15 de setembro de 2013

O primeiro sutiã... #sóquenão !

Este post é continuação do Abrindo e Lendo Emails, clique  AQUI e leia para pegar o "fio da meada"! 

Como eu dizia...
Eu conheci este cara num encontro de uma ONG onde ambos éramos voluntários e me encantei com ele, por muito motivos...mas ai...como fazer para ficar "mais perto" dele?
Trocamos endereços e começamos a nos corresponder, por carta (CARTA? OI?.... lembrem, na pré história do seculo XX ainda não tinhamos email...)
A oportunidade de ficar mais próximo surgiu uns dois meses depois... a entidade organizou um grande encontro em SP, num lugar "tipo" um retiro, e como eu era da organização, eu dei um jeitinho de ficar no mesmo quarto que ele! rsrsr . Detalhe, era um quarto para quatro pessoas mas - e olha que coincidência - só íamos ficar nós dois no quarto! Dei a desculpa que deixei assim caso alguém precisasse mudar de quarto teria uma vaga no meu fácil, sem precisar ficar fazendo trocas de pessoas...
Sacana eu? Bom, na realidade ele vai ficar sabendo disto quando ler este post ( !!!), mas como somos amigos até hoje ,sei que não vai ficar bravo comigo! I hope so! Foi uma "fofura" minha para ficar perto dele! Concordam?
Ficamos nós dois no mesmo quarto, mas eu, que sou muito certinho, muito caxias, nem tentei nada. Estávamos lá por um assunto sério, a "trabalho" na realidade. Para mim foi apenas o frisson de estar com ele e criar uma maior intimidade, mais papos... e mesmo o quarto tendo um banheiro privativo tanto eu quanto ele entrávamos e saíamos do banho trocados...
Dois bobinhos!
Quando terminamos o encontro combinamos que ele viria passar o próximo fim de semana na minha casa, ele gostava (ainda gosta) muito de SP, e gostava dos passeios culturais, museus, teatros... mais uma coisa que tínhamos em comum!
Ele veio, fiz questão de ir buscar ele la na rodoviária do tietê, viemos para casa, no caminho paramos comer um sanduiche...
Quando ele chegou em casa eu mostrei o sofá-cama do quarto de tv, onde ele dormiria, e falei se ele queria tomar um banho, ele tomou, depois eu. Quando eu sai do banho preparei um chá para nós dois e perguntei se ele não queria ir no meu quarto "ver uns cds muito legais que eu tinha de jazz" (podem rir).
Ai... sabe como é....dois caras que estavam se curtindo, na beira da cama, sozinhos em casa, ouvindo musica... rolou o primeiro beijo, e vários outros e uma pegação bem inocente, bem amorosa, acabamos dormindo juntos...
E ai engatamos uma amizade muito forte, um namoro, ou eu ia para a cidade dele no fim de semana, ou ele vinha para sampa, e rolavam muitas cartas, porque ninguem tinha celular naquela epoca e telefone fixo era super caro, ás vezes iamos viajar para algum lugar, foi com ele que fiquei pela primeira vez hospedado numa pousada gay, a Raposa da Montanha em Campos do Jordão. fizemos muitas coisas legais juntos.
Eu realmente gostava dele, eu acho até que amava ele, foi realmente um momento muito especial na minha vida. Ficamos juntos por quase dois anos, mas ai eu fui viajar e fiquei um tempo fora do país e acabamos nos distanciando.
Também teve um coeficiente que eu estava no começo de minha vida profissional e eu sentia ele muito pouco ambicioso, um pouco acomodado, na época, e isto também acabou nos afastando.
Mas sempre fomos amigos, e sempre mantivemos contato, ele foi realmente um cara muito especial, e foi o primeiro para quem contei que tinha o sonho de ter filhos, de adotar - e ele foi super legal, deu o maior apoio e estímulo, apesar de não parecer comungar dos mesmo ideais, e sonhos.
Hoje ele é professor universitário, com destaque em sua área, e esta casado com um cara super legal, mais novo que ele, porque ele também tem o perfil de "cuidador" como eu tenho...Mantemos contato e sinto que torcemos pela felicidade um do outro até hoje! Tanto que quando me separei ele foi uma das primeiras pessoas para quem liguei! Para me ajudar a pensar e refletir...
Acho que, para uma pessoa como eu, mais focado na qualidade e na durabilidade, do que na quantidade e diversidade, cada pessoa que passou na minha vida tem seu lugar especial na minha memória...

A expressão "O PRIMEIRO SUTIÃ A GENTE NUNCA ESQUECE" é antológica e muita gente usa em diversas ocasiões, foi uma das primeiras campanhas da W/Brasil e projetou ainda mais o Washington Olivetto, se vc não conhece clique abaixo no link do Youtube, acho que a emoção tem muito a ver com aquele momento que eu vivia! Esta propaganda é de 1986 e a Patricia Lucchesi tinha apenas 11 anos, hoje ela tem quase 40!


E você, com foi seu "primeiro sutiã"? Sua primeira paixonite?

7 comentários:

  1. eu diria que minha primeira paixonite foi na 6ª série, pelo garoto popular, líder do time de handebol da escola, que todas as garotas queriam... super clichê né? cheguei a fazer uma carta me declarando para ele, mas, graças a Deus, não tive coragem de entregar... kkkkkk
    acho lindo como as pessoas se encontram, assim, como vc contou da sua história,é lindo ver as pessoas se apaixonando e vivendo esse amor...

    ResponderExcluir
  2. Só tive uma única paixão, e foi avassaladora! Fiz loucuras para ter a atenção exclusiva do cara; até descobrir que ele era uma "galinha"! E o pior foi a resposta dele se justificando: não conseguia ser de uma pessoa só!
    Por isso sua história tem aquele romantismo dos filmes antigos!
    Lindo! Lindo!!

    ResponderExcluir
  3. Oi, tudo bem?
    Gente, que fofo, rs
    Bom, eu morro de vontade de ser pai, pretendo ter um biológico e adotar tbm. Eu tive um sonho um tempo atrás que tinha uma menina, linda ela, super parecida comigo, cabelinho claro e vinha correndo me chamando de papai e me dando um abraço. Fiquei com isso na cabeça semanas, rs. Um mês e pouco depois sonhei novamente com ela, acredito q seja um sinal né? se ñ for, prefiro acreditar que seja assim mesmo, rsrs.
    Mas deve ter sido uma delícia esses momentos com ele e o bom que se estendeu pra amizade mesmo depois do fim.
    Um bjo menino
    E vota em mim, vai lá no meu blog, srs

    ResponderExcluir
  4. Minha primeira paixonite foi platônica como todas as outras que vieram depois. Até eu viver uma paixão eu já tinha 19 anos. E o cara morreu logo em seguida. Mas foi intenso enquanto durou.

    Beijocas

    ResponderExcluir
  5. Muito legal a história !

    ResponderExcluir
  6. A gt sempre tem a fé e esperança de viver em algum momento da vida uma historia de amor digna de um filme hollywoodiano a lá Richard Gere e Julia Roberts. Bacana isso qdo acontece e se deixa acontecer. Mas nem sempre o final feliz é feliz do jeito que a gente queria.

    ResponderExcluir

Obrigado por seu comentário! Assim que possível lhe dou um retorno!