12 de março de 2006

...como nossos pais...

Esta estrofe, de uma música muito marcante interpretada pela Elis Regina, ficou martelando na minha cabeça desde ontem, quando participei do lançamento da Associação Brasileira da Pais de Homossexuais – GPH.
Como você já deve saber, já há algum tempo eu mudei meu “status” social... pois ao ter filhos deixamos de ser “filhos de fulano” e passamos a ser “PAIs DE FULANO”, e esta é uma mudança muuuuito significativa. E, sendo pai, a presença de todos aqueles pais e mães que participam do Grupo de Pais (e mães) de Homossexuais, naquela reunião, me emocionou muito, pois era nitidamente um gesto de amor dos pais em relação a seus filhos.
Porque, temos que reconhecer, não deve ser fácil para um pai ou mãe saber que seu filho é homossexual! Não tenho dúvida que, desde a descoberta deste fato, até o momento em que você encontra os pais e mães convivendo com seus filhos, amigos e companheiros, a força que move este processo é o amor!
Tá bom, escrevamos com letra maiúscula! AMOR!
Não sou especialista, mas acho que dá para imaginar os sentimentos que assomam os pais quando descobrem esta “novidade” sobre seus filhos.
A maioria se surpreende e não acredita – o que vai contra a velha lenda de que “pai e mãe sempre sabem”. Por mais sinais que os filhos e filhas achem que dão, por mais pistas , eles não percebem, ou preferem não perceber, o que não importa muito.
Depois os pais ficam querendo entender como isto foi acontecer!!! Eles acham que erraram em algum coisa, que se o pai não fosse tão distante e talvez a mãe tão dominadora, ou que se tivessem feito o menino praticar mais esporte ou a menina feito balé, tudo teria sido diferente.
Alguns culpam a namorada ou namorado de seu filho, que teriam “desviado” suas crianças do caminho “normal”, outros tentam cercear a liberdade do filho ou da filha, achando que se prende-los em casa ou cortar as amizades “erradas”, eles superarão esta fase...sim, existem pais que preferem entender que é apenas uma fase, ou uma rebeldia juvenil, que é uma “malcriação” mais elaborada.
Outros pais até entendem isto rápido, mas as conseqüências disto, a homossexualidade de sua criança, assustam mais ainda, imaginam que seus filhos serão perseguidos e discriminados, que nunca terão uma família e filhos, imaginam que seus filhos serão mais suscetíveis ás doenças de transmissão sexual, imaginam que seus filhos vão morrer sozinhos, imaginam que terão que explicar muitas coisas para seus amigos e amigas...
Mas o AMOR, este danado, faz eles entenderem, com o tempo, que esta é apenas UMA faceta de seu filho, uma CARACTERÍSTICA de sua filha! Demoram um tempo para perceber que seu filho é honesto, trabalhador, carinhoso, homossexual, inteligente, bem humorado, e... tem medo de avião.
Talvez uns poucos pais e mães já estejam preparados, ou aceitem e entendam tudo muito mais fácil e rápido, isto também acontece, mas talvez estes outros, que passam por um processo de entendimento, de maturação, mais longo, consigam entender melhor ainda seus filhos e sejam a prova do AMOR que trabalha!
Já os filhos e filhas ficam ás vezes muito magoados com as reações de seus pais, eles esquecem que eles mesmos passaram por processos longos, ou sofridos, antes de entenderem e se aceitarem como homossexuais, e, mesmo eles tendo passado por isto, não conseguem entender como aquele “amor incondicional” que eles sempre ouviram falar que os pais sentem, seus próprios pais não conseguem praticar!
Talvez o dia que eles forem pais e mães, talvez entendam...
Só sei que não é fácil para os dois lados envolvidos! Tanto para pais quanto para filhos!
E com você? Você é pai ou mãe, você é filho? Como isto te afeta?

(na placa que ilustra este texto está escrito "Nossos filhos são ótimos, do jeito que são!")


5 comentários:

  1. SOU FILHO, FABIO. SEI QUE PRA AMBOS NÃO É SUPERSIMPLES SABER, MAS JÁ FOI PIOR, NO INÍCIO. MUITAS VEZES ACHO QUE PREFEREM ACHAR QUE É FASE (HAHAHA!, TENHO 33 ANOS E SABEM QUE SOU GAY DESDE QUE EU TINHA 21), OU QUE "DESVIREI", POIS NÃO FALO DE MINHA VIDA AFETIVA COM ELES, ÀS VEZES DEMONSTRAM QUE SABEM CLARAMENTE... NESSA CONFUSÃO É QUE VIVO, MAS ISTO HOJE EM DIA, DEPOIS DE MUITO BATER MINHA CABEÇA PRA TENTAR ENTENDER, NÃO ME AFETA MUITO MAIS. SÓ SEI QUE EM NENHUM MOMENTO ELES COGITARAM A POSSIBILIDADE DE DEIXAR DE ME TER COMO FILHO E DAR, AO MODO DELES, AMOR E APOIO. SE O AMOR DELES É INCONDICIONAL OU NÃO, SEI LÁ, O LANCE É VIVER MINHA VIDA E TENTAR SER FELIZ. O QUE ESPANTA É QUE ÀS VEZES TENHO PAPOS ATÉ MEIO ABERTOS COM MINHA MÃE E DIAS DEPOIS ELA VEM COMO SE EU NÃO FOSSE GAY. MEU PAI FICA NA DELE, NADA DE CONVERSA. BOM, SE ELES TÊM PROBLEMAS, FAZER O QUÊ? JÁ ME DESGASTEI MUITO TENTANDO ENTENDER. NÃO VALE A PENA. AS DIFICULDADES DELES ELES PRECISAM SUPERAR, SE QUISEREM. EU QUERO MAIS É VIVER BEM, APESAR DE TUDO O QUE ELES PENSAM OU DEIXAM DE PENSAR.

    ResponderExcluir
  2. mamae e um luxo, agora meu pai, deixa ele fazendo d conta q nao sabe q e melhor mesmo, muita informacao p um crente de mais d 60 anos e q esta cansado d saber, so nao quer falar sobre o assunto :/

    ResponderExcluir
  3. minha mãe acha q é fase...
    e meu pai não fala comigo desde qnd ficou sabendo...
    (sem contar q ele me bateu qnd soube)

    ¬¬'

    ResponderExcluir
  4. Eu tinha um irmão que era homossexual e morreu de Aids. Senti a homofobia na carne. Acreditem não é “brincadeirinha”. Meu pai era tipo um ‘intelectual” e muito amoroso com os filhos. Até hoje não consigo perdoar a sua atitude, nem da minha mãe e nem do resto da família . Sei que não é uma atitude cristã , e tento perdoá-los com todas as forças. Um dia eu chego lá. Tenho certeza.

    ResponderExcluir
  5. celma7:50 PM

    Querido Fabio,
    Muito sabias suas palavras ao descrever os sentimentos dos pais de homo e filhos, vc retratou a realidade que vivemos, nossos medos, inseguranças, conflitos e etc... mas vc disse uma palavra que diz tudo AMOR, e isso ai que nos move a buscar a felicidade, a paz, a amizade...
    Gostei muito de conhecer vc e todos, um privilegio ter vc como amigo. Vou repassar um texto q recebi no meu flog´>

    Não é da força que se faz um sonho, mas da inteligencia. Não é do ódio que se arranja o que quer, mas é do amor. Não é da escuridão que achamos o caminho, mas sim com luz. Não é com dinheiro que temos o que queremos, mas com carinho. Não é com tristesas que construimos uma vida, mas com felicidade. não é com os olhos fechados que se sonha, mas com os olhos abertos para que vc possa fazer dos seus sonhos realidades.

    obrigada pelo carinho la no meu flog, volte sempre e eu com certeza estarei aqui...
    beijos no seu coraçao
    celma

    ResponderExcluir

Obrigado por seu comentário! Assim que possível lhe dou um retorno!