25 de maio de 2015

Eu sou Ético! ... mas ás vezes é tão dificil!

Eu não acho que ser ético é uma coisa meritória, não acho que ser ético é motivo para bater no peito e colocar no currículo, eu não acho que ser ético me distingue. E nem acho que sou o único ético do mundo, o único que tem valores. A grande maioria das pessoas que conheço estão nesta categoria, com certeza! E minha ética me impede de listar os nomes das que não são éticas!
Eu tento ser ético sendo honesto e não deixando os outros serem desonestos. Eu tento ser ético não furando a fila, e não deixando outros furarem, eu sou ético avisando a garçonete que ela cobrou a menos e reclamando se ela cobrou a mais, eu sou ético pagando meus impostos e me indignando com a maneira como meus impostos são utilizados. 
Ou seja, ser ético, em minha humble opinion, é não só tentar fazer as coisas de maneira ética, mas criar e apoiar mecanismos para que os outros não deixem de ser éticos! Fazer por si e fazer pelo mundo, isto me parece ético! 
Eu não faço isto com muito esforço, meu perfil "coxinha" me leva a fazer as coisas certinhas, e claro que o jeito que fui criado também! E um de meus maiores orgulhos é ver que minha filha segue este caminho, pensa mais ou menos assim... 

Mas ser ético não é fácil, a gente tem que se manter sempre vigilante, sempre atento!
Esta semana eu assisti a um vídeo que me deu um pequeno choque de realidade... ele faz lembrar - de um maneira extremamente criativa - que tudo tem um preço e que muitas vezes nossas escolhas refletem no preço da vida de outras pessoas. Veja:




Eu não sou um grande consumidor de moda, só compro mesmo o que preciso - com exceção de camisetas geeks (rsrsrs) - então as roupas super baratas não me entusiasmam, como muita gente que compra só porque é barato... mas mesmo assim... como é que eu vou saber que aquela camisa, aquela calça, que estou comprando numa loja de boa marca, até mesmo uma marca nacional,  não usa tecidos produzidos  de maneira pouco ética, não usa botões e zíperes montados pelas mesmas criancinhas escravas de Bangldesh ou da China, ou no Peru (olá camisas Lacoste), ou no Equador, ou no bom retiro? Se for numa loja tipo fast fashion até dá para ficar mais desconfiado... mas e todo o resto?
Quando eu compro um pano de prato no EXTRA por 1,99 será que estou alimentando esta rede?  E a minha linda chaleirinha eletrica de 39,90 feita na China? Será que toda a tarde eu tomo um chazinho com um pouco de falta de ética no trabalho?

Aff! Se eu já era preocupado com isto, este vídeo me deixou angustiado...

E você? Acha que é fácil ser ético?

9 comentários:

  1. Tá preocupado com o ethos do consumo??
    Assista ao video Story of Stuff!
    E tome um rivotril para dormir!
    Bjs

    ResponderExcluir
  2. eu sou ético, mas se formos pensar no tema que vc deu enfase, do sistema de bens de consumo provavelmente ele está todo contaminado, pois mesmo que determinada empresa cumpra direitos humanos mínimos vai ter algum fornecedor dos bens de produção da mesma que não os faça, então fica difícil saber se tudo o que consumimos está seguindo os padrões, desde sua origem, do que pensamos ser ético.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem razão Fabrício, deve estar tudo contaminado...acho que vamos ter que usar roupas de canhamo tecidas em alguma comunidade hippie! rsrs

      Excluir
  3. Acredito que para falarmos sobre ética devemos expandir um pouco o conceito. Ele não pode ser restrito a certos aspectos de nossas vidas, mas sim à vida como um todo. Você deu destaque às relações de consumo, mas ética é bem mais que isso, concorda? Ela deve fazer parte de todas as nossas relações, em todos os níveis. É difícil? Talvez não, desde que enxerguemos todas as pessoas como seres tão importantes como nós mesmos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim Adriano, vc tem razão, etica é muito mais que isso!

      Excluir
  4. É fácil ser ético se mantiver uma postura recta na vida, honesta.

    Vou te dar um exemplo que aconteceu comigo: há dias, na fila para um museu, quatro pessoas tentaram furar, sem dizer nada, faltando com o respeito à imensidão de pessoas atrás. Eu e o amigo que me acompanhava protestámos. Para nada. Os sujeitos passaram, ficaram, e conseguiram entrar no museu, sendo que às 17h:30 fecharam a bilheteira (onde se vende os ingressos). Resumindo: alguém ficou de fora por culpa deles. Já eram pessoas de alguma idade. Ainda assim, pediam, educadamente, se podiam passar à frente. Mas não. Penetraram na fila como intrusos.
    O Brasil teve a quem puxar.

    abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ai Mark... é dificil saber se rio ou se choro!

      Excluir
  5. Tô com o Fabrício! O fato de ser ético ou não está ligado a conhecer a situação como um todo. Dificilmente estaremos numa situação em que haja ética com plenitude.

    Daí, a gente tenta fazer isso mesmo: ser honesto e colaborar com mecanismos que cobrem das outras pessoas honestidade. Mas do que eu não conheço, como fazer? Nessa parte acredito que é FUNDAMENTAL o compartilhamento de ideias, para que esse tipo de coisa que vc viu nesse vídeo venha às claras!

    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem razão Cara! tem razão! mas o video me deu um nó no estomago!

      Excluir

Obrigado por seu comentário! Assim que possível lhe dou um retorno!