7 de março de 2006

Enrolado, complicado, truncado!

Porque as pessoas muitas vezes se envolvem em relacionamentos complicados, que muitas vezes poderiam ser classificados como “sem futuro”?
Esta é a segunda reflexão que BROKEBACK me despertou! ( a primeira, a maneira como tudo começa, está no post do dia 4 de março ultimo)
São duas pessoas envolvidas num relacionamento, amoroso concordo eu, mas que tinha muito de sofrimento, de angustia, de noites perdidas. Um relacionamento no clássico estilo “sinuca de bico”, que muita gente que está de fora poderia ver que não tinha futuro algum!
Ennis, que foi praticamente “sugado” por sensações e sentimentos que ele desconhecia, parece estar na situação mais confortável, ele já decidiu internamente que não daria vazão á simples idéia de assumir este relacionamento, a situação do “amigo de pescaria” para ele era confortável ou pelo menos suficiente, ele vivia uma vidinha modorrenta, sem muitas ambições, e os momentos que estava com Jack eram sua catarse, sua vida com emoção. Para ele isto parece bastar.
Não que ele não sofra, até no jeito internalizado de falar, quase ruminando as palavras, ele parece estar se segurando para não ser algo que ele não quer ser, que ele decidiu que não poderia ser, ou viver, e parece não poder levar nada mais adiante, aquele questão empata toda sua vida.
Jack vivencia a relação deles, e seus desejos homossexuais, de uma maneira bem diferente, talvez por tudo ter começado, bem ou mal, por iniciativa dele, Jack parece ter mais certeza de seus sentimentos, ele tem certeza que se estivessem juntos poderiam ser felizes, ele tem a coragem de falar nisto, de sonhar com isto. Tanto é que no final descobrimos que ele já tinha montado, com outro cowboy é verdade, um simulacro do que queria experimentar com Ennis.
Jack é mais corajoso em relação a seus desejos e por isto mesmo se envolve em outras situações, que no filme parecem ser meramente sexuais, para tentar vivenciar outras possibilidades, ele é um homossexual “assumido” e por isto mesmo parece vivenciar o amor com mais intensidade, ou pelo menos, mais expansão.
Jack, para mim, é o que mais sofria, porque era justamente o que mais via possibilidades.

Mas então porque nenhum dos dois, especialmente Jack, não tomou a iniciativa de dar um “ultimato” ao outro, de dar um ponto final ao invés de viver nas reticências...no “e se”, porque o Jack ficou sempre esperando que o Ennis “cedesse” e se conscientizasse que eles ficarem juntos em bases permanentes era a única opção. Porque o Jack não foi tocar a vidinha dele com outro cara, porque ele insistia nesta coisa quase doente, nesta coisa sem perspectivas?
Você concorda que se algum deles fosse seu amigo, que conversasse com você sobre isto, você já teria aconselhado que eles parassem de sofrer e resolvesse isto?
Talvez você disesse:
“-Jack, sai desta vida, este cara nunca via te levar a sério... você está sofrendo a toa.... homem é que nem ônibus, logo passa outro....”
Ou então, diria para o Ennis:
“- Ennis, você tem que definir isto, para que sofrer tanto, se você ama o cara vai atrás dele, enfrente as coisas! Eu, quando me assumi, no começo foi difícil mas depois as coisas melhoraram muito!” ou então “se o Jack te ama ele tem que aceitar seus limites, está errado ele te pressionar”
É tão fácil decidir a vida dos outros não?

Agora, me conta uma coisa, porque os caras aceitavam viver deste jeito? Que conselhos podíamos dar para eles? Que faria no lugar deles?

6 comentários:

  1. Anônimo11:48 AM

    Eu ja vivi algo assim, meio doido atras de um cara que nem me merecia! Ainda não fui assistir ao filme porque tenho medo de chorar muito!
    Daniel

    ResponderExcluir
  2. OI, CARA, NÃO SOU NENHUM SÁBIO, MAS JÁ PERCEBI QUE AS PESSOAS SE METEM EM RELACIONAMENTOS FURADOS PORQUE: 1-ACEITAM QQER COISA PRA NÃO FICAREM SOZINHAS; 2- NÃO SE PERMITEM NO FUNDO SEREM FELIZES, POR TRAUMAS, MEDOS, E ENTÃO INCONSCIENTEMENTE PROCURAM RELACIONAMENTOS QUE SABEM QUE NÃO TRARÃO FELICIDADE ALGUMA. ACHO QUE SÃO PRINCIPALMENTE ESSAS DUAS OPÇÕES. QUE CONSELHO DARIA PROS MEUS AMIGOS? QUE PROCUREM O QUE DE VERDADE OS FARÁ FELIZES, SAIBAM QUE PODEM SER FELIZES, NÃO FIQUEM POR FICAR, POR DESESPERO, SÓ PRA DIZER QUE TÊM ALGUÉM, POIS ISSO SÓ TRAZ FRUSTRAÇÕES. E ME ACONSELHO TODO DIA A NÃO CAIR NUMA CILADA DESSAS, PRINCIPALEMENTE. A TENTAÇÃO PRA ERRAR MUITAS VEZES É GRANDE.

    ResponderExcluir
  3. Sinceramente não sei o que faria no lugar deles... principalmente por causa da sociedade da época.
    Mas quando a oportunidade certa surge, não devemos desperdiçá-la... deixar que o outro vá embora, sendo que você gosta dele... complicado

    Adorei o blog! Abraço!

    ResponderExcluir
  4. Legal você ter aparecido lá pelo cocoloco e cia. Adorei o blog. Parabéns pelo filho e pela coragem.

    Relacionamentos furados... quem nao os teve????

    Abração

    ResponderExcluir
  5. ASSISTÍ HOJE POR PRIMEIRA VEZ AO FILM, ESPEREI PASSAR UM POUCO OS OSCAR E TAL... ACHEI O FILM BELO, FORTE E TRISTE. E, ESTOU DE ACORDO COM O COMENTARIO DE ACIMA, SE HÁ UMA OPORTUNIDADE COMO ESSA NãO HÁ QUE DEIXA-LA PASSAR, LOGO A VIDA SE VA EM LAMENTOS. ANG LEE ESTÁ DE PARABÉNS !

    ResponderExcluir
  6. Por qué eles viviam desse jeito? Acho que existem inúmeras respostas pra essa pergunta... Paixão irresistível? Comodismo? Medo (no caso do Ennis) de uma coisa mais arrojada? Ao único que eu daria conselhos sería pro Jack, pra quem falaria "MOVE ON!!!" não da pra querer manter um relacionamento com alguém que não está disposto a se entregar ao máximo nele. Jamais podería me sentir identificado com o Ennis, e sim com o Jack. Portanto, eu sendo o Jack, faria a mesma coisa que falei que aconselharia pra ele... porque na vida real eu já fiz isso ha varios anos atrás...

    ResponderExcluir

Obrigado por seu comentário! Assim que possível lhe dou um retorno!