23 de setembro de 2013

Tá! Eu sou gay! E descobri o amor!

continuação de O PRIMEIRO SUTIÃ, clique AQUI

Depois que eu e meu primeiro namorado do interior nos distanciamos, eu fiquei um tempo sozinho. Estava bastante focado em minha vida profissional e, como não tinha um círculo de amigos gays, não sai muito durante um certo tempo.
Além daquele trabalho voluntário eu também ajudava na época numa outra entidade, o GIV, cujo presidente na época era o Araújo, eu ajudava em algumas coisas e também no plantão da biblioteca.
Aquela foi a época "braba" da AIDS, não havia coquetel, e até mesmo os mecanismos da doença eram pouco conhecidos, onde as celebridades que contraiam o vírus definhavam em praça publica (Cazuza, Rock Hudson, Lauro Corona ), mas negavam de toda maneira estarem contaminados.
Pois bem, nesta entidade eles promoviam, como fazem até hoje, mensalmente uma festa de aniversário coletiva, para todos os aniversariantes do mês, e os voluntários organizavam e recepcionavam as pessoas. Numa destas festas eu estava na porta, recebendo as pessoas quando chegou um grupinho e no meio deles estava o Sérgio. Meus olhos, e outros órgãos, forma atraídos imediatamente por ele.
Eu recebi o grupo, achei uma mesa para eles sentarem e fui cuidar de outros assuntos, mas de vez em quando voltava para ver se precisavam de algo, todo atencioso!  Soube que o grupo (dois caras e duas mulheres) tinha vindo a convite de um dos membros do GIV, que fazia aniversário naquele mês.
Ai surgiu uma questão engraçada, eu não tinha como saber se o carinha era gay ou não! Então eu sentei na mesa deles e comecei a puxar papo...vcs trabalham no que? que gostam de fazer no fds? até chegar em "onde você costuma ir?
Quando ele me disse que já tinha ido algumas vezes na GENT´S, na MAD QUEEN (umas boates que existiam no século passado rsrsrsr) , ai eu falei! Oba! Tenho chances!
E continuamos conversando...ai aconteceu o  pior! Me apaixonei! 
Estávamos embaixo de uma grande árvore que tinha no "quintal" do GIV e de repente ele vira e fala - Olha como a lua está linda! Eu olhei para cima, a lua cheia enorme, com a luz passando entre os ganhos finos da árvore, linda mesmo. Eu olhei para a lua, olhei para ele, e pronto! Já estava apaixonado!
Ele nem era um cara lindo, deslumbrante, e era japa... eu nunca tinha me imaginado com tesão por um japa! Eu tratei de me aproximar, peguei o tel. dele  (fixo, século passado, nada de celular!)  , liguei durante a semana para convidar ele para jantar, fui conhecer melhor, e fui também mostrar meus CDs para ele no meu quarto! Um truque repetido, podem rir!
Não que eu não gostasse e não amasse meu primeiro namorado, mas realmente eu percebi que o sentimento era diferente. Foi paixão. O Sérgio foi o primeiro cara com quem eu imaginei ter um relacionamento, casar, morar junto, construir uma estória, algo que era impensável para mim até aquele momento.
Ficamos quase três anos juntos, viajamos muito, ficávamos muito tempo juntos pois conseguíamos conciliar bem nossas agendas de trabalho, e ele foi o primeiro cara que eu conversei sobre minha frustração de não poder ter filhos porque era gay (a possibilidade de adoção não estava na minha mente). Ele era um cara muito carinhoso e cheio de sonhos, o que é estimulante para um sagitariano como eu! Era engenheiro mas tinha uma forte inclinação para as artes plásticas, pintava, fazia esculturas, ele foi o primeiro que conviveu com minha família e amigos, se bem que eu na época ainda parcialmente no armário - apresentava ele como amigo. Mas hoje sei que eu não enganava ninguém!
Cheguei até a comprar um terreno em Ibiúna, num condomínio na beira do rio, para construir um "ninho" para nós! Estava levando a sério não é?
No final das contas nos separamos porque ele, virginiano, por conta dos sonhos todos, começou a se desconectar um pouco da realidade, ... eu sofri muito tentando ajudá-lo, mas,  também  por conta de seus sonhos ele resolveu ir morar no japão um tempo e ai nos separamos definitivamente.
Meses depois da separação eu acabei descobrindo uns lances de infidelidade da parte dele, o que também me magoou, mas não invalidou tudo que vivemos juntos...mas me fez pensar em muita coisa, e o desejo de ser pai ficou cada vez mais forte!
 
Você pode estar estranhando eu citar o nome dele, já que eu normalmente trato as pessoas por apelidos, tentando sempre preservar as pessoas porque nunca sei quem quer aparecer ou não no blog, mas como eu soube, alguns tempo atrás, que ele faleceu, a citação fica como minha homenagem ao cara que mudou muita coisa na minha vida!

Mas é claro que minha vida não parou por ai.... eu fui em busca de uma SAIDA RACIONAL para o assunto.
 
 
 
 

14 comentários:

  1. Olha só... O Mau trabalhou no GIV, na época do Valtinho. Sou amigo da Vitória e do Edson.

    ResponderExcluir
  2. R: HAHAHAHAHAHAHAHH que grande bixarada lol. EU se pudesse tinha um cão, mas é o mais fácil que consigo ter. Em contra partida odeio queijo lol

    ResponderExcluir
  3. Histórias como a sua são uma raridade dentro do mundo gay!
    A possibilidade de ir descobrindo aos poucos os encontros e as separações, o amor, paixão, a própria prática do sexo, suas danças de sedução, é algoque não se vê com grnade frequencia por aí!
    O aprendizado, em uma generalização, é uma somatória de frustrações que acaba por fazer das pessoas algo um tanto amargo, um tanto desiludido com a vida amorosa gay, infelizmente!
    Aprendizado e acolhimento são necessários para que o desenvolvimento da afetividade tome rumos onde se possa refinar a capacidade de vínculos mais duradouros e consequentemente a presença de um verdadeiro sentimento de pertencer a algo que nos faça realmente feliz! E é somente essa felicidade que permitirá a possibilidade de amar ao outro para além das nossas decepções pessoais!
    Bjs

    ResponderExcluir
  4. Olá tudo bem?
    Bom dia!

    Quero agradecer pelo comentário deixado no meu blog www.mechamoeric.com . Aproveitei a oportunidade para conhecer seu blog e fiquei feliz em ler com a quantidade de pensamentos e coisas que você escreveu! Sensacional. Acho que li uma 10 páginas rs rs rs

    Acho que se deve ao fato de também ser gay hahahahaha

    Abraço cara!
    Eric Luciano
    www.garfopublicitario.com.br

    ResponderExcluir
  5. Gosto destas suas retrospectivas de vida e achei super interessante o coment do José Antônio, embora a minha experiência tenha sido exatamente ao contrário ... Elian foi o meu primeiro e eterno "namorido" ... da 26 agora completamos 39 anos de relacionamento ... ai ai ... rs

    ResponderExcluir
  6. Ele morreu e eu chorei aqui :( mas apesar da morte e da historia linda de vocês dois fiquei com uma pulga atrás da orelha ... ele conseguiu realizar uma parcela desses sonhos? E quando ele tava la na época você imagina que poderia ver e reatar com ele? afinal ele mudou muito sua vida.

    ResponderExcluir
  7. Estou adorando conhecer essa história

    ResponderExcluir
  8. Oopa! E põe massada nisso, mas as vezes é preciso levar um sacode para acordar!

    Que história belissima... além da sua generosidade em compartilhar-la conosco e, muito bom aprender com ela... ver exemplos de coisas bacanas!

    Um grande abraço euma boa semana!

    ResponderExcluir
  9. Tive que voltar várias postagens para acompanhar a história, mas valeu a pena. Muito legal seus relatos.
    Me fez ficar aqui, pensando sobre mim e sobre o que eu irei escrever sobre a minha vida daqui a 10, 20 anos.

    ResponderExcluir
  10. OI,
    agradeço seu comentário lá no meu blog,sobre uma postagem que falava justamente sobre o amor. Li bastante coisa no seu blog,e vc fala sobre sua vida,mas principalmente sobre o amor, o amor individual,o amor pelas pessoas e o amor pela sua filha.Fazer blogs é fazer amigos. Sucesso e força. Forte abraço, boa semana

    ResponderExcluir
  11. Detesto quando os amores morrem. Maravilhoso - e envolvente - relato! Hugzão!

    ResponderExcluir
  12. É, a historia dos CDs no quarto funcionam mesmo... rindo muito.

    ResponderExcluir
  13. Que homem lindo o Lauro Corona :D

    Abraço

    ResponderExcluir
  14. Super legal !
    E é isso, a gente vai aprendendo um pouco com cada pessoa que passa pela vida da gente ! E o sentimento é único com cada uma delas !
    Abraço !

    ResponderExcluir

Obrigado por seu comentário! Assim que possível lhe dou um retorno!