28 de julho de 2014

Quem quer ter um filho gay?

Outro dia estava conversando com o Mr. J, que pensa em adotar uma criança, eu falava um pouco sobre o que conheço do processo de adoção e ele me disse:
- Eu gostaria de ter um filho gay!
O meu choque foi instantâneo!  - Como assim um filho gay? Você é louco?
- Eu acho que gays aproveitam muito mais a vida se divertem muito mais! - disse ele
- Adotar um filho que vai sofrer e ser discriminado? - repliquei
E ele completou – Eu nunca tive nenhum problema em ser gay, sempre vivi minha vida livremente.
- Mas e teus pais e parentes que não te aceitam e te discriminam?
- Isto é problema deles, isto é um problema para eles resolverem, não para mim!
- Mas o teu filho gay vai sofrer discriminação na escola, no trabalho...
- Eu não tenho nenhum problema com isto, trabalho numa empresa em que há muitos gays, em algumas profissões eu até diria que somos a maioria.
- Eu não concordo, não acho legal esta sua ideia e eu ia sofrer muito se meu filho fosse discriminado. Respondi eu, ainda tentando assimilar o pensamento dele!
- Eu acho que um pai também gay teria muito mais condição de ajudar um filho gay...Eu não vejo problema nenhum em ser gay e ate gostaria de ter um filho gay. Não é porque você teve problemas com isto no seu passado que eu precise ter, ou meu filho...
"eu tenho orgulho do
meu filho gay"
Eu acabei mudando de assunto porque estávamos em lados opostos. Confesso que eu fiquei bastante incomodado com a idéia dele e seus  argumentos, achei uma grande bobagem o que ele disse e que só estava fazendo “graça”... minimizando os problemas que os gays passam... mas como ás vezes preciso de um tempo para digerir um assunto...desta vez também foi assim...
O processo ficou borbulhando...
Fiquei lembrando da Claudia Leite, da Joelma, que disseram não querer filhos gays...mas elas não são gays!  E mesmo assim foi um absurdo elas dizerem isto! 
Acho que a única explicação para eu achar ter um filho gay um problema é minha homofobia internalizada! Um combate longo, demorado e dolorido muitas vezes!
Se eu, sendo gay, não me imagino tendo um filho gay, porque eu saio por ai defendendo e militando que os pais devem aceitar seus filhos? onde está minha auto-estima, minha auto-aceitação?  Qual seria realmente o problema de ter um filho gay?
Porque eu não conseguia achar que ter um filho gay é bom? Porque fiquei sentindo que ter um filho gay é como ter um filho diabético ou hemofílico - como as pessoas adoram comparar?.
Acho que ai entraram duas questões em cena... primeiro minha experiência pessoal, sem dúvida, as dores de ser diferente da maioria, os segredos, o armário construido com dor e desconstruido com muito trabalho, a discriminação sentida aqui e ali, achar de um jeito ou de outro que eu nasci com uma "diferença" um defeito... e a gente quando quer um filho quer um filho "perfeito", quer um filho "normal"... ninguem quer ter um flho que tenha algo que possa lhe dificultar a vida, quer seja uma questão biológica quer seja uma questão de caráter... em resumo, eu estava encarando a homossexualidade do meu filho como patologia...
A segunda coisa em cena foi o meu espírito paterno, nenhum pai quer que os filhos sofram, seja por que for, ninguem quer que o filho seja caçoado (hoje chama bullyng) por usar óculos, por ser gordinho, por ser burrinho... para um pai o mínimo sofrimento do filho guarda relação direta com o exercício do papel de pai, de mãe também. Queremos a todo custo proteger nosso filho do sofrimento. E mais uma vez eu estava me contradizendo, pois eu sempre falo, para pais que pensam em adotar e que argumentam que não querem adotar uma criança negra por acham que ela vai sofrer discriminação, que isto tudo faz parte da vida, que ninguem consegue proteger os filhos de tudo, de relacionamentos, de amizades, do mundo real...E eu dizendo que  não quero fiho gay porque ele vai sofrer...

Cara! Como a gente é "titica" ás vezes! É como se eu estivesse dizendo: Eu não me aceito! Eu não me acho normal, eu não me acho digno, eu não me acho perfeito... eu acho que eu fui um problema para os meus pais! Eu não quero um filho gay porque ser gay não é bom!

Fiquei imaginando a vida de um garoto, de uma criança, num abrigo, num orfanato, que de alguma forma se mostre efeminado ou uma menina que aos olhos dos  outros pareça masculinizada... ninguém vai escoher estas crianças, ninguém quer ter um filho gay! Ninguém quer ter uma filha lésbica!

Ponto. Virgula, Hora de rever conceitos! Obrigado Mr. Jay por abrir minha mente!  Que venha o filho como ele for, e se for um filho gay será um filho tão amado como qualquer outro, será um filho de um pai com um pouco menos de preconeitos, um pai que está sempre tentando sempre ser um pouquinho melhor...
E para terminar um pouco menos sério... veja o vídeo abaixo, quando os pais descobrem que o filho NÃO é gay...

E você? Quer ter um filho gay?



10 comentários:

  1. Olha, eu, se for pai um dia, quero que o meu filho/a seja feliz, independentemente da orientação sexual dele/a. Isso é totalmente secundário. Não ficaria mais triste ou menos triste por ele ser gay ou heterossexual. Dá na mesma. Claro que sendo gay estaria exposto ao bullying homofóbico que é um flagelo social, mas, se pensarmos racionalmente, até heterossexuais estão sujeitos a preconceito: um menino mais gordinho, heterossexual, sofre com as piadinhas ridículas dos coleguinhas idiotas. O ser humano sempre discrimina e aponta o que foge ao "padrão". Só com muita educação conseguimos lutar contra o preconceito, seja ele qual for.

    um abraço. :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você tem razão Mark, sempre haverá motivo para sofrer preconceito! a sociedade, o ser humano, as pessoas ou sei lá o que, cria normas e padrões bem definidos e todos temos que seguir! as! obrigado pelo coment!

      Excluir
  2. Oi !
    Eu não teria nenhum probelma também em ter um filho gay, e se isso realmente acontecesse, penso como o Mr J., acho que me sairia melhor com ele do que se fosse um pai hetero, acho que tenho mais meios pra lidar com certas situações que meu filho(a) passaria, pois já vivi isso, sei como é,
    Mas o post foi super legal, levantou a questão do que pensamos a respeito disso e do que sentimos em relação a nós mesmos com a nossa sexualidade ante ao mundo. E creio que os seus sentimentos, inclusive a homofobia internalizada, sejam muito mais comuns do que se imagina !

    Abração !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marcos! tanto o orgulho gay quanto a homofobia são coisas construidas num processo, mas a homofobia internalizada é construida contra a nossa vontade! eu imagino que um filho gay de pais gays nem passará por este processo não é? abs! obrigado pelo comentário

      Excluir
  3. Já pensei sobre isso, mas ao mesmo tempo nunca progredi meu pensamento porque para mim não haveria diferença nenhuma se tivesse um filho gay ou não. E filhos ainda está tão distante da minha realidade... Rsrs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E tem que pensar muito mesmo 3egos... é uma coisa bem permanente! rsrsrs obrigado pelo comentário...! abs

      Excluir
  4. Adorei o post. Também já pensei sobre esse assunto e o que cheguei a conclusão é que crianças visivelmente gays com certeza não são escolha de quem vai adotar, como crianças negras ou mais velhas. Essas são justamente quem mais precisa de pais que as entendam e as ajudem a enfrentar esse mundo dão cruel.
    Eu teria gostado de ter tido apoio nos momentos mais difíceis. Quem melhor do que quem passou por isso pra ajudar quem está passando?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem razão Sam! é uma equação tão injusta não acha?

      Excluir
  5. Acima de tudo, eu gostava de ter um filho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Opa João Roque! eu nem sei por ai, mas provavelmente tem muitas crianças que iriam curtir ás pampas ter um pai como vc!

      Excluir

Obrigado por seu comentário! Assim que possível lhe dou um retorno!