazem aniversário. Não sei se é uma crise de auto-estima, se foi um choque de realidade, mas achei importante tomar estas decisões, evitar acreditar em algo que não existe, já passei dessa fase...


E você? Já passou por situações em que percebeu que a pessoa que vc achava que era sua amiga não era verdade?




6 comentários:

  1. Amizades e amizades. O tempo nos mostra a diferença entre elas. Eu vou só descartando o que não presta sem nenhum constrangimento. #simplesassim

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. minha avó dizia...." Véu (casamento) e mortalha (morte, separações) no céu se talha!"
    Ambos momentos são perfeitos para perceber quem se importa realmente com sua história pessoal!
    Sinto pela decepção......
    Doi demias perceber que era um relacionamento de mão única!
    Bjs

    ResponderExcluir
  4. É frustrante sentir que alguém que supostamente are nossa amiga tem uma forma de ver a vida ligeiramente diferente da nossa. Pode ser desmotivante mas por outro lado somos como somos e de falsidades o mundo anda grávido.

    ResponderExcluir
  5. Anônimo10:50 PM

    Gosto dessa frase ! Tenho levado ela como lema de vida.

    Já não tenho paciência para algumas coisas, não porque me tenha tornado arrogante, mas simplesmente porque cheguei a um ponto da minha vida em que não me apetece perder mais tempo com aquilo que me desagrada ou fere. Já não tenho pachorra para cinismo, críticas em excesso e exigências de qualquer natureza. Perdi a vontade de agradar a quem não agrado, de amar quem não me ama, de sorrir para quem quer retirar-me o sorriso. Já não dedico um minuto que seja a quem mente ou quer manipular. Decidi não conviver mais com pretensiosismo, hipocrisia, desonestidade e elogios baratos. Já não consigo tolerar eruditismo seletivo e altivez acadêmica. Não compactuo mais com bairrismo ou coscuvilhice. Não suporto conflitos e comparações. Acredito num mundo de opostos e por isso evito pessoas de caráter rígido e inflexível. Na Amizade desagrada-me a falta de lealdade e a traição. Não lido nada bem com quem não sabe elogiar ou incentivar. Os exageros aborrecem-me e tenho dificuldade em aceitar quem não gosta de animais. E acima de tudo já não tenho paciência nenhuma para quem não merece a minha paciência."
    Meryl Streep

    ResponderExcluir
  6. Anônimo8:43 PM

    Eu acho que tem gente que só quer falar e não quer ouvir. Mas também já tive grandes amigas que só queriam ouvir e não me contavam nada da vida delas, mesmo como eu perguntava "como vai? o que ta rolando com vc?" , essa minha amiga se fechava e dava sempre uma resposta evaziva. Por outro lado eu acho que ninguem é só mel, ninguém é só abelha, as vezes os amigos que mais amamos tem atitudes que não gostamos. Mas também pode ser que a amizade tenha sido como vc mesmo falou "unilateral". Pelo que lei do seu blog vc parece ser um cara que vive as coisas de forma intensa e autentica, mas infelizmente vivemos num mundo líquido, em que tudo muda rapido demais. Mas se quiser começarmos uma amizade eu super topo. Moro em SJC e adoro fazer novos amigos e acho que sou autentico no que sinto assim como vc. Abraços, Robson/SJCampos

    ResponderExcluir

Obrigado por seu comentário! Assim que possível lhe dou um retorno!