17 de março de 2006

simplesmente um luxo !

Somente ontem li a notícia que o Athayde Patrese tinha morrido, você ficou sabendo? Veja oque saiu no UOL online:

"O apresentador de TV e colunista social Athayde Patrese, 64, morreu por volta das 22h de sexta-feira passada, na Clínica de Nefrologia Santa Rita, na Vila Mariana, zona sul de São Paulo. Ele sofreu uma arritmia cardíaca logo após terminar uma sessão de hemodiálise, processo de filtragem e depuração do sangue por meio de uma máquina.
Segundo um amigo da família, Patrese possuía apenas um dos rins, depois de ter doado o outro a um de seus filhos, Marcos. Com o tempo, o órgão que restou começou a apresentar problemas e Patrese teve de iniciar o tratamento de hemodiálise.
Patrese se dedicava à cobertura do mundo das celebridades e ficou conhecido por utilizar um microfone de ouro e pelo bordão "Simplesmente um luxo". No SBT, apresentou o programa "Ricos e Famosos" e atualmente ia ao ar pelas TVs Comunitária (UHF) e Milênio (TVA) com o programa "Athayde Patrese, o Repórter".Além de Marcos, o apresentador tinha outros quatro filhos: Ricardo, Athayde, Débora e Patrícia"

Talvez vc esteja estranhando eu ter destacado esta notícia, talvez até pense que eu era um fã ou que sou assinante da revista CARAS... e também não foi aquele lindo microfone dourado que me fará ter saudades dele...
A notícia, embora não seja fundamental para entender a desfaçatez com que os políticos encobrem as falcatruas de seus pares, me fez refletir sobre duas coisas: Primeiro, como podemos ter uma imagem ás vezes distorcida e unilateral sobre as pessoas, e depois, sobre os sentimentos de paternidade em si.
Para mim, o Atahyde Patreze era um fútil, que com este papo de falar de lanchas de 2 milhões de reais e peruas plastificadas, disfarçava uma inveja de coisa que ele não tinha. Aliás, ele tinha um jeito de corrupto, com o cabelo assentada e jeito de falar todas as vogais corretamente. Ou seja, eu sou um estúpido, esquecendo que todo mundo tem família, filhos, uma estoria de vida! Eu achava que o car era o que ele representava! Mais ou menos como as "gutchas" que brigam na rua com as atrizes ou atores que representam os "maus" das novelas!
OU, na realidade, fazendo como as pessoas fazem com os homossexuais, achando que a unica coisa que somos é isto, homossexuais! Eu estava reproduzindo preconceitos e ideias pré-concebidas que tanto luto para mudar! Que idiota!

O outro assunto que refleti, talvez com mais força ainda, foi o sentimento de "ser pai".
Ele doou o rim para o filho e morreu justamente por isto! E sei que muitos pais e mães não exitariam em dar "um pedaço deles" para os filhos, mesmo que corressem risco de vida com isto!
Acho que esta pode ser uma boa definição dos sentimentos que nos regem quando assumimos a maternidade ou paternidade, este sentimento de viver pelo outro, para o outro, para o filho, para a filha, e vcs sabem que muitos pais biologicos não assumem isto, não é uma coisa natural, tem que ser construida.
Ficar aliviado por ver seu filho dormir depois de uma noite tossindo ou vomitando... Ou, em casos mais graves, sair do hospital com seu filho depois de um acidente ou uma internação. O sentimento de alegria que nos toma o coração nestas horas é indescritivel. É alegria plena.
Sei que o Marcos, filho do Athayde, talvez se sinta um pouco culpado por ter, indiretamente, causado a morte do pai, Marcos, não pense assim, se você for pai vc vai entender exatamente o que seu pai sentiu quando pode fazer isto por vc!
Minha homenagem portanto ao Athayde Patreze! Seu gesto foi "simplesmente um luxo"!

E vc? Por quem faria tal gesto?

8 comentários:

  1. Anônimo1:02 PM

    Muito linda sua reflexão sobre nossa pobreza de julgamento, É fato só vemos até onde nossa vista alcança o que nos impede em termos uma visão da totalidade. Essa visão só Deus tem
    Hedi

    ResponderExcluir
  2. foi com a finalidade de debochar mesmo... ela jogou exintor p tudo q e lado. So nao foi expulsa pq o seguranca era um hetero-bocal daqueles q basta uma buceta fazer uma cara meiga q ta tudo certo...

    ResponderExcluir
  3. Com certeza eu faria isso pela minha companheira Paula, por um futuro filho, ou pelos meus pais, por exemplo. Acho que eu faria isso por qualquer um que eu amo de verdade...

    Hey, estou lisongeada em ter meu blog nos seus links! :-)

    Beijos!

    ResponderExcluir
  4. É verdade...
    Sempre conseguimos nos colocar como a vítima do PRÉ-conceito, mas quando se trata de enxergamos o nosso com alguém ou alguma coisa é sempre mais dificíl.
    Muito boa essa reflexão...
    Para ser sincera, não sei para quem doaria meu rim...=/ boa interrogação.

    Abraços

    ResponderExcluir
  5. É incrível como as vezes somos preconceituosos e não percebemos isso. Acreditamos que "somos livres de todo preconceito" e quando menos estamos atentos, já estamos lá repetindo os mesmos preconceitos dos quais somos vítimas. Pelo menos às vezes percebemos que estamos tendo este tipo de atitude e podemos corrigí-la. Pena que somente às vezes...

    Sobre a doação... por mais que eu quisesse, não estou em condições físicas de doar nada pra ninguém!

    ResponderExcluir
  6. atayde tareze era muito phoda ricao e simplismente um luxo

    ResponderExcluir
  7. Anônimo12:06 AM

    Só a título de esclarecimento, ele declarou, publicamente, que se arrependeu de doar o rim:
    (06:29:39) mando25: por que o arrependimento de ter doado um rim ao seu filho?
    (06:31:30) Athayde Patreze: mando25, porque há 18 anos quando doei um rim ao meu filho, o doutor Medina não estava tão preparado para a medicina. Se Deus deu dois rins para uma pessoa porque tem que funcionar os dois. Quem recebe um rim tem que tomar 18 comprimidos por dia e quem fica com um só tem deficiências. Não posso viajar. Me arrependi muito.

    ResponderExcluir

Obrigado por seu comentário! Assim que possível lhe dou um retorno!