11 de maio de 2015

Mãe só tem uma!


Muita gente gosta de dizer que eu sou pai E mãe de minha filha. Alguns até falam que sou PÃE (mistura de pai e mãe). 
Eu discordo! E por isto mesmo eu não considero válido ser homenageado no dia das mães.

Eu nunca tentei ser pai E mãe, eu no máximo, no máximo, aceito que sou um pai um pouquinho melhor, não porque eu pessoalmente seja melhor, mas porque eu precisei assumir algumas responsabilidades e tarefas que em grande parte das famílias são divididas entre o pai e a mãe.
Na realidade o que acontece muitas vezes é que pela postura da mãe (superprotetora ou muito dedicada) e do pai (preguiçoso e /ou acomodado) o papel da mãe assume uma importância desequilibrada. Os pais se acomodam em deixar que o dia a dia seja tocado pela mãe, pois dá muito trabalho ter quem pensar em tudo que precisa ser feito, o papel de "provedor" acaba sendo o mais comum. E quado falamos de amor falamos de qualidade, não quantidade.
Meu irmão, por exemplo, conseguiu escapar desta pequena armadilha, ele teve, e tem, participação ativa no dia a dia dos dois filhos, e ele não é apenas o que "dá a ultima palavra" ou "provê". 

Mas eu já sabia que teria de cumprir uma parte dos papeis da "mãe" e isto não é nenhum mérito ou vitória. Aliás, eu sempre estive preocupado em mostrar que todos os papeis são importantes, não ter mãe não é necessariamente ruim, não atrapalha em nada o desenvolvimento da criança, mas ter mãe também não é a solução de todos os problemas. Acreditar que o pai não faz falta é fácil, a realidade de mães solteiras, ou mães divorciadas, que criam seus filhos há quilômetros de distancia de seus pais esta ai para mostrar isto. Talvez seja um pouquinho mais difícil as pessoas aceitarem que isto também é verdade com relação aos que são criados sem mãe. 
A vida de minha filha seria melhor se tivesse uma mãe? Não acho, acho que ela seria apenas diferente, nem pior nem melhor, o que precisamos é de alguém que ame a gente, que cuide da gente, isto é família, e não o formato dela
.E o mesmo é verdade em relação a ter avós, primos, irmãos, tios, padrinhos... ter ou não ter estas coisas não é pior nem melhor. Apenas é!

E você? Que parente não teve, ou teve pouco contato, que poderia ter feito a diferença em sua vida?


17 comentários:

  1. Não sabia que a sua filha não tinha mãe!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. amigo Namorado... ela foi adotada aos tres anos, agora tem 19...dá uma lida nas minhas estorias mais antigas...tem tudo lá!

      Excluir
    2. Pois eu cheguei "tarde"! Não tinha percebido esse pormenor!

      Excluir
  2. Concordo contigo em sua análise. Mas tb não sabia que sua filha não tinha uma mãe... rs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. amigo COMUM, dá uma lida nos posts mais antigos, sou pai solteiro adotivo! rsrsr

      Excluir
  3. Com certeza ela é uma pessoa privilegiada pois mesmo sem ter uma mãe no seu dia a dia [ter é fantástico] creio q vc com seu jeitinho e sua maneira de ser, a seu modo cumpriu e cumpre bem sua missão e compromisso para com ela ...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. você é um doce de pessoa e meu amigo mesmo! obrigado pelo comentario! beijo

      Excluir
  4. Eu penso muito nisso em relação ao futuro sabe? De que forma minha mãe, que ainda tem muita dificuldade em relação à minha sexualidade vai agir caso em resolva ter filho(s)... Minha família foi tranquila, pais separados então ganhamos duas famílias extras... Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Borges, acho que se ela tiver um neto sua mae vai esquecer rapidinho que vc ser gay é um PROBLEMA, netos adoçam a boca de avos instantaneamente!

      Excluir
  5. Gostei desta abordagem, com é bom poder ter acesso a outras idéias, outras formas de amor rs, bom, eu acho que a mãe leva certa vantagem por nove meses (normalmente) dentro da barriga dela, mas é só isso e pode ser uma brincadeira, pois só depois da importante sementinha do homem que ela fica com o bebe por nove meses rs...mas fora isso se o bebê não tiver atençaõ e os cuidados de que precisa, não sobreviverá, e não importa se é pai ou mãe ou tia ou vó, o que importa e cuidar com carinho, atenção e amor e permitir que vire um ser humano legal.gostei deste post, muito bom.
    ps. Carinho respeito e abraço.
    ps. Obrigado pela vistas láno blog.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. eu sempre falo isto Jair, pai e mãe é quem cuida! abraços!

      Excluir
  6. Decididamente meu avô e avó maternos. Tive pouco contato com eles, mas foi uma das minhas influências mais marcantes. Gostaria de ter tido mais tempo com ambos, mas sou grato a cada segundo que pude ter com eles> Do avô herdei o amor pelas artes eruditas e pelo refinamento humano. Da avó herdei o senso crítico e a bondade....Dela veio a pérola: "O ser humano gosta de companhia, mas desgraça gosta mais."
    bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sorte dos que tem avós maravilhosos! sou um sortudo também!

      Excluir
  7. OLa Venha participar e divulgar no Facebook da APGL amigo
    Associação de Pais Gays e Lésbicas do Brasil!

    https://www.facebook.com/groups/164819193578746/?fref=ts

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. legal, vou entrar lá! obrigado pela dica

      Excluir
  8. Pai e mãe são insubstituíveis. Um não toma o lugar do outro. Infelizmente, não raras vezes, por ausência ou desprendimento, um dos progenitores vê-se obrigado a desempenhar o papel que cabia ao outro.

    Gostaria de ter tido uma relação mais próxima afectivamente com o meu avô paterno, recentemente falecido. Fomos próximos fisicamente. Morávamos perto. Afectivamente, contudo, sempre foi um homem distante, frio.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu avô foi um cara fundamental para mim, que tive um pai tão omisso... pena que não teve mais intimidade com o seu!

      Excluir

Obrigado por seu comentário! Assim que possível lhe dou um retorno!