23 de maio de 2015

Mudando para a Irlanda em 3...2...1!

Apoiadores do 'sim' festejam resultado em Dublin após referendo que aprovou casamento gay (Foto: Peter Morrison/AP)

Se você está chegando de um passeio em marte, e não sabe do que estou falando.... leia AQUI!

E ai? Alguma chance disso acontecer por aqui?

7 comentários:

  1. No Brasil? Sem querer parecer mauzinho, creio que seja uma pura utopia! :/

    Mesmo que as pessoas aceitem, o comportamento "animalesco" de certas pessoas, levará anos a mudar.

    ResponderExcluir
  2. Eu acho que esse assunto jamais poderia ser colocado em votação, é um direito universal à felicidade, não pode ser colocado em votação.

    Imagina se tivesse vencido o não, que risco enorme correu-se por lá.

    Agora imagina se esse tipo de idéia de votação é adotada no Brasil, onde sabemos que as bancadas conservadoras estão doidinhas pra ter um plebiscito desse assunto, eu tenho a certeza absoluta que a ignorância cristã de nosso país fara tranquilamente que o não de no minimo uns 80% pra mais, e ai sim teremos que mudar pra Irlanda.

    ResponderExcluir
  3. Espero que não aconteça pelos próximos 150 anos.
    Contento-me com a coquista pela jurisprudência, e pelo visto essa pode ser a única via para outras conquistas das minorias, tendo mente a proposta de reforma política em pauta no congresso.

    ResponderExcluir
  4. Concordo com a argumentação do Dominus mas sou otimista ... espero e acredito sim ...

    ResponderExcluir
  5. Acredito que sim! Infelizmente não vai ser uma conquista pelos direitos humanos. Vai ser uma conquista política que visa angariar votos!
    E não muda para Dublin, não. A Irlanda pode ter legalizado o casamento gay, mas possui um dos pensamentos mais belicosos da Europa!
    bjs

    ResponderExcluir
  6. Irlanda + Pernambuco:

    http://noticias.terra.com.br/brasil/policia/governo-de-pernambuco-transforma-homofobia-em-crime,cd10713a05eb2410VgnVCM20000099cceb0aRCRD.html

    ResponderExcluir
  7. Espero que no Brasil o casamento entre pessoas do mesmo sexo seja legalizado a curto prazo (mas não referendado).
    E não concordo com o que aí atrás foi dito acerca da maneira de ser dos irlandeses, pois poucos países maioritariamente católicos, dariam um sim num referendo sobre esta matéria.
    Pelo menos, em Portugal e Espanha isso não teria acontecido.

    ResponderExcluir

Obrigado por seu comentário! Assim que possível lhe dou um retorno!