29 de setembro de 2013

Solteiros ou Casados?

Desde que retomei o blog com mais assiduidade, tenho me surpreendido, e alegrado, com a repercussão de alguns posts que publico. E tenho aprendido muito com as opiniões que as pessoas deixam nos comentários. 
Da mesma forma que tenho escrito mais em meu blog, tenho lido mais blogs de outras pessoas, com estórias, reflexões e textos incríveis! Eu realmente curto demais a blogosfera!
Então, quero deixar um super-abraço a todos que tem lido e comentado o blog! Obrigado mesmo!  


Como muitos de meus textos falam sobre relacionamentos, sobre família, sobre filhos, muitas pessoas deixam opiniões sobre estes temas, e eu fiquei surpreso - por exemplo - com as opiniões no post sobre o machismo! Com certeza me fizeram repensar minhas atitudes e meus sonhos para minha filha, uma coisa incrível!
Uma coisa que pude perceber é que  as pessoas se dividem, do ponto de vista de relacionamento, em dois grupos: ( e isto independe de serem homens ou mulheres, gays ou lesbicas)
De um lado temos o grupo dos "solteiros", gente que se diz desiludida com os relacionamentos, com as pessoas, gente que está bem sozinha, gente que desistiu de procurar, gente que diz não precisar tanto assim de uma relação em bases permanentes, e gente que parece estar procurando um outro modelo, de bem com a vida!
De outro lado temos o grupo dos "casadoiros" - do qual eu faço parte - que gosta de estar namorando, casado, alguns com relacionamentos muito longos, outros com menos experiências, mas todos a procura, relatando aproximações e desencontros, e sempre partindo para o próximo!
Quando a gente faz uma lista em que se mostram coisas que parecem antagônicas (solteiros x casados) ficamos com aquela tentação de ter que "escolher um lado" ou "votar no que é melhor", e obviamente, estabelecer um tipo de polêmica  =0)
Durante muito tempo eu cantarolava a música do Tom Jobim que diz que "fundamental é mesmo o amor" e "é impossível ser feliz sozinho"! (clique e veja na voz da Elis Regina).
E acreditava nisto! Eu realmente achava que as pessoas sozinhas eram infelizes... ficava até com "pena" de meus amigos e amigas que não conseguiam namorar!(sorry)
Ai eu fazia as maiores besteiras para não ficar sozinho! pois para mim a equação era: sozinho = infeliz!
Por sorte, e muita reflexão, e também umas pancadas da vida, e muito trabalho na terapia, eu comecei a ter uma visão muito mais saudável e diferente sobre este binômio, e vi que ele embute várias nuances, vários tons.
Hoje eu ainda acho que fico mais feliz estando envolvido com alguém que eu goste, mas não a qualquer preço.
Hoje eu entendo que estar solteiro não é uma forma definitiva de infelicidade, mesmo que eu não goste de ser solteiro.
Hoje eu sei eu nem todos estão preparados e querem fazer as concessões necessárias a um relacionamento.
Hoje eu sei que um relacionamento não é a solução para os vazios interiores que eventualmente tenhamos.
Hoje eu sei que a pessoa sozinha pode ser plena, e feliz.
Amanhã? Eu não sei quais serão minhas certezas amanhã, mas como bom sagitariano eu serei que serão outras!
Mas não quer dizer que eu não torça para que alguns amigos blogueiros, que são super legais nas suas opiniões, também encontrem alguém que lhes transborde! Pode Arnaldo?
Além de "casadoiro" eu sou "casamenteiro"!
Como sugestão de leitura eu recomendo MUITO ALEM DO ARCO IRIS, escrito pelo psicólogo Klecius Borges, que fala sobre relacionamentos gays, eu achei muito elucidador em muitos aspectos.! Foi lançado faz pouco tempo, não deve ser difícil achar!

E você? em qual dos dois times prefere estar?
  

14 comentários:

  1. Eu sempre fui solteiro! [kkk]
    Apesar de não reclamar, no começo eu achava que tudo bem, eu podia dominar o mundo, depois veio a fase do "Eu to carente mais eu to legal", mas eu confesso que o tempo me mostrou que, apesar de não ser a salvação de nada, deve ser muito bom amar e ser amado!

    Mas para mim, o que fica é a importância de achar um equilíbrio...

    Quanto ao blogue, ele é fantástico, muito legal... e é bacana ler e se reconhecer em algumas das tuas passagens... Gracias!

    Abração e boa semana!

    ResponderExcluir
  2. Me sentindo amado com reconhecimento dos comentários (risos) Aliás eu amo os conteúdos daqui e mais do que isso também gosto da sua passagem la no blogs. Putz esqueceu de falar dos poli amoristas (tipo eu )KK também torço pra que algumas pessoas do blog fiquem felizes com um parceiro nem que seja pra falaar mal dele o tanto que ele é chato mais não consegue viver mais sem ele. "Ah que bobagem é o amor " Phill Veras (vale a pena ouvir essa musica)

    ResponderExcluir
  3. Amigo, vc foi certeiro e precioso em suas reflexões e suas verdades de hoje ... estas são as minhas tb ... gosto de ter alguém mas se não o tiver não creio q isto será razão de minha absoluta infelicidade ...

    ResponderExcluir
  4. Sou o famoso "moço" casadoiro.
    Se existisse uma liga TFP gay eu seria presidente.
    Quem gosta de cantar "Sempre Libera" é Violeta Valéry em La Traviata.
    No entanto, a "solterice" pode não ser necessariamente uma "opção" e sim
    uma falta dela.
    Acredito que existam pessoas que conseguem lidar bem com essa condição assim como acredito que todo casado tem de lidar com essa cria muitas vezes caprichosa chamada casamento.
    Vai do gosto do freguês e vai das condições ambientais para se encontrar um par que realmente se comprometa com o relacionamento.
    bjs

    ResponderExcluir
  5. r: obrigado pelo apoio, abraço :)

    ResponderExcluir
  6. Estar sozinho não significa ser infeliz. É uma questão de ponto de vista. Uns preferem serem sozinhos e optam pela liberdade incondicional. Outros preferem ao casamento, mantendo as concessões que o matrimônio impõem. Já a solidão por motivos independentes também podem causar grandes transtornos, levando à depressão e a baixa estima. Não tem um forma padrão de felicidade. Cada pessoa possui suas opiniões e gostos. Eu particularmente não sei ser feliz sem estar numa relação afetiva sólida. Estou casado com o mesmo companheiro já a 13 anos e sinto-me feliz.

    Belo texto amigo! Espero que você sempre tenha essa lucidez e discernimento com as palavras.

    Abraços!

    ResponderExcluir
  7. Eu gosto de estar no grupo dos casados, apesar de que defendo ferrenhamente o direito das pessoas serem felizes solteiras e não terem que suportar essa "pressão" da sociedade! Sim, porque eu acho que a sociedade pressiona as pessoas a se casarem, assim como pressiona as mulheres a terem filhos, como se essa fosse a única fórmula da felicidade! E a verdade é que não existe fórmula, cada ser é único e o que me faz feliz pode fazer outra pessoa extremamente infeliz!

    Eu e a Paula estamos juntas há tanto tempo que não me lembro de como é ser solteira! Não sei como seria ficar solteira novamente, não faço ideia de como lidaria com isso! rs! Adoro ter a Paula ao meu lado, ter alguém com quem acordar e dormir todos os dias, alguém com quem trocar juras de amor, alguém com quem dar risada das mesmas bobagens, alguém com quem me imaginar daqui a 50 anos, alguém para estar ao meu lado no último dia da minha vida!

    É, eu realmente gosto da vida de casada! rs!

    Beijos!!!

    ResponderExcluir
  8. “Hoje eu sei que a pessoa sozinha pode ser plena, e feliz.” Será? (rs) Primeira visita minha. Já vi que terei que ler mais coisas, é tudo muito forte por aqui. De algumas coisas que li, já deu para eu perceber um pouco da sua história. Penso também que você já leu alguma coisa lá no meu blog. Com relação a essa afirmação que eu citei... mas, você não é uma pessoa sozinha! Eu sei, um filho não é a mesma coisa que um companheiro, tudo bem! Mas, o “ser sozinho”, ao menos pra mim, tem uma carga tão pesada, tão diferente. Ainda mais que, no meu caso, eu já tive um amor e com ele conheci a felicidade. Por isso mesmo continuo indagando: será?

    Abração

    ResponderExcluir
  9. Eu gosto, sobretudo, de viver cada momento. Não preciso de uma relação, de namorar, para me sentir realizado. Pelo contrário, há imensos casais que começam a 'brigar' quando assumem um compromisso. O importante é haver respeito mútuo e carinho.

    Não precisamos de rotular o que sentimos. :)

    ResponderExcluir
  10. Promessa pra Santo Antonio e Santo Expedito é que não faltam. kkkk
    As duas situações tem suas vantagens e desvantagens. A necessidade de viver cada momento delas - a solteirice e o casamento - devem servir como aprendizados sempre. E se cada uma aparecer alheio a nossa vontade, o jeito é encarar e ser feliz da melhor maneira possível.

    ResponderExcluir
  11. Que texto extremante lúcido e embasado amigo. Temos que primeiro amar nós próprio para poder amar o próximo. Não com carências e sim com companheirismo, com trocas que acrescentam, e não sufocam, nem quer fazer, do outro, propriedade, um objeto de seu bel prazer.

    http://apoesiaestamorrendo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Eu sempre quis ter algo mais sério, duradouro. Ainda mais depois que deixei a família pra morar em outra cidade, onde tenho aprendido a me cuidar, mas onde também sinto enorme falta de alguém que se preocupe comigo, que cuide de mim também, e que queira ser cuidado! Estou no time dos casadoiros...#Fato! Mas, enquanto ele não aparece, eu vou tentando me encontrar na minha solteirice.

    ResponderExcluir
  13. Creio que ambos os lados tem coisas positivas e coisas negativas ;)

    Assim, enquanto eu não encontrar o cara certo, vou brincando com os caras errados ahahahhahahahaha

    Abraços

    ResponderExcluir
  14. Estou casado e estou bem feliz. Mas acho sim que solteirice não quer dizer infelicidade. Infelicidade deve ser não ter amigos. Ai sim acho que a coisa complica !
    Abraço !

    ResponderExcluir

Obrigado por seu comentário! Assim que possível lhe dou um retorno!