4 de outubro de 2013

OK! Eu sou gay, e NÃO vou realizar o sonho de ter filhos!


se está chegando agora clique AQUI para entender o que estava acontecendo

Depois que eu fiz a minha tentativa, que percebi rapidamente que era totalmente desonesta comigo mesmo (e sacana com qualquer mulher), de estabelecer um relacionamento com uma mulher, casar e ter filhos, eu tive que me confrontar com uma outra consequência disto:
- Tenho que abrir mão dos meus sonhos de ser pai...
Pode parecer estranho falar isto hoje, uma vez que o número de gays que querem, e conseguem ter filhos, seja por adoção, seja por inseminação ou barriga de aluguel (até em novela), é muito grande e só cresce.
Mas na década de 80, início dos anos 90, era tudo muito diferente!
A homossexualidade ainda estava na lista de doenças, o ECA não existia, e a adoção por pessoas solteiras era cercada de preconceitos e restrições. Então eu tive que me adaptar, minha conclusão foi:  
- OK, eu sou gay, meu desejo e minha orientação estão definidos, então eu tenho que aprender a viver com isto e ser feliz, e como eu não posso gestar uma criança sem estar casado, sem estar me relacionando com uma mulher, eu tenho que aceitar que não vou ter filhos! E eu posso ser feliz, tem tanta gente que não tem filhos! #só que não!

Então, eu resolvi tocar minha vida, procurar alguém legal para namorar, estabelecer um relacionamento duradouro, viajar bastante, trabalhar e crescer na carreira, me dedicar aos meus trabalhos voluntários,  cuidar da minha família (eu sou o irmão mais velho e na época eu nem sobrinhos tinha). E foi assim que eu fiz!
- Mas puxa vida! Eu queria tanto! 

Namorei bastante, alguns namoros longos, 2, 3 anos, e até via a possibilidade de morar junto, de construir coisas em comum. Mas aquela "pontinha" do desejo de ter filhos estava lá... tanto que eu tive uma segunda "recaída hétero",  (blame on me!) com uma garota que fazia pós graduação comigo na FAAP, mas o sentimento não pintou e eu acabei pulando fora muito antes da tentativa anterior.
E novamente pensei:
- É, realmente, não vai ter jeito, vou ter que me conformar de não realizar este desejo de ser pai!

E continuei tocando minha vida, morei fora um tempo, cresci na carreira, trabalhei bastante, fiz umas loucuras muito divertidas de amor, e para alguns caras que foram importantes na minha vida eu confessei meu desejo de ter filhos, e sempre concordávamos que era uma ideia "absurda" e "impossível de levar adiante".
E foram muitos anos deste jeito, até que ....
Até que, em junho de 1997 (Dori* não tem certeza!)  uma reportagem  do Ângelo Pereira, na revista SUI GENERIS mudou minha vida... mas este vai ser assunto de uma nova série de textos, se quiserem me acompanhar,  para falar sobre meu processo de adoção...ai começou outra fase da minha vida... 
Entrei com o processo de adoção, em 99 minha filha chegou, em 2002 conheci meu ex- marido, em 2012 nos separamos, este ano minha filha vai prestar vestibular para Economia...coisas que já venho contando desde que comecei o blog... em 2005.
O que eu queria com estes último textos, sobre minha vida, especialmente minha vida afetiva como Homem e Homossexual, era dar uma "atualizada" para começar a contar uma nova estória, com meu namorado -  Mr. Jay, que começou em sete de julho deste ano, e vai muito bem....

*tenho muitas estórias para contar deste período, algumas já contei, outras ainda vou contar, e algumas eu talvez tenha esquecido...Meu namorado brinca que eu pareço a personagem DORI, a  desmemoriada amiga do Pai do Nemo! 
Isto é bom para quem está por perto, porque pode me contar a mesma piada várias vezes que eu sempre vou rir!

E vc? Em que momento de sua vida está?

12 comentários:

  1. Meu caro, eu não consigo me imaginar sendo pai... mesmo sendo bissexual. Foi mais um bom motivo pra fugir das mulheres, que vêem como obrigação essa coisa da família. Podem me julgar, mas é muito mais fácil lidar com o preconceito contra os gays do que a pressão da sociedade sobre os casais heteros. É nojento e doentio. Prefiro ficar no " limbo da sociedade " e curtir minha vida em paz. Abração.

    ResponderExcluir
  2. O momento agora é de conciliar uma vida feita de arte e uma futura vida feita de teorias e práticas psicológicas. A cada dia percebo que arte e psique sempre andaram juntas! É um momento de consolidar aquilo que passei a acreditar: Amar é Sentido. Sentido de vida, sentido pela alma, pelo corpo....O mesmo corpo que não pode gerar um filho, mas que gerou sentido de amor que me deu uma linda filha! (ainda que por muito pouco tempo...o tempo necessário para clarear mais ainda os meus dias.)
    É um tempo de perdas e MUITOS ganhos....O tempo de saber que amar é sentido.....e que esse amor é algo que se pratica, que se exercita não em nome do meu único prazer..( e que já foi chamado em uma triste interpretação de amor-martírio ) .
    É um tempo de discernimento!
    bjs

    ResponderExcluir
  3. Olá H. H. & P! Tudo bem?

    Muito legal, matou minha curiosidade a respeito da concepção de sua filha...hahaha. Cara, eu gostaria muito de algum dia ser pai. Não é um sooonho, mas gostaria de cuidar de alguém, para quando eu estiver bem velho e gagá ter alguém pra me lembrar das coisas. No momento me encontro mais na fase de ser filho (de pai viúvo)Mas um dia chego lá.

    Abraço ;)

    ResponderExcluir
  4. Eis um assunto complicado pra mim. Eu cheguei (na verdade, chegamos) a pensar muito em adotar uma criança. Amadurecemos a ideia, mas não deu tempo. Hoje penso que foi até bom, pois não consigo imaginar como seria se houvéssemos conseguido. Mas, o sonho e a vontade permanecem em mim. Você tem uma história de vida muito legal! Gosto do que leio.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  5. como já disse antes, nunca alimentei este desejo e acho q foi melhor assim ... nemeu nem o Elian ...

    ResponderExcluir
  6. É muito bom saber como foi sua vida, estou muito curioso sobre o mr. Jay, mas tb quero saber sobre a sui generis, conta vai?

    ResponderExcluir
  7. Até aos 23, tinha a vontade de ser pai. Depois passou rápido... Gosto de homens e hoje tenho montes de sobrinhos/as :)

    Abraço

    ResponderExcluir
  8. legal te conhecer mais e sucesso pra ela no vestibular! acho que quando a gente acredita e realmente deseja algo, as coisas acontecem!
    abraços!

    ResponderExcluir
  9. Estou lendo seu blog e estou amando sua história de vida, sou encantado por pessoas especiais e você é assim especial. Quanto ao desejo de ser pai parabéns por não ter deixado seu sonho morrer eu ainda não penso sobre isso que sabe futuramente mas o bom que hoje sei de um belíssimo exemplo que é o seu. obrigado por compartilhar sua história

    ResponderExcluir
  10. Escrevi recentemente sobre um desejo de paternidade, mas justamente no sentido mencionado aqui pelo Ti@go ("gostaria de cuidar de alguém") e, por enquanto, o meu sonho gira em torno de um namoro nesta configuração (da diferença de idade). Um amigo meu (de 24 anos) vai se casar no próximo sábado. O noivo dele tem uns 50, ou mais. Parece loucura em dose dupla (para muitos é: 1° dois homens juntos; 2° com essa diferença de idade), mas - como falei - no momento esse é, também, o meu sonho. Enfim, parabéns pela vida nova! Vou me juntar ao pedido do FOXX: "estou muito curioso sobre o Mr. Jay"...

    Grande abraço!

    ResponderExcluir
  11. Pena que o relacionamento terminou em 2012, mas o importante é sentir-se bem, afinal nada é eterno...

    Eu não tenho vontade de ter filhos, visto que meus sobrinhos suprimem a situação.

    Referente a sua filha, até imagino o seu orgulho.
    Parabéns pela coragem e atitude de adoção.
    Abraços!

    ResponderExcluir
  12. tambem sou gay e tenho vontade de ser pai mas fazer o que não podemos mudar nada temo que aceitar e ser feliz como somos abraço e bjos ...

    ResponderExcluir

Obrigado por seu comentário! Assim que possível lhe dou um retorno!