13 de julho de 2015

Um amigo precisando de apoio!

Amigos blogueiros e leitores, vamos ajudar um amigo?

Em função do blog eu recebo alguns emails de pessoas que preferem conversar em particular, para comentar coisas que escrevo ou para falar de assuntos pessoais. Esta semana um rapaz de 24 anos, recém formado na faculdade, me escreveu contando um pouco do momento que esta vivendo e pedindo minha opinião - ou sugestão -  do que fazer. 
Na nossa troca de emails eu sugeri publicar o texto dele aqui no blog, pedindo a opinião de outras pessoas. Não porque nenhum de nós vai ter a resposta certa para a vida dele, mas principalmente porque a situação dele é parecida - do ponto de vista das emoções - com situações que muitos de nós vivenciamos em nossas vidas. Então ai vai a história de nosso Amigo:

"Descobri há um tempo que tenho mais afinidades com garotos do que com garotas. Descobri isso no meio de um namoro heterossexual que já dura 8 anos. Nunca tive coragem suficiente para dar um basta nesta situação e isso acabou acarretando algumas traições. Não me pergunte porque nunca assumi isso pra mim mesmo e para os outros, nem eu sei porque. Poderia ter terminado este namoro há um tempo e evitar essa situação que passo hoje.
Em dezembro passado, estava decidido que iria colocar um ponto final no namoro hétero que levo, e tentaria me assumir, pelo menos pra mim mesmo. Mas acabei sendo pego de surpresa por uma gravidez. Sim, vou ser pai. Acredito que no próximo dia dos pais terei um bebe para me alegrar a vida. 
Mas no entanto, sei que embora seja agradável a sensação de ser pai, sinto-me extremamente angustiado, ja que sou gay, e guardo isso pra mim, apenas pra mim. A mãe do meu filho, não tem culpa das minhas opções, portanto, poupo ela desse assunto. Sim, ela não sabe que sou gay. E com toda a pressão de ser pai, acredito que vem por ai um momento complicado pra mim. Terei que tomar uma decisão muito importante que pode influenciar toda a minha vida, a vida da minha namorada e principalmente e a que mais me importa, a vida do meu bebê. OU ASSUMO MINHA NAMORADA COMO UMA ESPOSA PARA CRIAR MEU FILHO, OU ASSUMO MINHA HOMOSSEXUALIDADE.
Sinceramente, tenho me sentido muito angustiado com isso. E se não bastasse, tenho tido um relacionamento extraconjungal com um garoto que muito me atrai.
O que faria no meu lugar?
Acho que para um cara esclarecido sobre este assunto, possa contribuir de alguma forma nos sentimentos que tenho hoje e me ajudar a entendê-los.
Obrigado e forte abraço!"

O que vocês diriam a este Amigo?

46 comentários:

  1. Bom... acho que a primeira coisa que me passou pela cabeça é de que ele poderia ter sido eu... como levou bem mais de 24 anos para que algumas dessas questões que ele agora está enfrentando começassem a serem encaradas por mim, de certa forma, ainda que seja muito duro lidar com tudo isso agora, fico feliz por ele aos 24 anos estar parando para "decidir" que rumo tomar...

    Dia desses vendo uma série, um personagem diante de um dilema até meio parecido como esse, era interpelado pela pessoa com quem ele discutia o assunto com a seguinte questão: O que de pior pode acontecer caso ele resolva aceitar que realmente tem um interesse por garotos? Ou então passe a viver de acordo com o seu desejo.

    Lógico que vai depender da abordagem, mas alguma confusão é esperada pela frente, algumas turbulências e muito provavelmente grande parte das pessoas não vão entender ao certo, mas... me parece que o "pior" é que ele vai estar livre para viver plenamente. Isso de forma alguma não significaria abandonar, ou amar menos, o filho que está para chegar ou mesmo a namorada, por quem com certeza ele tem grande consideração...

    Normalmente eu evitaria ser mais contundente, mas diante da seriedade da questão, vou me permitir dizer que casar neste caso não se trataria de "assumir uma esposa", mas sim, uma tentativa de renunciar a felicidade dele, e isso me parece uma daquelas coisas que não é possível abrir mão... seria como tentar segurar areia com as mãos.

    Apesar dele ter feito a pergunta, acredito que ele sabe a resposta... e na verdade até já fez as escolhas que precisa, infelizmente não dá para dizer que vai ficar tudo bem, mas dá para dizer que precisar, "estamos" aqui para ajudá-lo e apoiá-lo! Pode contar comigo!

    Abração para ele!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Latinha, eu publiquei justamente porque sabia que muitos iam se identificar... obrigado por ter comentado!

      Excluir
    2. Anônimo8:39 PM

      Latinha, obrigado pelos comentários.
      Sinceramente, fico muito agradecido e até feliz com suas palavras. Primeiro por saber que não sou o único a passar por esta situação, e segundo, por saber que posso contornar esta situação e ficar bem resolvido como aparenta ser vc. Fiquei curioso com o personagem citado, informe depois se foi um filme ou livro, que procurarei ver ou ler esta trama.
      Agora, realmente, as decisões estão sendo tomadas... só não sei se são as melhores e as mais corretas... mas enfim...

      Obrigado pelas palavras...

      Abraços..
      MS

      Excluir
  2. Assunto bem complicado.
    A forma como eu analiso a coisa, acho que é meio que injusto não só para o próprio rapaz ficar mentindo a si mesmo uma vida inteira, como para a mulher, que aparentemente não suspeita de nada.
    Para criar o filho, talvez complique as coisas, mas pelo que li acho que se com 24 anos o rapaz se está sentindo sufocado, só tenderia a piorar se optasse por viver uma vida dupla em torno da criança.
    Mas de qualquer forma, se optar por essa via, tudo de bom, e boa sorte ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Miguel por ter comentado! Realmente ele deve estar sufocado!

      Excluir
    2. Anônimo9:24 PM

      Miguel R, o meu grande medo é me tornar uma pessoa frustada e angustiada, trancado dentro de mim. Concordo quando diz que me sinto sufocado...realmente estou. Mas nem sempre é facil tomar uma decisão...ainda mais nesta situação.
      Mas obrigado msm assim pelo conselho.

      Abraço.

      MS

      Excluir
  3. Não há necessidade de contar a verdade. Pode pedir o divórcio, assumir o filho e refazer a sua vida...

    Se contar, pode correr bem, pode correr mal...

    Mulher nenhuma gosta de se sentir "enganada"

    Portanto, ele que peça a separação

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Francisco... a ideia de nao contar é uma alternativa, mas será a melhor? obrigado por teu comentário!

      Excluir
  4. Eu tenho um ponto de vista formado, mas ele pode parecer um tanto qto radical para os mais jovens e menos experientes ... Eu nunca menti, já omiti sim ... mas me assumi por inteiro e de forma definitiva e categórica.
    Não aprovo vidas duplas, isto só trará consequências horríveis para ele e principalmente para os outros.
    No caso eu assumiria o filho e toda a minha verdade ... doa a quem doer.
    Talvez a sugestão do Francisco seja prática, mas sempre será uma mentira ...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Bratz, sua postura pessoal e vitoriosa pode ser um alento a este amigo!

      Excluir
  5. Meu bom amigo,

    Entendo que uma das piores angústias que um homem pode ter é tentar proteger a quem se gosta ou ama e não ser capaz disso por mais que se tente.
    Você tem tentado com muito empenho proteger sua namorada, seu filho que está para chegar, provavelmente seus familiares, o garoto com quem você tem um relacionamento, enfim, todos aqueles que fazem parte da sua vida íntima.
    Acredito, pela sua escrita, que você não está enganando propositalmente nenhuma dessas partes. Acredito, também, que toda essa situação nasceu de um interesse genuíno seu para proteger pessoas que são importantes na sua vida muitas vezes às custas da sua própria proteção . Apesar de sua atitude ser muito bonita, infelizmente as estratégias que você propõe parecem ser um beco sem saída e ambas parecem causar em você um sentimento de tristeza profunda. Talvez a melhor maneira de ajuda-lo seria perguntar o que realmente faria você feliz ao invés de dizer para você: Faça isso ou faça aquilo.
    Uma outra possibilidade é confiar nas pessoas que você parece amar e querer proteger com tanto cuidado. Você conta que que namora a mãe do seu filho a 8 anos. Nenhum relacionamento, por mais jovens que vocês sejam, duraria tanto tempo se não houvesse um afeto verdadeiro de ambas as partes. Talvez ela mereça ter mais da sua confiança depositada nela quando for a hora de decidir sobre um casamento e sobre o destino da vida de vocês dois como amigos, futuros pai e mãe.
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Perfeito Jose Soares, acho que vc colocou em pauta muita coisas para o amigo refletir...

      Excluir
    2. Anônimo9:45 PM

      Caro José Soares, obrigado pelos comentários.
      Realmente, suas palavras me fizeram pensar bastante. É fato que a verdade é a melhor opção, um jogo limpo, evita complicações futuras e mal estar. Mas nem sempre é facil tomar essa atitude. Como falei na carta, iria me abrir mais sobre esse assunto, foi quando descobri a gravidez. Mesmo sabendo que a situação não está fácil, pretendo encontrar uma forma de não magoar quem eu amo. E de fato, está certo quando diz que o relacionamento dura bastante tempo, não é por acaso essa duração de 8 anos. Muitas coisas boas aconteceram nesse momento, e talvez tenha sido eles que me prenderam nesta relação.

      Fico no aguardo do seu email...
      abraço.

      MS

      Excluir
  6. Diria que se deve viver na verdade.
    Fazer uma mentira durar muitos anos vai roubar esses anos das pessoas envolvidas.
    Com jeitinho, contar à parceira.

    Uma boa família tem bases na honestidade. Não precisa de ser pai, mãe e filho juntos. «família» pode ser cada qual para seu canto em situações invulgares. Tua parceira merece oportunidade de saber.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. é uma unanimidade, todo mundo pensa o mesmo

      Excluir
  7. É difícil opinar na vida alheia, dar conselhos. Posso dizer o que (provavelmente) eu faria: viver uma vida dupla, passo a redundância, não é saudável. Há imensos casos por aí, e ou terminam mal, ou terminam com graves frustrações que se vão perpetuando no tempo.

    Eu assumiria o bebé, evidentemente, mas terminaria essa relação com a mãe, que tampouco me satisfazia. Procuraria a minha felicidade. A bem ver, vale mais começar desde já a prevenir males maiores.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. é Mark, a vida dupla parece mesmo ser uma alternativa complicada...

      Excluir
  8. Anônimo2:06 PM

    Situação complicada... Passei 20 anos da minha vida com esta situação martelando minha cabeça 24 horas por dia. Sofrer para não magoar outras pessoas. Todavia, não resolveu a situação. Hoje tenho a certeza absoluta o quanto mais cedo resolver esta situação melhor... Não acredito que você conseguirá viver esta duplicidade. Quanto mais demorar para resolver a situação pior vai ficar. Infelizmente isso trará infelicidades para todos. A verdade por mais que doa é o melhor caminho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Parece que é unânime, todos dizem que sera muito difícil viver uma dualidade sem causar danos maiores.... obrigado por participar!

      Excluir
  9. Amigo.
    Irá haver drama, muita revolta, e situações desagradáveis. Não vai ser fácil. Contudo a verdade virá, mais cedo ou mais tarde.
    O amigo terá de pensar e avaliar, a verdade é dura, mas sentir-se-á aliviado.
    Mas só você pode saber o que é melhor para si.
    A situação é complicada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. è dificil a gente palpitar na vida de alguem... mas acho que a verdade é mesmo o melhor caminho...

      Excluir
  10. Anônimo10:47 PM

    Tenho uma história semelhante. Fui pai bem novo, casei-me e tive outro filho. Sentia atração por garotos desde pequeno, mas assumi um preconceito social que não era meu. Isso só me trouxe dor de cabeça. Quando me permiti sair pela primeira vez com um cara descobri que está era a minha praia.
    Por este motivo é por incompatibilidades me separei aos 28 anos com dois filhos.
    Somente então acredito que tenha sido feliz, por não mentir para mim mesmo.
    Na época não contei para a mãe dos meus filhos, mas o fiz para minha família.
    Descobrir com o tempo, por dedução, já que morava com um cara que depois me casei só fez a relação com a mãe dos meus filhos piorar. Ela dificultou minha convivência com os meus pequenos e sofri muito com isso.
    É muito difícil, mas chamar a esposa deste rapaz e conversar certamente é a melhor opção.
    Hoje, depois que meus filhos souberam por mim que sou um homem que gosta de homens tudo mudou para melhor: nossa relação ficou excelente, sou um pai admirado e amado pelos dois e até minha ex-esposa entende melhor tudo boque passamos.
    Somos vítimas do preconceito. Assumir-se para si e para as pessoas que nos amanhã de verdade é essencial para que sejamos felizes.
    Espero que este rapaz de 24 anos tome coragem e fake logo com a mãe do seu filho.
    Não vai ser o primeiro nem o último caso.
    Pode passar por um período difícil no começo (talvez nem seja tão ruim como ele imagina), mas depois tudo ficará bem. Boa sorte! Torço por você!
    Alexandre.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Legal ter dividido sua historia conosco Alexandre, eu sugeri contar a historia de nosso amigo pois achei que muitos iriam poder falar de suas experiencias! obrigado!

      Excluir
    2. Anônimo9:50 PM

      Espero ter a oportunidade de contar ao meu filho sobre minhas opções. Claro que num futuro que ainda parece distante. Mas, certamente a verdade é a melhor opção.
      Obrigado pelos comentário.

      abraço
      MS

      Excluir
  11. Anônimo10:53 PM

    Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
  12. Caro jovem gostei muito de ler todos os comentários que foram postados aqui. Cada um de seu jeito fala de coisas que são importantes voce refletir hoje. Embora ninguém possa se colocar em seu lugar para sentir o que voce sente muitos já viveram e passaram por aflições ou indecisões semelhantes à sua. Com o trabalho que desenvolvo com pais e homossexuais através do Grupo Homopater sabemos que mesmo sendo difícil um homem que se reconhece homossexual precisa viver sua vida como tal. Mesmo os pais, cuja auto aceitação ocorreu de forma mais tardia, precisam viver de acordo com sua propria orientação homossexual, não como heterossexual. Então meu caro jovem pense e reflita e se precisar procure ajuda sim, como está fazendo agora. Se quiser me procure para conversar mais. Abraços, Vera Moris (11) 991521188.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Legal Vera! Obrigado pelo apoio! Acho que o Amigo já percebeu que ele tem muitos amigos e que tem muita gente querendo ajudar! beijo

      Excluir
  13. Relacionado. De repente, ajuda também:
    https://www.catarse.me/pt/ashorasabertas#

    ResponderExcluir
  14. Anônimo3:05 PM

    Amigo. Parabéns por reconhecer a necessidade de ajuda e de procurar por interlocutores, numa situação tão difícil que é o confrontar-se com a verdade de sua identidade.
    Sua história me fez passar pelas seguintes reflexões:
    - A gravidez de sua namorada significa que houve sexo sem proteção, se isso é uma prática comum sua, muito cuidado com outras surpresas indesejáveis como sifílis, aids e outras DSTs. Informe-se mais sobre isso, mude alguns paradigmas e previna-se.
    - Será que sua namorada, já pressentindo que "vc não é de todo dela", não suspeita ou intui que está "perdendo vc pra outra pessoa"? Pode até não passar na cabeça dela que seja pra outro homem, ou mesmo que pense, será que não acreditaria que, tendo um filho seu, te faz "regenerar", "te endireitar no caminho", que vc "volte a amá-la com exclusividade", que seja a solução de manutenção do relacionamento? Muitas vezes, a gravidez ou outras situações da nossa vida não são assim tão casuais... Freud explica!!! rs E se houver essa intenção (ainda que inconsciente), vc está disposto a fazer esse jogo? A entrar nessa farsa de “felizes para sempre”, “somos uma linda família”?
    - É muito possível vc ser pai sem ser marido. Ter um filho ou casar-se não pode em nenhuma instância significar prisão, coerção. Viva a felicidade de ter, amar e educar um filho, mas não a infelicidade de um relacionamento forçado.
    - Raramente num relacionamento nós explicitamos ao outro quais nossas expectativas, o que pode e o que não pode, o que consigo dar e o que não consigo empenhar, o que é ilusão e o que é realidade, com o que conseguimos conviver e aceitar. Um acordo explícito de vontades, desejos, permissões, liberdade, fidelidade, é algo tão fundamental e que exige muita maturidade de ambos os envolvidos, mas se não exercitarmos nunca vamos desenvolvê-la. Qual pode ser o acordo explícito entre vc e sua namorada, e mesmo entre vc e seu namorado? Abra o diálogo, a verdade dói na hora, mas depois passa, se sedimenta, se elabora; a mentira não, a mentira corrói, abre feridas incicatrizáveis, alimenta mágoas. A verdade é perdoável, mas a mentira não é digerível pra ninguém. A verdade sempre constrói novos e mais positivos caminhos.
    Tenho certeza de que vc vai ter muito mais orgulho de suas verdades e saberá ser um pai que vai passar muitas experiências valiosas para seu filho. Um abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obirgado por seu cometario ANONIMO! dá para ser pai sem ser marido!

      Excluir
  15. Anônimo7:38 PM

    Vou pedir licença para por um ponto de vista diferente. Perdoem-me se não ficar claro o que direi.
    Penso o seguinte: Existe um conceito, a tal da escala de Kinsey, que diz que as coisas podem não ser tão assim preto e branco, hetero e homo, quando se trata de sexualidade humana. Existem vários nuances. Pois bem, talvez o rapaz seja um bissexual, que durante o começo do namoro estava tranquilo com isso, pq o outro lado da sua sexualidade ainda estivesse latente. Eu vi que na carta ele fala que a mãe do filho dele nao tem culpa das opções dele. E eu acho que para um bissexual realmente existam opções , o que é diferente do meu caso, por exemplo, que não tenho opção: sou homo e pronto.

    Acho que o lado homo dele, talvez tenha começado a despertar, e ele começou a sentir atração por pessoas do mesmo sexo, mas se ele tem uma vida sexual com a namorada, ha oito anos, talvez ele seja bissexual. Eu sei que existe um certo conceito errado, por parte de algumas pessoas na sociedade, de que bissexuais são na verdade homossexuais que não se assumiram, mas eu não vejo assim.

    Outra coisa que me chamou a atenção foi o fato dele estar tendo dois relacionamentos. Veja, em 100% dos casos , em que eu vi isso acontecer nos meus 42 anos , o resultado sempre foi trágico. Isso pq qdo vc assume dois relacionamento vc arma uma bomba e a chance dos tres sairem feridos é muito grande. Talvez se ele só tivesse sexo casual com outras pessoas, sem envolvimento, eu não diria isso, mas tendo envolvimento, é bem complicado.

    Bom, daí então chegamos as seguintes opções:

    a) ele realmente é homossexual, e portanto sempre viveu uma vida sexual contrária a sua orientação. Nesse caso, acho que abrir o jogo é a melhor opção como falou o Paulo Braccini. Pq penso que por mais dolorido que seja pra namorada, quando a poeira baixar, as emoções se equilibrarem, ela talvez o perdoe e considere que ele foi honesto com ela e possam assim ser amigos e parceiros.

    b) ele é bissexual e está experimentando outras possibilidades. Acho que nesse caso eu faria o seguinte: ou escolheria um dos dois, e terminaria com o outro, a fim de evitar maiores problemas ou terminaria com os dois e deixaria a poeira abaixar, e nesse meio tempo iria ficar com outras pessoas pra ver se a bissexualidade se mantém.

    De qq forma, a primeira coisa a fazer é procurar um bom terapeuta e tratar essa questão com bastante calma e sendo honesto consigo mesmo.

    Bem, essa é minha opinião.

    Abraços,

    Robson/SJCampos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Robson obrigado por seu cometario, vc fez colocações bem pertinentes e a ideia de procurar um terapeuta é muito boa!

      Excluir
  16. 1) tentar sair do caso extra conjugal por mais dolorido que fosse
    2 ) viver o momento de ser pai , participar desse momento
    3) sair do armario quando vc tiver a real certeza do que vc quer.
    4) nada de angústia
    Um dia após outro

    Meu zap
    11980719199
    Se quiser conversar

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo9:54 PM

      Dr. realmente gosto destas opções...irei sim te contactar.
      Abraço

      MS

      Excluir
  17. Bom primeiro quero dizer, que por mais opiniões que tenhamos, que digamos "eu fazia isto, eu fazia aquilo" a verdade é que só passando pelas situações é que sabemos efectivamente o que elas são e tomamos decisões face ao que temos, queremos e podemos. Após esta introdução a minha opinião sobre o assunto - mesmo correndo o risco de ser injusto:

    Risquemos o gay. Imaginemos que é um casal hetero. As questões são: ele a ama? Ela sente vontade de querer ter sexo com ela? Ele está com ela por causa do filho? Se tivermos respostas não, não e sim, então essa relação não existe. Porquê continuar? Porque é vantajosa de alguma forma? Financeiramente? Ajuda a encobrir alguma coisa? Há medo da solidão?

    Adicionemos o facto gay. As questões são: ele a ama? Ela sente vontade de querer ter sexo com ela? Ele está com ela por causa do filho? Se tivermos respostas não, não e sim, então essa relação não existe. Porquê continuar? Porque é vantajosa de alguma forma? Financeiramente? Ajuda a encobrir alguma coisa? Há medo da solidão?

    Ou seja, a questão fulcral aqui não está ligada com o facto da pessoa ser gay, está com o facto da pessoa ser honesta com ela própria e concluir se existe amor/paixão (que engloba a parte sexual) ou não... e pelo relato parece-me existir carinho, estima, consideração e amor não sexual. Um filho não pode ser a base de um relacionamento sentimental/afectivo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. NAMORADO, sua reflexão é precisa! Não faz mesmo uma diferença significativa ele continuar a relação se ele é gay o hetero, o que faz diferença é o filho e o preconceito dos outros, infelizmente é assim!

      Excluir
    2. E HHP vale a pena ficar com alguém só por causa de uma criança? Ou melhor, podemos exigir essa responsabilidade a um filho?

      Excluir
    3. Não vale, com certeza não vale!

      Excluir
    4. Não vale, com certeza não vale!

      Excluir
  18. Quem está na pele é que sabe o quanto é complicado gerir uma série de emoções. Viver uma vida que não é 100% honesta pode não ser fácil, podemos acabar por nos sentir uma fraude. Dizem que o amor supera tudo, não sei o que isso é, mas de qualquer forma, ser pai acarreta uma série de responsabilidades, e ser gay e ser pai não são incompatíveis.

    A realidade de cada pessoa é única, gerir os sentimentos depende de cada pessoa, e falar das dos outros é complicado. Diria que o melhor é fazer o que é necessário para tranquilizar as emoções de todos, mas na verdade, qualquer decisão a ser tomada nunca será a perfeita.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. como diria a musica "cada um sabe a dor e a delicia de ser o que é"... obrigado por ter comentado!

      Excluir
    2. como diria a musica "cada um sabe a dor e a delicia de ser o que é"... obrigado por ter comentado!

      Excluir
  19. Anônimo11:50 AM

    Espero que ainda de tempo de você ler esse comentário, eu tinha algumas dúvidas com relação a minha sexualidade principalmente por ter sofrido abuso quando criança, namorava e levei ela pra morar comigo e 2 anos depois ela engravidou, eu sufoquei alguns desejos e curiosidades e assumi ela como esposa e a crianca como filho, e posso afirmar com toda certeza depois de 09 anos juntos que foi a melhor escolha que fiz na minha vida sou muito feliz mas muito feliz mesmo, principalmente depois de conhecer e verdade que só há em Cristo Jesus, irmão sem fanatismo confio plenamente na soberania de Deus ele te deu essa crianca pra você ser pai e esposo assim como eu. E tenho certeza que ele me fez entrar nesse blog que eu nunca tinha entrado a, proposito nunca sequer tinha entrado num blog com essa temática homossexual só pra te dizer case meu irmão Deus te fez homem e quer te capacitar como pai e esposo não deixe e essa crianca sem pai confie em em Deus e tudo dará certo amém.....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. pena que escreveu anonimamente... que bom que sente que Deus esta agindo em sua vida... mas não fique aflito, vc eh gay pela ação de Deus tb! assim como eu e tantos outros... Deus - o verdadeiro - ama a todos

      Excluir
    2. pena que escreveu anonimamente... que bom que sente que Deus esta agindo em sua vida... mas não fique aflito, vc eh gay pela ação de Deus tb! assim como eu e tantos outros... Deus - o verdadeiro - ama a todos

      Excluir

Obrigado por seu comentário! Assim que possível lhe dou um retorno!